Sites Grátis no Comunidades.net
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Ultimas Atualizações
Orixás  (07-08-2015)
O Dom da Cura  (05-08-2015)
Contactos  (04-08-2015)
Início  (03-08-2015)
Tronqueira  (31-07-2015)
Casamento Na Umbanda  (30-07-2015)
Exé Sete Encruzilhada  (30-07-2015)
Sincretismo Religioso  (30-07-2015)
Votação
VOCE ACREDITA EM ESPIRITOS
SIM
NÃO
Ver Resultados


Rating: 2.7/5 (155 votos)




ONLINE
2





Partilhe este Site...




Pontos Cantados II
Pontos Cantados II

Pontos Cantados.
Um dos fundamentos de vital importância para harmonização e eficácia dos trabalhos dentro de um Centro umbandista .
Os pontos cantados podem ser: Pontos de chegada e partida; Pontos de vibração; Pontos de defumação; pontos de descarrego; Pontos de fluidificação; Pontos contra demandas; Ponto de abertura e fechamento de trabalhos; Pontos de firmeza; Pontos de doutrinação; (Pontos de segurança ou proteção); Pontos de cruzamento de linhas; Pontos de cruzamento de falanges; Pontos de cruzamento de terreiro; Pontos de consagração do Congá; e outros mais, com inúmeras finalidades .
Os Pontos cantados funcionam como preces, evocações, pedidos,agradecimentos, chamada dos guias para os trabalhos.

Ponto Cantado de Oxalá

 

PONTOS DE SAUDAÇÃO à OXALÁ
Andorinha voou Os anjinhos foram buscar Quando voltou Salve grande Oxalá Tenham fé meus cafios Que em mesa de Umbanda Oxalá tem que vencer ================== Como gira ê como gira Como gira dentro do gongá Oh gira para filhos de fé Oh gira para filhos de fé Como gira ê como gira Como gira dentro do gongá Oh como gira filhos de fé Vamos salvar a guia Do nosso Pai Oxalá =================== Gruseia, gruseia meus caros filhos Na mesa de Umbanda Quem manda é Deus =================== Jesus Cristo é nosso Pai, aruê É filho da Virgem Maria, aruê Por entre espadas e lanças, aruê O santo nome de Jesus, aruê =================== Abre a porta ô gente Que ai vem Jesus Ele vem cansado Com o peso da cruz Vai de rua em rua Vai de porta em porta Oh Deus da minh’alma Sem culpa nenhuma ================== Ai Jesus, Jesus morreu na cruz Chegou Arariboia, chegou Arariboia Salvar Jesus na cruz =================== É de credo em credo É de credo em cruz Cruzai vossos filhos Em nome de Jesus =================== Jesus nosso Redentor Desceu pra nos salvar São todos Caboclos de Aruanda Que vieram descarregar Mais uma pemba Mais uma guia Mamãe diga o que é São todos Caboclos de Aruanda Que vieram salvar os filhos de fé ================== Vou pedir ao criador Pra meio mundo governar Meio sol e meia lua Meia terra e meio mar ====== Maior do que Deus, não há Maior do que Deus, ninguém Ora viva Deus, minha gente São tantos os que mandam, Minha gente Maior é Deus ================= (descarga)
Estava dormindo Na porteira do curral Quem tem inimigo não dorme Acorda vai vigiar O Pai Nosso Qualquer um sabe rezar Pai, Filho, Espírito Santo O Santo nome de Jesus ============ Que panorama tão lindo e tão belo Que Zambi nos mandou Nanã Que chova perdão em minha alma Como chove flores neste gongá ==================== Estrela do céu Que clareia o dia É dia, é dia Da Virgem Maria Viva Jesus nosso Pai Redentor Que na santa cruz Teu sangue derramou =================== Ai meu São Miguel Arcanjo Com sua espada de aço Vai abrindo todos os caminhos Cortando todos os embaraços =================== Foi lá no rio azul Que eu encontrei Uma cobra coral Ô rio, ô rio Oh meu Pai Oxalá Ô rio, ô rio Oh meu Pai Oxalá ================ Deus salve os nossos guias Pela glória desse dia Eu vim aqui Pedir a Oxalá E a Estrela Guia Que aumente a nossa luz Que nós possamos alcançar As belas vibrações desse gongá ================= O manto de Oxalá que cubra Os filhos desse Jacutá Saúde para todos filhos E a proteção divina Pras babás desse gongá =================== Oxalá meu Pai Tem pena de nós, tem dó A volta do mundo é grande Seus poder ainda é maior ==================== Estrela do céu Que guiou nosso Pai (bis) Guiai esses filhos Caminhos que vai (bis) Estrela do céu Que te disse o Guaiá Povo de Umbanda Que povo será Povo de Umbanda Que está no gongá ================== Meu Divino Espírito Santo Que venha nos ajudar Traz ordens do Pai eterno Jurema ê Juremá ================== Oh menino de Deus É de Santo Antônio Em que dia nasceu Dia de Natal ================== Eu agradeço a Deus E a Virgem Maria A todos os santos E também aos guias =================== Meu Pai Oxalá É o Rei, venha me valer Meu Pai Oxalá É o Rei, venha me valer O velho Omulu Atotô Baluaê Atotô Baluaê Atotô Baluaê Atotô Baba Atotô Baluaê Atotô é orixá ================= Oxalá meu pai Tem pena de nós, tem dó Se as voltas no mundo é grande Seus poderes são maior Oxalá meu pai Tem pena de nós, tem dó Se as voltas no mundo é grande Seus poderes são maior O malei malei O malei malá O malei malei Salve as forças de Oxalá !

 

Pontos Cantados de Ogum

 

Se meu pai é Ogum Vencedor de demanda Ele vem de Aruanda Pra salvar filhos de umbanda Ogum, Ogum, Ogum Iara Ogum, Ogum, Ogum Iara Salve os campos de batalha Salve as sereias do mar Ogum, Ogum Iara Ogum, Ogum Iara
Que cavaleiro é aquele Que vem cavalgando pelo céu azul É seu Ogum Rompe Mato Ele é defensor do cruzeiro do Sul E a e E e aaaa E e e seu Ventania Pisa na Umbanda E a e E e aaaa E e e seu Ogum Pisa na Umbanda Olha que barco bonito Que vem navegando em pleno mar É seu Ogum Sete Ondas Que vem ao encontro De Ogum Beira Mar
Ogum em seu cavalo corre E a sua espada reluz Ogum em seu cavalo corre E a sua espada reluz Ogum, Ogum Megê Sua bandeira cobre os filhos de Jesus Ogunhê
Salve Ogum Iara Ogum Matinata Ogum Rompe Mato Ogum Megê (bis) Eles trabalham na terra meu Pai Eles trabalham no mar Eles trabalham na areia meu Pai Salve Ogum Beira Mar
Ogum é filho da Macutaia Ogum Macutaia Maleme Auê Tatá de Umbanda Auê salve Ogum na Aruanda
Seu Ogum Beira Mar O que trouxes do mar ? Seu Ogum Beira Mar O que trouxes do mar ? Quando ele vem Beirando a areia Vem trazendo no braço direito O rosário de Mamãe Sereia Quando ele vem Beirando a areia Vem trazendo no braço direito O rosário de Mamãe Sereia
Eu vi o sol raiar Eu vi estrela brilhar Eu vi seu Rompe Mato Ogum das matas Passeando à beira mar
Ô ronda a Terra Ô ronda o mar Cavalheiros de Umbanda Mensageiros de Oxalá (bis) Ogum de Lei Ogum Iara Olha Ogum Rompe Mato Ogum Megê Olha Ogum Beira Mar
Em seu cavalo branco ele vem montado Calçando botas ele, vem armado O vinde , vinde , vinde Nosso Salvador O vinde , vinde , vinde São Jorge defensor
Ogum não devia beber Ogum não devia fumar A fumaça é as nuvens que passam E a cerveja é a espuma do mar A fumaça é as nuvens que passam E a cerveja é a espuma do mar
Cavaleiro na porta bateu Eu passei a mão na pemba para ver quem era… Cavaleiro na porta bateu Eu passei a mão na pemba para ver quem era… Era São Jorge guerreiro, minha gente ! Cavaleiro na força e na fé Era São Jorge guerreiro, minha gente ! Cavaleiro na força e na fé
Eu venho de Alta cidade Venho saudar a aldeia de umbanda Estou saudando São Jorge Guerreiro Com licença de Ogum da Ronda
Ogum de Ronda Salve Ogum de Ronda Salve Ogum de Ronda que acaba de chegar Ogum de Ronda Ele é guerreiro Chegou nesse terreiro Pro seus filhos ajudar Ogum de Ronda Em seu cavalo branco Corre em todas as campinas Do nosso pai Oxalá Ogum de Ronda Salve Ogum de Ronda Salve Ogum de Ronda que acaba de chegar
Que cavaleiro é aquele Que vem cavalgando pelo céu azul É seu Ogum Rompe Mato Ele é defensor do cruzeiro do Sul E a e E e aaaa E e e seu Ventania Pisa na Umbanda E a e E e aaaa E e e seu Ogum Pisa na Umbanda Eu tenho sete espadas Pra me defender Eu tenho Ogum Em minha companhia Ogum é meu pai Mas Ogum é meu guia Ogum vai baixar Na fé de Zambi e da Virgem Maria
Eu passeava naquela floresta Eu passeava lá naquela rua Oh que beleza Ogum de lei no clarão da lua Gira, gira caboclo neste congá Segura a corrente pra não tombar Ogum de Lei ele é Orixá Sou filho de pemba Filho deste congá Olha que barco bonito Que vem navegando em pleno mar É seu Ogum Sete Ondas Que vem ao encontro De Ogum Beira Mar
Ogum de Lei Não me deixes sofrer tanto assim Meu pai Ogum de Lei Não me deixes sofrer tanto assim Meu pai Quando eu morrer Vou passar em Aruanda Saravá Ogum Saravá Seu Sete Ondas Quando eu morrer Vou passar em Aruanda Saravá Ogum Saravá Seu Sete Ondas
Sete Ondas na Terra Sete Ondas no mar Sete Ondas na Umbanda Sete Ondas no gongá Segura a pemba ê, ê Segura a pemba ê, á Segura a pemba Deixa as ondas navegar 1 Nesta casa de guerreiro Ogum Vim de longe pra rezar Ogum Peço a Deus pelos doentes Ogum Na fé de Pai Oxalá Ogum Ogum salve a casa santa Ogum Os presentes e os ausentes Ogum Salve nossas esperanças Ogum Salve velhos e crianças Ogum Preto Velho ensinou Ogum Na cartilha de Aruanda Ogum E Ogum ñ se esqueceu Ogum Como vencer a demanda Ogum A tristeza foi-se embora Ogum Na espada de um guerreiro Ogum E a luz do romper da aurora Ogum Vai brilhar nesse terreiro Ogum
2 Que cavaleiro e aquele, Que vam correndo pelo céu azul É Ogum Matinata Que está chegando no Cruzeiro do Sul.
3 Se Ogum e meu pai, Vencedor de demanda Ele vem de Aruanda Vem salvar filhos de Umbanda.
4 Ogum venceu a guerra, Ogum tocou clarim seu regimento todo foi comandado assim: Oi salve Ogum Iara Oi salve Ogum Megê Oi salve Ogum rompe mato Oi salve Ogum de Naruê
5 Suas correntes são fortes, q fazem o mundo Montado em seu cavalo branco, sobre as ondas do Mar…. Salve, salve, salve…Salve Ogum Beira Mar
6 Pisa na linha de Umbanda q eu quero ver, Ogum 7 ondas… Pisa na linha de umbanda q eu quero ver Ogum Beira Mar… Pisa na linha de umbanda q quero ver Ogum Iara, Ogum Megê… Seu cangira de umbanda auê(2x) Olha pisa no reino o cangira, olha pisa no reino o cangira, olha pisa no reino o cangira….Tata de umbanda o cagira…
7 Ogum, Ogum…Ogum meu Pai o senhor mesmo é quem diz filhos de umbanda não caem… O Jorge, o Jorge…vem de aruanda, São Jorge venceu demanda pra salvar filhos de umbanda…
8 Senhor Ogum olha nois la na estrada Senhor Ogum olha nois la na estrada O olha nois Ogum ogum da sete enruzilhada o olhe Ogum da sete encruzilhada
9 Na alvorada um cavaleiro surgiu Com sua lança e seu escudo a brilhar Seu capacete reluzia em pleno céu Ele é Ogum, ele é seu Beira Mar (bis)
Salve meu pai Ogum, ô Ele vem trabalhar Ele vence demanda Salve Ogum beira Mar (bis)
10 Beira rio Beira rio Beira mar O que se ganha de Ogum Só Ogum pode tirar (bis)
Senhor Ogum de Ronda É quem vem girar E vem fazendo ronda Pra descarregar (bis)
11 Salve na terra a espada de Ogum Salve nos astros a batida do tambor
Ogum Iara Ogum seu Rompe Mato Ogum Megê É da linha de nagô (bis)
12 Eu tenho sete espadas pra me defender Eu tenho Ogum em minha companhia Mas Ogum é meu Pai Mas Ogum é meu guia
13 Se meu pai é Ogum,Ogum Vencedor de demandas,Ogum Ele vem de Aruanda pra saudar filhos de Umbanda
14 Nos campos de humaitá eu vi você A Umbanda pergunto pôr vós Ogum Megê Aue,aue,aue Ogum Megê
15 Oxalá está chamando Ogum lá no Humaitá Pra lhe dar uma bandeira e mandar ele Jurar
Se ele é Capitão, ele vai jurar E se for de Angola, também vai jurar Se for de Nago, também vai jurar
16 Na Lua nova na Umbanda ele é Ogun… Na Lua nova na Umbanda ele é Ogun… Ogunhê…. Nzambi… ele é Ogun… Ogunhê… Zambi ele ó OGUN… Patacure Ogun
17 General Tátá de Umbanda Ogum é general Se ele é Ogum Iara Ogum é general Se ele é Ogum Matinata Ogum é general Se ele é Ogum Rompe Mato Ogum é general Se ele é Ogum Naruê Ogum é general Se ele é Ogum Megê Ogum é general
18 Na alvorado um cabaleiro surgiu com a sua lança e seu escudo a brilhar Seu capacete reluzia em pleno céu Mas ele é OGum, ele é seu Beira Mar
Salve meu pai Ogum, ele vem trabalhar Ele vence demanda, salve seu Beira Mar
19 Estou ouvindo um barulho Estou ouvindo um troféu É o meu santo guerreiro Chegando no seu corcel. São Jorge vem a galope Em lindo cavalo branco Empunhando sua lança Vem desfraldando seu manto Salve meu santo guerreiro Destruiu toda a maldade Ao liquidar o dragão Protegeu a humanidade
20 Quando eles bradam, …é sinal de uma vitoria nos campos do humaitá vem na umbanda vamos todos saravá esta falange que sabe guerrear…. seu beira mar….ogum nagô seu rompe mato e ogum dilei ogum iara e naruê e ai vem seu ogum megê
21 Ogum arriou sua bandeira Inimigo não entra e nem tem força para entrar E lá no céu era Iansã guerrenado Era Iansã confirmando, confirmando A bandeira de Ogum
22 Ogum em seu cavalo corre e a sua espeda reluz Ogum em seu cavalo corre e a sua espeda reluz Ogum, Ogum megê Sua bandeira cobre os filhos de Jesus Ogum iê
23 Ogum de Lei Ogum de lei meu pai, Estou lhe chamando, Estou lhe chamando, Ogum de Lei meu pai, Estou lhe esperando Com a sua espada e a sua lança na mão Ogum de lei é vencedor de demanda.
24 Seu cavalo corre, sua espada reluz Sua bandeira cobre todos os filhos de Jesus, Seu cavalo corre, sua espada reluz Auê Ogum Iara, aos pés da santa Cruz
25 Se meu pai é Ogum Vencedor de demanda Quando vem de aruana é pra salvar filhos de umbanda ] Ogum, Ogum Iara, salve os campos de batalha, salve a sereia do mar
Ogum, Ogum Iara!
26 Ogum não devia beber, Ogum não devia fumar, mas a fumaça é as nuvens que passa e a cerveja as ondas do mar!
27 OH! Filhos de umbanda Seu Sete Ondas vem do Humaitá Que bela surpresa Vem de aruanda para nos abençoar
Owu que bela surpresa, Bela surpresa como vai você Que bela surpresa, vem de Aruanda pra nos proteger
28 Estava na beira da praia Quando eu vi, sete ondas passsar Abre a porta oh! gente Que ai vem Ogum Com seu cavalo marinho ele vem saravá
29 Savará umbanda Savara confa Sarava seu Sete Ondas Qe ele é rei é Orixá Vou pedir licença Zambi A Oxum e Imenjá Para abrir nossos trabalhos Com a fé de Oxalá
30 Ogum venceu a guerra Ogum venceu a guerra Ogum é ordenancia de Oxalá Quando Ogum ve, de Aruanda Ele vem pra Umbanda PRa seus filhos abençoar Saravá Ogum Mege, Ogum Mege Sarava Ogum Sete Ondas Sarava Ogum Iara Sarava Ogum Beira Mar
31 A sua espada brilha no raiar do dia Seu Beira Mar é filho da virgem Maria Seu Beira Mar, beirando a areia Seu Beira Mar é filho da mamãe sereia
32 Ogum Beira Mar
A sua espada reluzia sob o sol Em sua lança uma bandeira etiçou Ele é Ogum Ele é Ogum Beira Mar No terreiro de umbanda Ele veio saravá
33 ÔÔ Ogum ÔÔ Ogunhê ÔÔ Ogum ÔÔ Ogunhê
Meu Senhor das Estradas Ogunhê; Abre meus caminhos, Ogunhê; Meu Senhor da Porteira, Ogunhê; Ele é meu pai Ogum Xoroquê…
ÔÔ Ogum ÔÔ Ogunhê ÔÔ Ogum ÔÔ Ogunhê ÔÔ Ogum ÔÔ Ogunhê
34 Filho de pemba, bebe agua no rochedo) filho de ogum, corre campo e não tem medo vou pedir ao criador, que levante o meu amor. aos nossos guias e ao nosso babalao)2x
35 Se sua espada é de ouro sua coroa é de rei
Ogum é Tata na Umbanda, seu Cangira é quem manda
36 La no oriente uma estrela brilhou, La no oriente uma estrela brilhou, Seu Ogum do Oriente é quem chegou.
37 Pode ser que esse de Querem destruir o meu reinado Mas Ogum tá de frente Mas Ogum tá de frente Eu sou filho de Ogum, o meu corpo é fechado Eu sou filho de Ogum, feitiço nenhum vai virar pro meu lado
38 ogum oyá ogum oyá è dìmínê ogum oyá ogum oyá è dìmínê ogum oyá è dìmínê roxúmucùmbá è dimin

 

Pontos Cantados de Yansã.

 

Eram duas ventarolas Duas ventarolas Que ventavam o mar Uma era Iansã Arerê A outra era Iemanjá E eparrê ============= Iansã o seu leque é de ouro Vem do céu, Oxalá quem mandou Para salvar os seus filhos Iansã Na hora da agonia e da dor ================ Oh Nanã , Nanã Boroquê Iansã moça rica Vem nos socorrer ================ Ela é, uma moça bonita Ela é, dona do Jacutá Parrê, parrê, parrê Minha Mãe tá no reino Com a pemba na mão E eu quero ver ================ Iansã cadê Axum Axum está nas ondas do mar Ela é dona de gongá Salve Axum Nanã ==================== Moça rica com sua espada luminosa Sua espada é cravejada de brilhantes Quimbanda auê, quimbanda auá Santa Bárbara do Jaracutá ============== Oh Inhacita, corre Umbanda Oh Inhacita Milonguê (bis) ================ Santa Bárbara virgem Dos cabelos louros Ela vem descendo Pela escada de ouro =============== Saravá Iansã Dos cabelos louros Seu luar tem prata Sua coroa tem ouro Ê, ê, ê, ê Ê, ê, ê, á Saravá Iansã Rainha do Jacutá ================= Cindá miná gonguê a ê a ê Cindá miná gongá Ai como cinda dê Ociará orô ==================== Oh minha Santa Bárbara É hora Filhos de Umbanda, Mamãe Sempre aqui choram ==================== Santa Bárbara aonde mora Mora dentro da lua Mora dentro do lajedo Mora dentro da lua ================== Guena, Guena, pô pô Vai n’Angola gira Samba rê rê, oh ! quirombô Santa Bárbara do Jaracutá ================== Minha Santa Bárbara Virgem da coroa Pelo amor de Deus Santa Bárbara Não me deixe a toa Minha Santa Bárbara Virgem da coroa A Coroa é dela Xangô É da pedra de ouro. ============= Iansã tem um leque de penas Pra abanar em dia de calor Iansã tem um leque de penas Pra abanar em dia de calor Iansã mora nas pedreiras Eu quero ver meu pai Xangô Iansã mora nas pedreiras Eu quero ver meu pai Xangô

 

Pontos Cantados de Yemanjá.

PONTOS DE IEMANJÁ
Quem quer me ver sobre a terra Quem quer me ver sobre o mar Sou a Cabocla Jandira Sou a Sereia do Mar Eruê ruê ruê Êruá ruá ruá Êruê ruê, Jandira ============== No fundo do mar Tem uma pedra De baixo da pedra Tem areia Em cima da pedra Tem uma santa Ela é Mamãe Sereia Mamãe Sereia No fundo do mar tem areia ============= Iemanjá Oh Iemanjá Seus filhos vêm trabalhar Salve a Sereia Proteção da falange do mar ============= O veado fugiu E Oxossi pegou na Bahia Segura o ponto de Mamãe Sereia Do mar Segura o ponto de Mamãe Sereia Do mar ============ Pus-me a escrever na areia Com conchinhas de Iemanjá Fiz ponto de Mãe Sereia Veio a onda desmanchar Pus-me contar as ondas Não pude acabar Vou pedir ao rei das águas Para o meu ponto firmar ============ Hoje é dia de Nossa Senhora De nossa Mãe Iemanjá Olundaê, ê, ê Olunda á, á, á Brilham as estrelas no céu Brilham os peixinhos no mar Olundaê, ê, ê Olunda á, á, á ============ Baixou, baixou A Virgem da Conceição Maria Imaculada Para tirar a perturbação Se tiveres praga de alguém Desde já seja perdoado Levando pro mar a dentro Pras ondas do mar sagrado ============ Quando a estrela vem saindo Quando a lua vem surgindo Fazendo clarão do mar Gira carorô, ê gira carorô á Gira carorô ê A nossa Mãe Iemanjá ============ E vem, e vem, e vem E vem beirando o mar E vem a Mãe Sereia Pra todo mal levar Eu sou aquela pequenina Que mora em alto mar Eu sou quem guia os navios Sou a Sereia Guiomar =========== Bem vinda, seja bem vinda A nossa Mãe que nos criou É a rosa Massumbebê É a rosa Massumbebá É a rosa Massumbebê É a nossa Mãe Iemanjá Passarinho preso canta Porque não sabe falar São Jorge é o rei da Terra Sereia a rainha do mar São Jorge é o rei da Terra Com licença de Oxalá ============ Nós aqui nesse Terreiro Pedimos a sua benção Tu és Rainha dos mares Senhora da Conceição ============ Eram duas ventarolas Duas ventarolas que sopravam sobre o mar Eram duas ventarolas Duas ventarolas que sopravam sobre o mar Uma era Iansã, Ieparrê A outra era Iemanjá, adoceáh Uma era Iansã, Ieparrê A outra era Iemanjá, adoceáh ========== Eu vou jogar Vou jogar flores no mar Eu vou jogar ! Uma promessa eu fiz Para Deusa do mar O meu pedido atendeu Eu prometi vou pagar Eu vou jogar Vou jogar flores no mar Eu vou jogar ! ========= ê Iemanjá ê Iemanjá Rainha das ondas, sereias do mar Rainha das ondas, sereias do mar Como é lindo o canto de Iemanjá Faz até o pescador chorar Quem ouvir a mãe d’água cantar Vai com ela pro fundo do mar Iemanjá ! Iemanjá é Rainha das ondas, sereias do mar Rainha das ondas, sereias do mar ========== O Janaina Princesa d’água Solte os cabelos Janaina E caia n’água ======== Janaina eehh Janaina eaahh Que vive na terra Que vive na lua Que vive na água Que vive no mar Me livre dos inimigos Me livre das aflições Me livre dos perigos Me livre das tentações Janaina eeh Janaina eah ======= O sereia o sereia vosso filho tá chamando sereia você tem que ajudar sereia

 

Pontos Cantados de Xangô.

 

PONTOS DE XANGÔ
Pedra rolou Xangô Lá na pedreira Segura a pedra meu Pai Na cachoeira Tenho o meu corpo fechado Xangô é meu protetor Firma seu ponto meu Pai Pai de cabeça chegou ============== Xangô, ele rei da pedreira Rei da pedreira ele é o rei de Umbanda Xangô ele é o nosso Pai E filhos de Xangô Bambeia mas não cai =============== Quem rola a pedra na pedreira é Xangô Quem rola a pedra na pedreira é Xangô Viva a coroa de Zambi Viva o meu Pai é Xangô Agodô E aqui neste reino ele está =============== Estava sentado na pedra Esperando meu Pai Xangô Xangô na Aruanda Xangô na quimbanda Xangô na linha das almas Com Ogum venceu demanda ============= Segura a pedra Xangô Não deixa a pedra rolar Pega no livro e na pena Para a justiça firmar ============ Eram seis horas Quando o sino tocou Na Marambaia Cidade da Jurema Eram dez horas Quando o galo cantou Com licença de Zambi Saravá Pai Xangô ============ Na pedreira da mata virgem Aonde mora meu Pai Xangô Água minou, Nanã Borocô Pedra rolou, saravá Pai Xangô ============ Quem de lê, quem de lê Xangô Ele filho da cobra coral Olha preto está trabalhando Olha branco não está olhando ============ Ô Gino olha a sua banda Ô Gino olha o seu gongá Aonde o rouxinol cantava Na pedra onde Xangô morava Ele Gino da cobra coral Ele Gino da cobra coral Ele Gino da cobra coral Kaô ========= Que pedreira tão alta Que nem limo criou Oh não me quebra pedra Que a morada é de Xangô ========== Seu Ariri, Ariri, Ariri Seu Ariri ele é o Rei da Mata Virgem Aonde o sabiá cantava Na pedra onde Xangô morava
Quando a lua aparece ========= Leão na mata roncou A passarada estremece Olha a coral que piou, piou, piou Olha a coral piou Salve o povo de Ganga ô Chegou seu Rei de Umbanda Saravá nosso Pai Xangô ========= (pólvora)
Lá no alto da pedreira A faísca vem rolando Agüenta a mão cabra de força Que a faísca vem queimando ======= Minha mãe cadê Xangô Xangô foi passear Minha mãe cadê Ogum Foi pra guerra guerrear ====== Lá em cima daquela pedreira Tem um lírio que é de Xangô (bis) Kaô, kaô, kaô, kabeci ======= Xangô meu Pai Deixa essa pedreira aí (bis) Umbanda tá lhe chamando Deixa essa pedreira aí ======= Sua machado é de ouro, é de ouro (bis) Machadinha que corta mironga É machadinha de Xangô ======= Meu Pai Xangô Olhai seus filhos Que eu também sou filho seu Kaô, Kabeci Saravá gongá (bis) ======= Xangô, Xangô, Xangô, Xangô meu Pai Foi o Senhor mesmo quem disse Filho de Umbanda não cai ========= Tererê Xangô, ô tererê Xangô Na calunga, Segura filhos de Umbanda Não deixa filhos cair ======== Por de trás daquela serra Tem uma linda cachoeira (bis) É onde mora o meu Pai Xangô Que arrebentou sete pedreiras ======= Xangô é dono da pedreira Segura o meu destino até o fim (bis) Se algum dia eu perder A fé no meu Senhor Rolai essa pedreira sobre mim Meu Pai Xangô ========= Oxossi é rei das matas Xangô é da pedreira Iansã da ventania Mãe Oxum da cachoeira Xangô, Xangô Xangô, kaô Kabeci ========== O lelê kaô O lelê kaô O lelê é de vangolé Lelê kaô ======== O Ganga ô A terra é da Jurema O leão é lá das matas A pedra é tão forte O rei, é Xangô ======== Xangô veio das virgens matas Com seu bastão de prata Para nos salvar Xangô kaô Xangô no reino é meu Senhor ========= Dê deloucau Dê deloucau auê Xangô, olha Ogum de o dé Olha Ogum de lê Xangô Olha Ogum de o dé Olha Ogum de lê ========== Oh rei do mundo Oh rei do mundo Dizem que Xangô Mandou girar Mas é com fé ========== Naquele tempo que Xangô recebia Com sua pena de ouro Xangô escrevia ========= Xangô está no céu Ai não está não Xangô está na Terra Ai não está não E ê ê ê ê Segura Umbanda, macumba – auê ========= Lá no reino de Badé Lué, lué Quem fala tem pouca fé Lué, lué Tem cheirinho de guiné Lué, lué Xangô no reino de fé ======= Graças a Deus, meu Deus Pelo dia de hoje Louvado seja Deus Meu Pai Xangô, muito obrigado Que Deus nos dê muita luz em nossos caminhos ======= Pedra rolou pra Xangô Lá nas pedreiras Afirma o ponto meu pai Na cachoeira Pedra rolou pra Xangô Lá nas pedreiras Afirma o ponto meu pai Na cachoeira Tenho meu corpo fechado Xangô é meu protetor Afirma o ponto meu pai Pai de cabeça é Xangô Tenho meu corpo fechado Xangô é meu protetor Afirma o ponto meu pai Pai de cabeça chegou ======= Quem rola as pedras na pedreira é Xangô Quem rola as pedras na pedreira é Xangô Giro na coroa de Zambi Giro na coroa de Zambi Giro na coroa de Zambi é Xangô Giro na coroa de Zambi Girooo Giro mas saravá meu pai Xangô Quem é quem vence as demandas ? Quem é o dono das Pedras ? é Xangô ===== Lá em cima daquelas pedreiras Tem um livro que é de Xangô Lá em cima daquelas pedreiras Tem um livro que é de Xangô Kaô, Kaô, Kaô cabeciem ====== Xangô morreu de velho Na pedra ele escreveu - Justiça meu Pai , Justiça ! Ganhou quem mereceu - Justiça meu Pai , Justiça ! Ganhou quem mereceu ==== Xangô meu pai deixa está pedreira aí Xangô meu pai deixa está pedreira aí que umbanda tá lhe chamando deixa está pedreira aí que a umbanda tá lhe chamando deixa está pedreira aí

 

Pontos Cantados de Oxossi.

 

 

PONTOS de OXÓSSI e dos CABOCLOS
Ai não me mexa na espada de Ogum Ai não me bula no machado de Xangô Ai não me toque no bodoque de Oxossi Ele é o rei das matas Ele é caçador =========== Os caboclos desceram Lá do alto da serra E traziam no peito Uma cobra coral (bis) Mas hoje é dia De alegria No terreiro de Umbanda Saravá meus Caboclos de ronda ============== Caçador na beira do caminho Ah não me mate a coral na estrada Ela saravou seu Sete Flechas na Aruanda Foi ao romper da madrugada Caçador ============= Vento que vem Oi que vem das matas Olhas as matas quebrando E os Caboclos chegando ============ Oxossi mora de baixo da gameleira Oxossi mora de baixo da gameleira Pai Ogum mora na lua Pai Xangô lá na pedreira ========= A mata estava escura Os anjos alumiou No meio da mata virgem Quando o seu Oxossi chegou Mas ele é o rei Ele é o rei Ele é o rei Mas ele é o rei Na Aruanda ele é o rei (bis) ======= Ele é Ubirajara Ele é Ubirajara Seu saiote é de pena Seu capacete é de Arara ======= Ele atirou Ele atirou ninguém viu (bis) Seu Sete Flechas é quem sabe Aonde a flecha caiu (bis) Ele atirou ======= O meu manacá Já não dá mais flor (bis) Ai eu vou plantar Uma semente do meu manacá Ai como é linda essa madrugada Povo de Umbanda vem trabalhar Tupinambá é Pai de Terreiro Tupinambá no reino está ===== Ê Oxossi ê Vem chegando de Aruanda Ê Oxossi ê Para salvar filhos de Umbanda Na curimba xö, xö , xö Na curimba xô, xô, xô Ë Oxossi, é de bamba é o clima ====== A sua mata é longe Ele já vai embora E vai beirando o rio azul Adeus Umbanda Os Caboclos vão embora E vão beirando o rio azul ===== Oh, que penacho é aquele Ë um penacho de arara É quem rompe a mata virgem É quem rompe a mata virgem É o Caboclo Ubirajara ======= Eu vi chover Eu vi relampear Mas mesmo assim O céu estava azul Firma seu ponto Companheiros da Jurema Oxossi é dono do Aracajá ======== Na sua aldeia tem os seus Caboclos Nas suas matas tem cachoeirinha No seu saiote tem pena dourada Seu capacete brilha na alvorada ======== Caboclo Roxo Da cor morena É Seu Oxossi Caçador da Jurema Ele jurou Ele jurara Pelos conselhos que a Jurema Vem nos dar ====== Caboclo apanha a sua flecha Pega o seu bodoque O galo já cantou O galo já cantou na Aruanda Oxalá te chama Para sua banda ========= Ê Juremê Ê Jurema Sua flecha caiu serena, ô Jurema Dentro desse gongá Sua flecha Caiu serena dentro desse Jacutá Saravá todos Caboclos Dentro desse gongá Ê Jurema ======== Jandira traz nos cabelos uma rosa Jupira traz no peito um jasmim Jussara é uma linda Cabocla de pena Jurema tem pena de mim Jurema, Jurema Jurema tem pena de mim =========== A Estrela Dalva é nossa guia Clareia o mundo sem parar Ilumina a mata virgem Cidade de Juremá Vinde, vinde companheiros Cocoro-co-có Companheiros da Jurema Aí de mim tem dó ======== Zun, zun, zun Aqui está o Nazaré Que veio das matas Pra salvar filhos de fé ======== Caboclo do Mato trabalha Com São Cipriano e Jacó (bis) Trabalha com chuva e com vento Trabalha com a lua e com sol =========== (descarga)
Corto língua Corto mironga Corto língua de falador Aonde ele pisa não há embaraço Chegou Ubirajara do Peito de Aço ========== Fui buscar em meu gongá O que eu deixei em Aruanda Aqui está o Caboclo Arruda Pra vencer essa demanda A falange de Arruda É cheia de boa vontade Vai pedir a Mãe Santíssima Nossa Senhora da Piedade ========= (pólvora)
Ele é caboclo Ele é flecheiro Bumba na calunga É matador de feiticeiro Bumba na calunga Quando eu vai firmar meu ponto Bumba na calunga Eu vai firmar é lá na Angola Bumba na calunga ======= Quem manda na mata é Oxossi Oxossi é caçador Oxossi é caçador Ouvi meu Pai assobiar Ele mandou chamar É na Aruanda ê É na Aruanda ê Seu Pena Branca de Umbanda É na Aruanda ê ======== Arreia capangueiros Capangueiros da Jurema Arreia capangueiros Capangueiros Juremá ======== Na sua aldeia ele é Caboclo É Rompe Mato É Arranca Toco Na sua aldeia Lá na Jurema Não se faz nada Sem ordem suprema ========= Seu capacete é todo branco Sua saiote é carijó Apanha laranja no chão Quem quiser Come manjar lá no céu Quem puder ========== Eles são três caboclos Caboclos do Jacutá Eles giram noite e dia Para os filhos de Oxalá Sete com mais sete Com mais sete, vinte e um Salvando os três sete Todos três de um a um Sete Montanhas giram Quando a noite vai chegar Seu irmão Sete Lagoas Quando o dia clarear E ao romper da aurora Até alta madrugada Gira o Caboclo Das Sete Encruzilhadas ============ Estou cansado De curimbar (bis) Lá na Jurema Tem Oxossi Branca Lua ============ Chegou, chegou Chegou, com Deus, chegou Chegou, O caboclo das Sete Encruzilhadas ============== (descarga)
Cortai, Cortai, cortou Cortai a mironga de um mal protetor Aonde eu laço Não há embaraço Cortai o laço De um braço de aço ======== Um instante meus irmãos Eu vos quero saudar Há muito que aqui ando Querendo vos ajudar
Sou filho de Urutã Nas matas onde eu nasci Lá recebi o nome De Caboclo Tururi
Meu Pai é Caboclo guerreiro Minha Mãe é Mamuri Quando quiseres auxílio É chamar por Tururi
Deus é Pai de todos Somos irmãos de Javari Quando tiveres demanda É chamar pelo Tururi
Quando tiveres demanda Dessas que vejo aqui Chamai pelo vosso irmão O Caboclo Tururi
Que Deus proteja a todos E dê forças ao chefe Timbiri Pois quem pede nesse momento É o Caboclo Tururi
Que o manto da Virgem Mãe A todos possa cobrir E que debaixo desse manto Trabalhe sempre Tururi
Boa noite meus irmãos Que a paz fique aqui Quem pede nesse momento É o Caboclo Tururi ============ O dia quando nasce Já vem rompendo aurora Clareia uma choupana Aonde Oxossi mora Já clareou Seu Sete Flechas Numa choupana Aonde Oxossi mora ============ Atira, atira, eu atirei No bambá eu vai atirar O veado no mato é corredor Oxossi na mata é caçador ============ Enfeitei a Cabocla de Pena Soltei na mata para passear Botei dois índios para procurar Pra ver a força que a Jurema tem =========== O meu São Sebastião Fostes preso e amarrado Livrai-nos dos inimigos Que nos traz acorrentado ============ Cadê seu Sete Folhas Da raiz do Oricá Vai chegar Seu Sete Folhas Com licença de Oxalá ============== Na mata virgem A coral piou Um filho passou e ficou escutando Cadê Seu Pena Branca de Umbanda Que até agora ainda não chegou ============ Luar, luar Caboclo da Lua já chegou Vai dizer a sua mãe Que o Terreiro ele salvou =========== Eu corre terra, eu corre mar Até que eu cheguei Em minha Pais Ora viva Oxossi das matas Que a folha da mangueira Ainda não caiu =========== Ajoelha caboclo Tu não é judeu Tu foi batizado Pela lei de Deus Padrinho e Madrinha Foi Deus quem te deu Meu Ananá, meu Ananá ============ Com sete meses de nascido A minha mãe me abandonou Salve o nome de Oxossi Foi Tupi quem me criou Vinde vinde companheiros Co co ro co có Companheiros da Jurema Ai de mim tem dó ============== Umbanda, quando chega no reino De todo mundo Quer saber sua nome (diz seu nome) Umbanda, é de Oxossi Maê De todo mundo Ele já sabe o nome =========== Rompendo matos e ventos Para seus filhos salvar Chegou, chegou agora O Caboclo Janguará Lá na Aruanda Onde o galo cantou Trabalhos de Janguará Nosso Senhor coroou Chegou, chegou Deixa meu povo chegar Chegou o rei dos Bugres Com Caboclo Janguará ========== Caiu uma folha na Jurema Veio o sereno e molhou E depois veio o sol Enxugou, enxugou E as matas se abriram Toda em flor ========= Nós somos dois guerreiros Dois irmãos unidos Meu nome é Tupaiba Sou filho de Aimoré Da tribo dos Guaranis Meu irmão chama Peri ====== Mangueira, mangueira Mangueira de Umbanda Folhas por folhas Umbanda Lá no mato tem Umbanda Vamos cruzar Para salvar Filhos de Umbanda com seu patuá ======== E vem a barra do dia Juntamente com a barra do mar É a falange do Sete Estrelas Que veio trabalhar Estrela ô, estrela ô Estrela que é nossa guia Chegou seu Sete Estrelas Com Deus e a Virgem Maria ========= Chegou Urubatã de Guia Que veio para seus filhos salvar Rebenta corrente de ferro e de aço Estoura cadeias de bronze O sol e a lua vem saindo E vem a Estrela da Guia Eu trago em meu bronze gravado O nome da Virgem Maria ======== Lá bem no alto da serra Eu escutei uma coral piá Era uma linda jibóia Ferida com a flecha de Tupinambá ======= É lá na Jurema Que o caboclo luta E vence demanda Com Oxossi seu rei Com o arco e a flecha E o canto de guerra Atira-se a luta E sai vencedor De joelhos em terra O chefe da tribo Agradece a vitória A Jesus Redentor ========= Ele veio de tão longe Da cidade da Jurema Saravá seu Branca Lua Vem com a ordem suprema ========= Quando a Aruanda se abre Eu quero ver quem é É o teimoso de Aruanda É o Caboclo Rei Guiné ========= Com tanto pau no mato Eu não tenho guia Caboclo Vira Pau vai trazer a guia Com tanto pau no mato Eu não tenho guia Eu trago esta pemba Pra cruzar a guia ========== Sobe serra, desce serra Serra verde aonde estás Pombinhas bateu asas Bateu asas e voou Papai eu sou guerreiro Maná Mamãe caminhos que vai =========== Eu sou Caboclo da mata fechada Eu sou Caboclo em qualquer lugar Eu não apanho a folha da Jurema Sem ordem suprema do Pai Oxalá ========== Ô Humaitá, Humaitá filhos de Umbanda Ô Humaitá, Humaitá venceu demanda ========== Eu vim da mata Ô que mata é a sua Eu vim da mata Ô que mata é a sua É de lá do Oricá Aonde pia a cobra Aonde canta o sabiá Eu vim da mata Sou da tribo do Guajá Eu vim trazer minha falange Para vir descarregar =========== Na mata virgem a coral piou O sino bateu O galo cantou Cadê Seu Sete Flechas de Umbanda Há muito tempo que eu lhe chamo Ele aqui não aparece ============= (surra)
Ai quem cortou meu pé de árvore Ai não fui eu Oxossi Onde eu passava o meu dia Ai não fui eu Oxossi Que puderam lhe fazer Foi amarrar de pé e mão Amarrado num tronco de árvore Ai como um cão Cão de verão Ai quem cortou meu pé de árvore Ai não fui eu Oxossi Ai foi São Jorge quem mandou Ai não fui eu Oxossi E depois de tudo isso As sete flechas ele alcançou São Jorge gritou na Aruanda Foi seu irmão quem te amarrou ========== Como é lindo o sol Como é linda a lua Como é lindo o sol Seu Sete Flechas é rei da lua ======= A minha gongo Está roncando Lá nas matas, está roncando Pra chamar filhos de fé Ronca, ronca minha gongo E vem chegando A tribo dos Aimorés A minha gongo Está roncando lá nas matas E os Caboclos estão tocando maracá Ronca, ronca, minha gongo E vem chegando o velho Tupinambá ======= Mas olha que Caboclo lindo Que Oxossi mandou saravá Pena Dourada na linha de Umbanda Caboclo Roxo na lei de Oxalá ====== Oi quem brilha no céu É a Lua Nova (bis) ======== A estrela brilhou no céu A terra estremeceu Aonde estão os capangueiros da Jurema Que até agora não apareceu (bis) ========= Vem o sol saindo Com os raios brilhantes No terreiro de Umbanda Raio de Sol vem trabalhar O veado na mata Ele corre, ele corre E Oxossi nas matas Ele vai laçar ======== Nesse mato tem folha Tem Sete Estrelas que nos alumia Alumia o mundo Estrela Alumia o mundo Estrela ========= Mas ele é capitão da Marambaia Mas ele é capitão da Marambaia (bis) Mas ele é Oxossi na Arucaia ============ (descarga)
Que bombardeio que se deu lá na Jurema Até sua palhoça Oxossi quis abandonar Mas ele é Caboclo de pena da Jurema Que veio para seus filhos saravá ======= Nasci na mata Da mata não tenho medo Nasci na mata Embaixo do arvoredo Nasci na mata Da mata não tenho medo Nasci na mata Embaixo do arvoredo ======== Oxossi é cassuté de Umbanda Na Aruanda Olha na Aruanda auê (bis) Ô na Aruanda ======= Oxossi é dono do Aracajá Oxossi é dono do Aracajá ======== Salve o Caboclo das Matas Salve o Caboclo Costeiro Que ronda a beira das praias E é filho lá do coqueiro ============== Caboclo do Mato O que é que você quer Folhas verdes de guiné O zum, zum, zum, aruê O zum, zum, zum Nazaré ============= Estrela, matutina Clareia o mundo , sem parar Estrela clareou Seu Sete Flechas Que mora na raiz do Oricá Estrela clareou Seu……. Ê, ê, ê, ê, ê á =========== Oriri, Oriri, Orirá Samba Guaiá Samba Guaiá Oriri, Oriri, Orirô Samba Guaiô Samba Guaiô ========== Oh viva Oxossi ê Oh viva Oxossi ê á Ele é Caboclo do mato Oh Viva Oxossi ê, minha Pai ========== Oh cindarerê, oh cindarerá Oh viva Oxossi ê ê Sua coroa vamos salvar É de bamba é o clima O mundo é de Oxalá Oh viva Oxossi ê ê Sua coroa do Jacutá =========== (atrair obsessor)
Eu fui no mato caçar serió, serió Mas quando é tempo de calor Ora bate com pé Suspende o pó Serió, serió, serió =========== (descarga)
Oh meu Deus lá nas alturas O meu Pai é o Caboclo Gira Mundo Tumba, que tumba, que tumba, auê Meus inimigos não podem vencer ======== Caboclo Jaracutinga Bebe água no coité Tira ponto na Jurema Atira flecha sem ver ========= Ele é caboclo da Terra da Jurema Apanha pemba, risca ponto Filhos de Umbanda, vem trabalhar ======= Ele é Sete Cachoeiras, orerê Olha Madeodé, Madeodé, Madeodé Olha Madeodé Sobe serra, desce serra orerê Olha Madeodé, Madeodé, Madeodé ======== Ele vem das matas Ele vem girar Ele gira com o sol e a lua Ele gira com o vento e o mar ======= Salta pra aqui Iracema Quem te chama é Tabajara Vem linda como Açucena Entre espinhos da Jussara Coroa troa nas matas Em busca do Pitangui Salta para aqui Iracema Quem te chama é Tabajara Vem linda como Açucena Entre espinhos da Jussara ============ Ai se não fosse a folha da Jurema Lá nas matas O que seria do Caboclo Juruá Ai a Jurema, Jurema, Jurema Ai a Jurema do Caboclo Juruá ======== No meio da mata virgem A coral piou Com sua capacete Ele saravou, ele saravou ============ Sá Macutara mironga de Umbanda Me corre nas matas, me corre ê Sá Macutara mironga de Umbanda Me corre nas matas ta ta ruê =============== Caça, caça, caçador Caçador de Aruanda O caça, caça, caçador Foi Oxossi quem mandou =============== Duas estrelas me alumiam Oh Aimoré more Dois anjos me acompanham Encruza flecha com lança Oh Aimoré Encruza lua com sol ========== É o caçador, é o caçador O caçador é o anjo adivinhador Terreiro de Umbanda que vem Zamburá É o caçador que veio aqui caçar ========= De onde vens Timbí Venho do reino do céu Descamba a ladeira Oh Timbí Passa pro lado de cá ================ Ai Jesus Jesus morreu na cruz Chegou Araribóia Salvar Jesus da cruz
============== Ô viva Oxossi ê Ô viva Oxossi á Oxossi é um grande Caboclo guerreiro Ô viva Oxossi ê Oxossi é dono da pemba Oxossi é rei do gongá Quando um filho cai em falta Oxossi manda castigar ============= Mas como é lindo O clarão da lua Oxossi pra vim na cidade Só anda no meio da rua ========= Lua Nova que brilha no céu Cravejada de ouro, Massumbebá Olha Massumbebê, olha Massumbebá =========== Caboclo vem da mata Vem comendo Sapucaia Maia cadê, Caboclo Maia dendê Maia cadê, Caboclo Maia dendê =========== Simiromba vem Simiromba Com a cruz na mão Simiromba Como ele vem contente, Simiromba Trazendo a sua redenção, Simiromba Bate, bate, bate, bate, Simiromba Ora tornas a bater, Simiromba =========== Os Caboclos lá nas matas E as cigarras nas árvores cantando E eu aqui no Terreiro Com seu ponto afirmando ========== Foi Zambi quem criou o mundo É Zambi quem vai governar Foi Zambi quem criou as estrelas Que ilumina Oxossi Lá no Juremá Coquê, coquê, coquê Coquê, meus Caboclos, coquê ========== Seu Branca Lua quando vem d’aldeia Ele traz na cinta uma cobra coral Oh, é uma cobra coral ======= Ele é Caboclo, é Flecheiro atirador E na Umbanda Seu Tupi é vencedor ======= Dentro da mata virgem Uma linda cabocla eu vi Com seu saiote Feito de penas É a Jurema filha de Tupi Com seu saiote Feito de penas É a Jurema filha de Tupi Jurema. Jurema , Jurema Linda cabocla, filha de Tupi Ela vem, lá da Juremá Vem firmar seu ponto Nesse congar Ela vem, lá da Juremá Vem firmar seu ponto Nesse congar ========== Caboclinha da Jurema Onde é que você vai ? Vou pra casa de Odé, no terreiro de meu Pai De Aruanda êee De Aruanda aah De Aruanda êee caboclinha de pemba De Aruanda aah =========== Caboclo roxo Da pele morena É Seu Oxóssi Caçador lá da Jurema Ele jurou e tornou a jurar E ouviu os conselhos Que a Jurema vai lhe dar ======= Quem manda na mata é Oxóssi Oxóssi é caçador Oxóssi é caçador Eu vi meu pai assobiar Eu já mandei chamar Eu vi meu pai assobiar Eu já mandei chamar É de Aruanda êeee É de Aruanda aaaa Seu Pena Branca é Aruanda É de Aruanda aaaa ========= Não chores não caboclinho Pra que chorar A casa é sua caboclinho Prá trabalhar Oi olhe agora E venha receber Ogum de Ronda Meu Pai Baluaê ===== Curimbembê, Curimbembá Sete Flechas um grande orixá Com sete dias de nascido A Jurema o encontrou Deitado na folha seca O caboclo ela criou Curimbembê, Curimbembá Sete Flechas um grande orixá Nasceu na mata de Oxóssi Na aldeia de Juremá O caboclo Sete Flechas Iluminado por Oxalá ====== Oxóssi êeee Oxóssi aaaaa Oxóssi é marambolê, marambolá Quem é aquele que vem lá de Aruanda Montado em seu cavalo Com seu chapéu de banda Ele é Oxóssi de Aruanda eeeeee Ele é Oxóssi de Aruanda aaaaa ======== Caboclo venceu demanda Para o povo de Umbanda Na ponta da sua flecha Quando veio de Aruanda Venceu… Caboclo venceu… No fundo da mata virgem Oxalá gritou - Esse filho é meu !!! Esse filho é meu !!! ======== Onde está a Jurema? A Jurema a onde está ? Tá procurando os capangueiros Que ainda estão na Juremá Quem mandou chamar Em nome do Pai Oxalá? Foi seu Oxóssi caçador Que já baixou nesse congar Salve todo o povo da Jurema Salve sua luz Seu jacutá Levando a todos lares e seus filhos Trazendo paz e amor Na fé de Oxalá ======= Oxalá chamou ! Oxalá chamou e já mandou buscar Os caboclos da Jurema Pro seu Juremá Pai Oxalá É o rei do mundo inteiro Já deu ordens pra Jurema Chamar seus capangueiros Mandai, Mandai Minha cabocla Jurema Os seus guerreiros Essa é a ordem suprema !! ====== Ogan segura o toque Com Deus e a Virgem Maria Ogan segura o toque Com Deus e a Virgem Maria Por Oxalá Meu Pai Saravá Seu Ventania Por Oxalá Meu Pai Saravá Seu Ventania ========== Um grito na mata ecoou Foi seu pena branca que chegou Com sua flecha Com seu cocar Seu Pena Branca vem nos ajudar Com sua flecha Com seu cocar Seu Pena Branca vem nos ajudar =========== Saravá seu Pena Branca Saravá seu apache Pega flecha e seu bodoque Pra defender filhos de fé Ele vem de Aruanda Trabalhar neste casuá Saravá Seu Pena Branca No terreiro de Oxalá Sua flecha vai certeira Vai pegar no feiticeiro Que fez juras e mandingas Para o filho do terreiro Pega o arco , atira a flecha Que esse bicho é caçador Além de ser castigo Ele é merecedor ======== Ele atirou Ele atirou e ninguém viu Só seu Flecheiro é que sabe A onde a flecha caiu Ele atirou!
========= Tupinambá é canga na batalha Tupinambá ee Tupinambá Tupinambá guerreiro de Oxóssi Tupinambá ee Tupinambá Tupinambá vem defender seus filhos Tupinambá ee Tupinambá Só não apanha Folha da Jurema Sem ordem suprema Do Pai Oxalá Só não apanha Folha da Jurema Sem ordem suprema Do Pai Oxalá ========= Tava na beira do rio Sem poder atravessar eu chamei pelos caboclos Caboclo Tupinambá eu chamei pelos caboclos Caboclo Tupinambá Tupinambá chamei Chamei tornei chamar eaahhh Tupinambá chamei Chamei tornei chamar eaahhh ========= Ele é caboclo ele é Flexeiro tumba la catunga e matador de feiticeiro tumba la catunga ele vai firma seu ponto ele já firmo é na Angola oi tumba la catunga

 

Pontos Cantados de Nanã Buruke.
                                 

 

1.
Atraca, atraca Que aí vem na onda, é Nanã É Nanã, é Oxum, É quem vem saravar, ei ah É Nanã, é Oxum, É a sereia do mar, ei ah
 2.
São flores, Nanã, são flores São flores, Nanã Burukê São flores, Nanã, são flores, Do seu filho Abaluaê Nas horas de agonia É ele quem vem nos valer É ele, Nanã, é meu Pai, É seu filho Abaluaê
 3.
O mar roncava, entre as pedras se batia Ao gemido da mãe d’água, A sereia respondia São flores, são flores... São flores, Nanã Buruquê São flores, são flores
 4.
Minha mãe é Nanã É o Orixá mais velho do céu Nanã, oh Nanã Buruquê Firma seu filhos, agora eu quero ver Senhora Santana Dai-nos vossa proteção Valei-nos avó de Aruanda Valei-nos com sua benção Com seu manto consagrado Com sua estrela bendita Valei-nos senhora Nanã Livrai-nos das horas aflitas
 5.
Saravá Nanã, oi Nanã Buruquê A sua saia é roxa O seu telhado é de sapê.
 6.
Nanã, oh minha mãe Nanã Protege os seus filhos Segure o meu Congá Eu sou de Jurema E eu quero trabalhar
 7.
Nanã vem das neves, Ela vem das ondas do mar Saravá Oxumaré Saravá a sereia do mar Saravá Nanã Buruquê Saluba
 8.
Atraca, atraca, que eu vi Nanã Bangu, Bangulê Atraca, atraca, que eu vi Nanã auê Atraca, atraca, que eu vi Nanã Que eu vi Nanã Buruquê Pergunte à sua canhanha Se eu vi Nanã, se eu vi Nanã Buruquê
 9.
Senhora Santana, mãe de misericórdia Eu vou pedir a ela Pra ela pedir a Deus Oh, minha mãe, rogai por mim
 10.
Nanã é mãe dos Orixás Está na terra e na cachoeira e está no mar Eu vou pedir à boa Nanã Que abençoe seus filhos e seu Ogã
 11.
Oh Nanã, cadê Oxum Oxum tá nas ondas do mar Ela é dona do reinar Salve Oxum
 12.
  Oi nas ondas do mar eu vi Nanã Oi Nanã Buruquê Oi nas ondas do mar
 13.
Oh Yemanjá, oh Yemanjá Que linda sereia nadando Areia nas águas do mar Vai dizer pra Santana Que toda semana eu rezo pra ela Em seu louvor É Nanã Buruquê
 14.
Nas cachoeiras de Nanã Buruquê Só se lava a cabeça do filho de Umbanda Quando é pra valer Mas se você não é, então não vai lá Porque Nanã Buruquê, meu filho Pode não gostar
 15.
Maleime Velha Nanã Maleime Deus é quem dá Maleime Meu Pai Oxossi Maleime Maleime Deus é quem dá Maleime Velha Nanã Maleime Deus é quem dá Maleime Meu Pai Xangô Maleime Maleime Deus é quem dá Maleime Velha Nanã Maleime Deus é quem dá Maleime Meu Pai Ogum Continua.......para todas as linhas

 

Pontos Cantados de Oxum.

 

 1.
Olha o barquinho de Cinda Cinda é quem vem trabalhar Cinda é Mamãe Oxum, aiêiêo Cinda é a Cobra Coral
 2.
Oxum estava na beira do rio Colhendo lírios pro seu Congá Iluminou lá na pedreira Os lírios brancos da cachoeira
 3.
Eu sou da mina Eu sou da mina de ouro Onde mora mamãe Oxum Guardiã do meu tesouro Mamãe Oxum rainha cheia de luz Cubrai-nos com vosso manto Rogai por nós a Jesus
 4.
No céu uma estrela vem brilhando Nas águas o amor refletindo Aiêiê Oxum De alegria estou sorrindo Também nas cachoeiras Tem a força de Oxum Oxum é minha mãe E meu Pai é Ogum aiêiê
 5.
Se minha mãe é Oxum Na Umbanda e no Candomblé Aiêiê, aiêiê, minha mãe Aiêiê, minha mãe Oxumaré Mas ela vem beirando o rio Colhendo lírios pra nos ofertar Aiêiê, aiêiê minha mãe Orixá desça e vem nos abençoar
6.
Eu vi mamãe Oxum na cachoeira Sentada na beira do rio Colhendo lírios, lírios ê Colhendo lírios, lírios á Colhendo lírios pra enfeitar nosso Congá
 7.
Oxum, Oxum Oxum é minha mãe É a rainha do meu congá
 8.
Meu pai me diga quem é Quem é que vem de Aruanda É mamãe Oxum, das cachoeiras Meu pai me diga quem é Quem é que vem de Aruanda É mamãe Oxum na lei de Umbanda
 9.
Mamãe Oxum chegou Na gira dos Orixás E traz das águas dos rios Sua mensagem de paz Mamãe Oxum, malei-me mamãe Oxum Olhai pros seus filhos da gira Na fé de meu pai Ogum Oi gira gira gira Oi gira e torna a girar Pra chamar povo de pemba Na gira dos Orixás
 10.
A água que sai da cachoeira E vai correndo pelo rio afora Salve Oxum! Salve Yemanjá Salve Nanã! Salve a sereia do mar
 11.
Ela é flor de maio Se a minha mãe é linda flor de maio Arerê É flor de maio
 12.
Mamãe Oxum dona dos rios e dos lagos Mamãe Oxum olha nossos lares Ela vem na banda nos traz felicidades Mamãe Oxum, quando vai deixa saudades
 13.
No alto da cachoeira Tem uma gruta do lado de lá Tem um banquinho de ouro, mamãe Onde Oxum vai se sentar
 14.
Eu vi mamãe Oxum Sentada na cachoeira E ela cantava tanto Chamava Ogum para jurar bandeira
 15.
ÁGUAS DE OXUM
O rio é de Oxum, aiê-iê-o O lago é de Oxum, aiê-iê-o Águas de Oxum, aiê-iê-o Aiê-iê, Oxum, aiê-iê Águas de Oxum, aiê-iê-o Aiê-iê, Oxum, aiê-iê Água da cachoeira, aiê-iê-o Força da cachoeira, aiê-iê-o Água cristalina, aiê-iê-o Aiê-iê, Oxum, aiê-iê Águas de Oxum, aiê-iê-o Aiê-iê, Oxum, aiê-iê O rio passa na mata, aiê-iê-o Na pedra uma cascata, aiê-iê-o Oxóssi e Xangô, aiê-iê-o Aiê-iê, Oxum, aiê-iê Águas de Oxum, aiê-iê-o Aiê-iê, Oxum, aiê-iê Um vento na campina, aiê-iê-o O rio corta a campina, aiê-iê-o Iansã e Ogum, aiê-iê-o Aiê-iê, Oxum, aiê-iê Águas de Oxum, aiê-iê-o Aiê-iê, Oxum, aiê-iê O rio encontra o mar, aiê-iê-o Nos braços de Iemanjá, aiê-iê-o Mãe de Oxalá, aiê-iê-o Aiê-iê, Oxum, aiê-iê Águas de Oxum, aiê-iê-o Aiê-iê, Oxum, aiê-iê.
 16.
Arerê... arerê mamãe Oxum Arerê mamãe Oxum! Arerê Oxumaré
 17.
Com sua saia bordada de ouro E o seu saiote todo rendado Auê oh minha mãe Oxum auê Os anjos do céu dizem amém.
 18.
Caiu uma estrela dentro desse Congá Era uma estrela azul Era uma estrela bendita Do manto sagrado da mamãe Oxum
 19.
A Lua vem surgindo Por detrás da cachoeira Arerê mamãe Oxum... Arerê Oxumaré
 20.
Oxum linda morena Pra você eu vou girar O teu canto de sereia Agora vai me encantar Se você inda não sabe Quem é este Orixá É Oxum a mãe do ouro Rainha deste Congá
 21.
Oxum e mamãe Yemanjá És a rainha do céu, és a rainha do mar Oxum vem acender os candeeiros Iluminar nosso terreiro E a seus filhos abençoar
 22.
Mamãe Oxum, mamãe Oxum Mamãe Oxum, Nanã Me leva pras águas claras Eu quero ver a sereia cantar Eu quero ver os caboclinhos da areia Trabalhando pra mãe Yemanjá
 23.
Mamãe Oxum, mamãe Oxum lá do infinito Ai vem ouvir, ai vem ouvir o nosso pranto Nós te adoramos com amor e com carinho Na esperança de sentir o vosso manto Mamãe Oxum, que vem de Aruanda Com o divino espírito santo Vem salvar filhos de Umbanda
 24.
Estrela D’Alva, estrela que brilha É a mamãe Oxum É a mamãe Oxum que ilumina Ilumina a terra, ilumina o mar Estrela matutina que ilumina esse Congá
 25.
Eu fui na cachoeira chorando Levava comigo uma dor Ela surgiu dentre as águas Olhando me disse assim “Não chores meu filho querido Pois sempre ao seu lado estarei” Ela me deu uma rosa E entre as flores desapareceu Arerê! Arerê! Arerê mamãe Oxum olha eu
 26.
Salve a Estrela Guia Salve o Cruzeiro do Sul Salve nossa Mãe Santíssima E o manto sagrado de Mamãe Oxum
27.
Nas águas serenas da lagoa Uma estrela apareceu E foi como num sonho A estrela desapareceu Eu seu lugar eu vi A deusa das águas aparecer Formou-se arco-íris Eu gritei para ele me valer Oxum, Oxumaré venha me socorrer
28.
Oxum, teu nome eu trago Na palma de minha mão Oh! Oxum, teu filho roga De ti muita proteção
 29.
Eu vi, eu vi Nanã, eu vi Oxum na beira do rio As aves cantam ao romper da Aurora É Mamãe Oxum que vai chegar agora
 30.
Foi na beira do rio aonde Oxum chorou Chora iêiêiêô, choram os filhos seus
Subida de Oxum
 1.
Mamãe Oxum Salve a banda da senhora Mamãe Oxum Aiêiê já vai embora
 2.
O rio que te trouxe É quem te leva pro mar Auê, auê, auê seu canzuá
 3.
E vai, vai, vai E vai beirando o rio E vai mamãe Oxum Para todo mal levar

 

Pontos cantados de Preto-velhos

 


Louvação aos Pretos-Velhos Olelê meu Deus do céu que alegria O Preto Velho não carrega soberbia Meu Deus do céu isto aqui eu preferia A Estrela D’Alva no ponto do meio-dia Eu vou plantar neste quintal pé de pinheiro> Para mostrar como se quebra macumbeiro>bis Olelê meu Deus do céu que alegria O Preto Velho não carrega soberbia Meu Deus do céu isto aqui eu preferia A Estrela D’Alva no ponto do meio-dia Galo penacho bota macho na campana> Neste terreiro galo velho não apanha> bis
xxxxxxxxxxxxxxxxx Chora meu cativeiro> Meu cativeiro, meu cativerá> Ora, chora> bis Preto Velho que veio da Costa Que veio do Congo, Luanda e Guiné Preto Velho de Nossa Senhora Vem no terreiro olhar filhos de fé Chora meu cativeiro> Meu Cativeiro, meu cativerá> Ora, chora> bis
xxxxxxxxxxxxxxxx
Pai Guiné
É o vento que balança a folha Guiné É o vento que balança a folha É, é, é Pai Guiné É o vento que balança a folha
xxxxxxxxxxxxxxxxxx
Pai João de Angola · ·
Na Angola tem um velho Que caminha devagar Chama Pai João Vamos saravar
Pai Benedito de Angola · · Pai Benedito veio de Angola Pai Benedito veio de lá Firma a cabeça pra Pai Benedito Vir trabalhar neste conga
xxxxxxxxxxxxxxxxxx
Pai Benedito
Quem é aquele velhinho Que vem no caminho Andando devagar Com seu cachimbo na boca Pitando a fumaça e jogando pro ar Ele é do cativeiro > bis É Pai Benedito, ele é mirongueiro> bis
xxxxxxxxxxxxxxxxxx
Firma ponto minha gente Preto velho vai chegar Ele vem de Aruanda Ele vem pra trabalhar Saravá o Preto Velho Saravá, saravá, saravá, Ele chegou no terreiro Ele vem nos ajudar
xxxxxxxxxxxxxxxxx Preto Velho tá quebrado> De tanto trabalhar> Preto Velho tá cansado> De tanto curimbar> bis Firma ponto, risca pemba> Que é longa a caminhada> Quem tem fé, tem tudo> Quem não tem fé, não tem nada> bis
xxxxxxxxxxxxxxx
Meu pito tá apagado> Minha marafa acabou> Vou trabalhar pra suncê> Porque sou trabalhadô> bis Eu vou trabalhar> Suncê vai ganhar> Muito bongo, meu filho> E depois vem me pagar> bis
xxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Quenguelê, Quenguelê, Xangô> Ele é filho da cobra coral >bis Olha o preto está trabalhando E o branco não está, está olhando… Chora meu cativeiro, meu cativeiro> Meu cativerá> bis No tempo da escravidão Preto Velho sempre trabalhou Sentado na sua senzala Batia tambor, saravá pai Xangô
xxxxxxxxxxxxxxx
Bate tambor lá na Angola> Bate tambor> 3 x bis Pai Maneco bate tambor Pai José bate tambor Pai Joaquim bate tambor Bate tambor lá na Angola Bate tambor> bis
xxxxxxxxxxxxxxxx
Preto Velho que coisa é essa> Que me deixa o corpo mole>bis É mironga de Terreiro Preto Velho vai tirar Vai fazer reza bem forte Pra mandinga afastar Preto Velho que coisa é essa> Que me deixa com o corpo mole>bis Parece que é coisa feita Preto Velho vai tirar Mas não fique assustado Deste mal vou lhe livrar E depois você vai embora Vai pra casa descansar E depois que passar o tempo Volte aqui me visitar
xxxxxxxxxxxxxx
Quem é aquele velhinho Que vem no caminho Andando devagar Com seu cachimbo na boca Pitando a fumaça e jogando pro ar Ele é do cativeiro Ele é Preto Velho Ele é mirongueiro
xxxxxxxxxxxx
Na fazenda de Santa Rita Nego duro de se acordar Não trabalha porque não quer Tem cavalo pra arriar
xxxxxxxxxxxxxx
Não vou plantar café de meia Eu vou plantar canavial Café de meia não dá lucro Sinhá dona Canavial, marafo dá Amarra o boi, Preto Velho > Na porteira do congá > bis
xxxxxxxxxxxxxx
Eiê, eiê, eiê, eiê, eiê Oi, eiê, eiê, eiê, eiá> O jongo é bom de lascar> no terreiro de dona Sinhá> bis Preto Velho baixa na terra Faz coisas de admirar Planta um pé de banana Na mesma hora ela dá O tronco solta o cacho Se vê amadurecer Preto Velho tira a banana E dá pra todos comer Isto que quero ver> Pai de Santo que saiba fazer> bis Oiê, Senhor Macuta Oiê Senhor Macutá Ele vem de Angola Senhor Macutá Chegou agora, Senhor Macutá Com a mão na pemba Alcançou vitória, Senhor Macutá.
xxxxxxxxxxxxxxxx
Tia Maria da Bahia Ê Tia Maria, preta velha da Bahia> Refrão Segura a barra da saia Dança na ponta do pé Quando pega no rosário Traça Umbanda e Candomblé, Tia Maria Refrão Rezadeira de quebranto Mal olhado e desencanto Feiticeira, curandeira Dobradora de Junqueira, Tia Maria Refrão Ninguém segura seu ponto Sua pemba e muita fé E quem quiser falar com ela Ganha figa de guiné, Tia Maria Refrão
xxxxxxxxxxxxxxxx
Tia Maria de Mina Quem é a preta velha sentada no toco Meu Senhor das Almas, me diga quem é? É Tia Maria de Mina, meu filho Trabalhando com fé Trouxe arruda e guiné
xxxxxxxxxxxxxxxxxx
Mãe Maria de Mina Mãe Maria de Mina vem de Aruanda Pra salvar seus filhos Pra vencer demanda Oh preta velha você não me engana Amarra a saia com palha de cana E o cigarro que ela fuma É de palha de Aruanda

 

                          

 

PONTOS DE SUBIDA DE PRETO VELHO
Lá vai preto velho, Subindo pró céu, E Nossa Senhora, cobrindo com o véu.
Ai, ela vai embora, Sacode a poeira da sua saia, Sacode a poeira da sua saia, Sacode a poeira da sua saia, Preta velha, vai embora, etc…
xxxxxxxxxxxxxxxx
Adeus Umbanda, Umbanda de alegria, Fiquem com Deus e Nossa Senhora, e até outro dia.
xxxxxxxxxxxxxxxx Vovó já vai, Já vai pra aruanda. Abenção vovó, Proteção pra nossa banda.
Xxxxxxxxxxxxx
“Os quindins, os quindins, os quindins Ô Mujongo Olha lá no mar Olha lá no mar ô Mujongo Olha Mujongo no mar A sua Terra é muito longe Ô Mujongo Ninguém pode ir lá Ninguém pode ir lá, ô Mujongo Olha Mujongo no mar”
“Estão assoviando lá na Aruanda Congo e Mujongo estão lhe chamando Adeus, adeus Que eu vá embora Fiquem com Deus e Nossa Senhora”

 

 


PONTO DE MARINHEIRO:
Navio Negreiro no fundo do mar Navio Negreiro no fundo do mar Correntes pesadas arrastando na areia A negra escrava se pos a cantar A negra escrava se pos a cantar Saravá minha Mãe Iemanjá Saravá minha Mãe Iemanjá Virou a caçamba pro fundo do mar Virou a caçamba pro fundo do mar Quem me salvou foi mãe Iemanjá Quem me salvou foi mãe Iemanjá .
PONTO DE MARINHEIRO (Domingos dos Santos)
Salve seu Marinheiro ! Salve !
Ó meu Deus, mas como é triste, Ser Marinheiro nas ondas do mar. (b is)
E na proa do meu navio, Só vejo a sereia cantar, Não vejo terra, só vejo é mar, Só vejo a sereia cantar. (bis) xxxxxxxxxxxxx
Ó marinheiro é hora, É hora de trabalhar. (bis) * É céu, é mar, é terra, É o Marinheiro no balanço do mar. (bis)
xxxxxxxxxx Sou Marinheiro, Tenho minha embarcação. (bis) * E por onde eu navego, Eu levo Cosme e Damião. (bis)
xxxxxxxxxx Adeus pessoal, adeus, Adeus que eu já vou embora, Foi no balanço do mar que eu vim, É no balanço do mar que eu vou embora. (bis)
xxxxxxxxxxxxx
Segura na mão da rainha, Vamos navegar, Marinheiro vem na Umbanda, Pelas ondas do mar. (bis)
xxxxxxxxx
Segura na mão da rainha, Vamos navegar, Marinheiro vai embora, Pelas ondas do mar. (bis)
xxxxxxxxxx
Ventou, ventou, Ventou no mar, Te segura no balanço, Pro vento não te levar.
xxxxxxxxx
AÊ MARUJO MARUJO DAS ONDAS DO MAR ELE REMA PRÁ MAMÃE OXUM ELE REMA PRÁ MÃE IEMANJÁ ELE REMA PRÁ MÃE IANSÃ DENTRO DO JACUTÁ
xxxxxxxx
EU NÃO SOU DAQUI MARINHEIRO SÓ EU NÃO TENHO AMOR MARINHEIRO SÓ EU SOU DA BAHIA MARINHEIRO SÓ DE SÃO SALVADOR MARINHEIRO SÓ MARINHEIRO SÓ Ó MARINHEIRO, MARINHEIRO MARINHEIRO SÓ QUEM TE ENSINOU A NAVEGAR MARINHEIRO SÓ OU FOI O TOMBO DO NAVIO MARINHEIRO SÓ OU FOI O BALANÇO DO MAR MARINHEIRO SÓ LÁ VEM, LÁ VEM MARINHEIRO SÓ ELE VEM FACEIRO MARINHEIRO SÓ TODO DE BRANCO MARINHEIRO SÓ COM SEU BONÉZINHO xxxxxxxx JOAQUIM MARINHEIRO DAS ONDAS DO MAR SAGRADO ELE É FILHO DA JUREMA ELE É NETO DE IEMANJÁ ELE PISA NA AREIA ELE PISA NA AREIA ELE NÃO BAMBEIA ELE APANHA MACAIA NA JUREMA ELE APANHA MACAIA NA JUREMA
xxxxxxxxx
OI MORENA DO MAR MORENA DO MAR, MORENA DO MAR SOU EU QUE ACABOU DE CHEGAR AH EU DISSE QUE IA VOLTAR VOLTEI PARA TE ENFEITAR AH, EU TROUXE OS PEIXINHOS DO MAR AS ESTRELAS DO CÉU, MORENA AS ESTRELAS DO MAR AH, AS PRATAS E OS OUROS DE IEMANJÁ
xxxxxxxxxx
PUXA AMARRA MARINHEIRO, PUXA AMARRA E OLHA O VENTO COMO VENTA à BEIRA-MAR
xxxxxxxxx
MAS QUE BARQUINHO TÃO LINDO QUE VEM VAGANDO PELO MAR QUEM VEM NO LEME É MARUJO QUEM VEM NA PROA Á IEMANJÁ OI REMA, REMA MARUJO OI REMA, REMA SEM PARAR E TRAZ NAS ONDAS MARUJO AS BENÇÃOS DE IEMANJÁ MARINHEIRO

 

 

pontos Cantados linha de caboclos
Linha de Caboclos
001-GUERREIRO DA MATA
Sou filho do Vento da Mata, Do Vento que vem e que vai, Ossanha me olhe e me ajude, Oxóssi que é o meu Pai.
Guerreiro da Mata eu sou, A vida me ensina a viver, Sou filho do Vento da Mata, Coragem se tens vem me ver.
Sou filho do Vento da Mata…
A lança que eu trago eu fiz, Meu arco não atira em vão, Na mata onde eu sou feliz, Levo sempre um escudo na mão.
Sou filho do Vento da Mata…
Guerreiro de Tribo Valente, A brisa da mata é meu ser, Coragem eu trago na frente, Que Oxóssi me dá pra vencer.
Sou filho do Vento da Mata…
002-O LÍRIO DO CABOCLO
O lírio, o lírio ê, o lírio, o lírio ê, O lírio, o lírio ê, o lírio. (bis)
O lírio é uma flor tão linda, Que enfeita o Juremá. Seu Serra Negra apanhou, O seu bodoque e a sua flecha, Sua ema foi caçar. Atravessou toda a floresta, Numa noite de luar. (bis)
O lírio, o lírio ê, o lírio, o lírio ê, o lírio, o lírio ê, o lírio. (bis)
003-OXÓSSI
Quem manda na mata é Oxóssi, Oxóssi é caçador, Oxóssi é caçador. (bis) Eu vi meu pai assobiar, Ele mandou chamar. (bis) É na Aruanda auê! É na Aruanda auá! (bis) Seu Pena Verde de Umbanda, Ele mandou chamar. (bis)
004-DEBAIXO DA GAMELEIRA
Oxóssi mora debaixo da Gameleira, Debaixo da Gameleira, Salve Rompe Mato, Salve Arranca Toco, Salve o Tira Teima, Ele é Caboclo, Em qualquer lugar, Firma seu ponto, Sem medo de errar, Só não me toque, Nas palmas da Jurema, Sem a Lei Suprema, Do Pai Oxalá.
005-EU VI AMARRADAS SUAS MÃOS
No tronco de uma árvore eu vi, Eu vi amarradas suas mãos…(bis) Era Oxóssi o Rei das Matas, O meu glorioso São Sebastião.(bis)
006-COM A PEMBA NA MÃO
Cacique Oxóssi é Rei lá no sertão, Baixou nessa Ceara, Com a pemba na mão.(bis) Ensina os teus filhos a girar, Ensina os teus filhos a girar.(bis)
007-O SEU PONTO EU VOU CANTAR
Oxóssi ê ê! Oxóssi ê a! Ele é o dono das matas, Onde canta o sabiá. (bis)
Pena Branca mandou lhes chamar, Jaguarema e Tupinambá. Oi lá nas matas onde canta a Iracema, Pra Oxóssi e pra Jurema, O seu ponto eu vou cantar!
008-OXÓSSI ASSOBIOU
Oxóssi assobiou, Oi lá no Humaitá! (bis) É Ogum quem está de ronda, Cavaleiro de Oxalá, (bis)
É Ogum quem está de ronda, Na porta desse Conga. (bis) Ele só da entrada, Para os filhos de Oxalá. (bis)
009-PENA VERDE DE UMBANDA
Quem manda na mata é Oxóssi, Oxóssi é caçador! Oxóssi é caçador! (bis)
Eu vi meu Pai assobiar, Ele mandou chamar:
É de Aruanda é! É de Aruanda a! Seu Pena Verde de Umbanda, Ele mandou chamar (bis)
010-CABOCLO PENA BRANCA
Pena Branca!… Pena Branca!… Tem penas para voar!…(bis) Ele vem pra ver seu povo!… E volta pra Oxalá… (bis)
011-PAI PENA BRANCA
Okê Caboclo!… Okê Caboclo!… Pai Pena Branca da raiz do Urucá. (bis)
Quanta beleza!… Pai Pena Branca, É um bamba no Congá, Seu Pai Tupã, Que é Rei das Matas, Que lhe dê forças, Pra sempre nos ajudar.
Okê Caboclo!… Okê Caboclo!… Pai Pena Branca da raiz do Urucá. (bis)
E nos meus versos!… Eu ofereço toda a minha gratidão, Grito bem alto, Okê Caboclo!… Pai Pena Branca mora no meu coração.
012-CABOCLO ARRANCA TOCO
Caboclo Arranca Toco, A tua luz é minha guia, Tu és Oxóssi, És filho da Virgem Maria, A tua luz ilumina no escuro, Todos os filhos do Terreiro, Estão seguros.
013-CABOCLO VENTANIA Jurema sua flecha caiu, E ninguém sabe, E ninguém viu, Eu vou chamar, O Caboclo Ventania, Só ele sabe, Onde a flecha caiu.
014-CABOCLO VENTANIA
Ogã segura o toque, Com Deus e Virgem Maria, (bis) Pôr Oxalá, meu Pai, Saravá seu Ventania. (bis).
015-CABOCLO VENTANIA
Oi, rouxinol ventania, Rouxinol, ventania. Na raiz da arucáia, Sua cobra é um segredo, Ele mora no lajedo, Sentado na beira-mar.
016-CABOCLA JANDIRA
Quem quer viver sobre a terra, Quem quer viver sobre o mar, Salve a Cabocla Jandira, Salve a Sereia do Mar. Oê, oê, oê… oê, oê, oa… Oê, oê, oê… Jandira. (bis)
017-CABOCLA JUREMA TRONQUEIRA
A Estrela d’Alva lá no céu apareceu, As matas de Oxóssi iluminou… (bis) Jurema Tronqueira!… Saia das matas com seus filhos, O Juremedo. (bis)
Cabelos longos, olhar distante, Sua galera enternecida, o Juremedo, Jurema Tronqueira!… Saia das matas com seus filhos, O Juremedo. (bis)
018-CABOCLA JUREMA FLECHEIRA
Jurema é flecheira, Quem é que diz que não… É flecheira do fundo do mar, Da Falange de Ubiratã.
019-CABOCLA JUREMA
Lindo cocar de pena, Que ganhou, A Cabocla Jurema!… Quem lhe deu, Foi meu Pai Oxalá!… Oê, oê, oá… (bis)
020-CABOCLA JUREMINHA
Ô Jureminha, Urubatão está chamando… Na sua mata virgem, Uma coral piou… (bis)
Ôi firma o ponto Jurema,… Rainha do Juremá. Ela é a Cabocla, Filha de Tupinambá. (bis)
021-CABOCLA JUREMA
Cidade de Jurema teve um tiroteio, Sua cabana ela abandonou. (bis) Oi Juremê, oi Juremá, O Rei das Matas mandou lhe chamar. (bis)
022-TRÊS CAPACETES DE PENA
Eu já mandei, Eu já mandei fazer, Três capacetes de penas. (bis) Um é pra Jupira, Outro pra Jandira, E o outro? E o outro é pra Jurema. (bis)
023-COMPANHEIROS DA JUREMA
Companheiros da Jurema, Não deixem, Não deixem, suas matas sozinhas. (bis) Lá tem coisas, Lá tem coisas preciosas, E a Jurema, E a Jurema é a Rainha. (bis)
024-CHAMADA GERAL DE CABOCLOS POVO DA JUREMA
Oxalá chamou! Oxalá chamou! E já mandou buscar, Os Caboclos da Jurema, Oi lá no Juremá. (bis)
Meu Pai Oxalá! Ele é o Rei do Mundo inteiro, E já deu ordens pra Jurema, Mandar seus capangueiros.
Mandai! Mandai! Mandai! Mandai! Minha Cabocla Jurema, Os seus guerreiros, Essa é a ordem suprema. (bis)
Oxalá chamou! …
025-CAÇADORA DE FEITICEIRA
Ela é cabocla, Ela é flecheira, Bumba na calunga, É caçadora de feiticeira, Bumba na calunga, Oi ela vai firmar seu ponto, Bumba na calunga, Oi vai firmar lá na Angola. Bumba na calunga.
026-FILHA DE TUPI
No meio da mata virgem. Uma linda cabocla eu vi. (bis) Com seu saiote de penas, Era a Jurema, filha de Tupi,
Jurema, Jurema, Jurema, Era a Jurema, filha de Tupi, Ela veio lá do Juremá, Vem firmar seu ponto, Nesse Congá.
027-JUREMA DO JUREMÁ
O Jureminha, Jurema do Juremá, Sua flecha caiu serena, Jurema, Dentro desse congá! (bis)
Salve Ogum, que está de ronda, Salve Cosme e Damião, Salve a Cabocla Jurema, Que nos trás a proteção, O Jurema.
028-SEU REI É XANGÔ
Bamba ruê, A terra é de Jurema!… (bis)
Seu grito é muito forte, O machado tem bom corte, O leão veio das matas, Seu Rei é Xangô.
029-JUREMA FOI CAÇAR
Leão nas matas urrou, Jurema foi caçar, Jurema é caçadora, Seu pai foi trabalhar, Jurema é caçadora, Que veio saravá.
030-SALVE O SEU JUREMÁ
Lá na Jurema, Debaixo de um pé de Ingá, Lá onde a lua clareia os caboclos, Eu vi o seu Pena Branca passar. Jurema, Jurema, Salve o seu Juremá. (bis)
031-É UMA CABOCLA JUREMA
Queria ver um sabiá cantar, Mas não é um sabiá que está cantando, É uma cabocla Jurema, Que está assobiando. (bis)
Vem Jurema! O Jureminha, o Juremá, Vem nesse terreiro, Pros seus filhos ajudar. (bis)
Como são lindos os cabelos da Jurema, A luz brilhante do seu olhar, Ela é Jurema da Mata Virgem, Veio no Reino pra trabalhar.
032-CABOCLO SETE FLECHAS
Jurema sua flecha caiu, E ninguém sabe e ninguém viu, Eu vou chamar o Caboclo Sete Flechas, Só ele sabe aonde a flecha caiu. A flecha que subiu no ar e caiu no mar, Onde estava Iemanjá, A flecha caiu tão serena, Que riscou o ponto da Cabocla Jurema.
033-CABOCLO SETE FLECHAS
Eh rerê!…rerê, rerê, rerê, rerê, rerá! (bis)
Saravá seu Sete Flechas, Ele é o Rei da Mata, Quando seu bodoque atira… Caramba!… Sua flecha mata. (bis)
Eh rerê!…rerê, rerê, rerê, rerê, rerá! (bis) Caboclo Sete Flechas no Conga. (bis)
034-SETE FLECHAS DE UMBANDA
Naquela aldeia, tem sete coqueiros, Tem sete cobras, todas a piar. (bis) Ele se chama, Sete Flechas de Umbanda, Sua mironga é lá do Juremá. (bis)
035-CABOCLO PENA VERDE
Um grito lá na mata ecoou, Foi seu Pena Verde quem chegou. (bis) Com sua flecha, com seu cocar, Seu Pena Verde vem nos ajudar. (bis)
036-SAUDAÇÃO DE CABOCLO
Caboclo não tem caminho, Para caminhar. (bis) Caminha pôr cima da folha, Pôr baixo da folha, Em todo lugar. Okê Caboclo!… (bis)
Que lindo pisar que tem os caboclos, Pisando na areia no rastro dos outros, Salve Iemanjá e salve a Sereia, Salve os Caboclos que pisam na areia. (bis)
037-CABOCLO TUPINAMBÁ
Tupinambá, Tupinambá, Filho de Umbanda, Tupinambá, Tupinambá, Venceu demanda, Tupinambá, Tupinambá, Chefe guerreiro, Tupinambá, Tupinambá, Vem no Terreiro.
038-CABOCLO TUPINAMBÁ
Estava na beira do rio, Sem poder atravessar, Chamei pelo Caboclo, Caboclo Tupinambá… (bis)
Tupinambá chamei, chamei… Tornei chamar e a!… (bis)
039-NO BOTOQUE DE TUPINAMBÁ
No alto da Serra Morena, Eu vi uma coral piar, Piava porque estava presa, Amarrada no botoque de Tupinambá. Piou, pediu a Lei Nagô, Piou, pediu a Lei Nagô, Trazia um tira teima na testa, Sinal de caboclo, ele ali girou.
040-CABOCLO DA MATA VÍRGEM
Caboclo da mata virgem, Da mata cerrada, lá da Juremá, Quem manda na mata é Oxóssi, Quem manda no Céu é Oxalá. (bis) Rê, rê, rê, Caboclo, Quero ver girar, Quero ver Caboclo, Na Umbanda arriar. (bis)
041-NA SUA ALDEIA
Na sua aldeia, onde ele é Caboclo, É Rompe Mato, é Arranca Toco. (bis) Na sua aldeia, lá na Jurema, Não se faz nada, sem a Lei Suprema. (bis)
042-CABOCLO TUPIMIRIM
Tupimirim auê, Tupinambá!… Arranca Toco, Traz a Jurema pra cá, Mãe Iara, Mãe Sereia, Jurema vem trabalhar. (bis)
043-CABOCLO ROXO
Caboclo Roxo, Da cor morena, Ele é Oxóssi, É caçador lá da Jurema. (bis) Ele jurou, ele vai jurar, Pelos conselhos, Que a Jurema vem dar. (bis)
044-CACIQUE GUARANI
Aí vem chegando, o Cacique Guarani, Ó Deus permita, que ele venha até aqui, Salve Tupã, salve Iara e Potí, Salve Tupi, e viva o Guarani. Salve o luar, salve o sol, Salve o cruzeiro, Salve o Guarani que baixou, Nesse terreiro.
045-CABOCLO SUA MATA É VERDE
Caboclo a sua mata é verde, É verde como a cor do mar. (bis) Mas ele é casuté da Jurema, Ele é casuté da Jurema, Ele é casuté da Jurema, é Naruê.
046-ENCRUZA A ESPADA E A LANÇA
Encruza a espada e a lança, Lá no reino da Jurema. (bis)
Ele é Rompe Mato, Ogum, Ele é Rompe Mato, Ogum, Ele é Rompe Mato, Ogum, Que vem com seu Tira Teima.
047-CABOCLO PENA VERDE
Seu Pena Verde quando vem da aldeia, Vem trazendo pemba, Pra salvar filhos de Umbanda, Ele é caboclo, ele é flecheiro, Ele é de Oxóssi, ele é caçador. Seu Pena Verde, É um caboclo flecheiro, Ele é cacique, ele é guerreiro, Ele vem girando, ele vem assobiando, Sua flecha atirando, ele vem caçando, Ele é o Rei das Matas, lá na Aruanda, Ele vem na Terra, Pra salvar filhos de Umbanda.
048-CABOCLO XAPANÃ
Xapanã, Vem descendo de Aruanda, Trazendo pemba pra salvar, Filhos de Umbanda, Ele é caboclo, É flecheiro atirador, Lá na Aruanda Xapanã, É um vencedor. (bis)
049-UBIRAJARA PEITO DE AÇO
Corta mironga! Corta senhor! Corta língua de falador! Pôr onde ele passa, Não tem embaraço, Chegou Ubirajara Peito de Aço. O seu saiote, Tem pena dourada, Seu capacete, Brilha na alvorada.
050-CABOCLO UBIRAJARA
Que penacho é aquele? Que penacho é aquele? É de arara! Vem rompendo a mata virgem, Vem rompendo a mata virgem, É o Caboclo Ubirajara, O seu saiote, Tem pena dourada, Seu capacete, Brilha na alvorada.
051-CABOCLO OGUM DAS MATAS
Que cavaleiro é aquele , Que vem cavalgando pelo céu azul, É Caboclo Ogum das Matas, Que vem defendendo o Cruzeiro do Sul. Ererê, o cangira, êrerá, Ererê, o cangira, pisa na Umbanda (bis)
Seu Cangira é Rei de Umbanda, Seu Cangira vem saravá, Seu Cangira trás para os filhos, A proteção de Oxalá, seu Cangira, Ererê, ô cangira, êrerá, Ererê, seu Cangira pisa na Umbanda. (bis)
052-CABOCLA IARA
Estrela, Sol e Lua, Que clareia o Juremá ( bis) Oi que valham-me todos os Caboclos, De flecha e botoque, Oi que me valha Iara. (bis)
053-CABOCLO GRAJAÚNA
Eu sou caboclo, eu sou Tamoio, Eu venho lá de Aruanda, Eu sou caboclo, eu sou Tamoio, Eu venho lá de Aruanda, Eu sou caboclo, O meu nome é Grajaúna, Eu sou Tamoio, Eu sou Guerreiro de Umbanda, Eu sou Tamoio, Eu sou Guerreiro de Umbanda.
054
CABOCLO ROMPE MATO Saudação
Hoje tem alegria, No terreiro de meu pai! (bis) Saravá seu Rompe Mato, Que ele é chefe de gongá…(bis) Embala eu babá!… Embala eu!… Embala eu babá!… Embala eu!…(bis)
055-CABOCLA IRACEMA
Iracema vem descendo de Aruanda, Trazendo pemba pra salvar filho de Umbanda, Ela é cabocla, flecheira e atiradora, Lá na Aruanda Iracema é vencedora.
056-FALANGE DE OXÓSSI
Das minhas matas venho chegando, Com minhas cachoeiras descarregando, Das minhas marolas venho trabalhar, Com minhas falanges descarregar. Ai, minhas flechas, Ai, meu guiné, Ai meu Jesus, de Nazaré. (bis)
057-CABOCLO GIRASSOL
Gira, gira, gira, Minha estrela no arrebol, Vem chegando, vem girando, O Caboclo Girassol. (bis)
058-OXÓSSI CACHOEIRINHA
A trovoada lá no céu roncou, A água na cachoeira rolou, Oi saravá seu Cachoeirinha, Oi saravá meu Pai Xangô. (bis)
059-OXÓSSI DE PEMBA –VENTANIA
Óh ! Cadê a ôro pemba, Os meus caboclos pemba. (bis)
Veado no mato é corredor, Oxóssi no mato é caçador, Cadê o Caboclo Ventania, Esse caboclo é o maior do dia. (bis)
Óh ! Cadê a ôro pemba, Os meus caboclos pemba. (bis)
Veado no mato é corredor, Oxóssi no mato é caçador, Cadê o Caboclo Ventania, Que até agora não chegou. (bis)
060-TUPINAMBÁ
Lá na mata tem guiné, Tupinambá se ajoelhou, ô, ô, ô,… Com sua flecha na mão, Pedindo força e proteção.
Ao passar da meia-noite, Um clarim eu vi tocar, São guerreiros de Aruanda, Vem saudar Tupinambá. (bis)
061-PANTERA NEGRA (Na linha de Oxóssi)
Ele é Oxóssi da mata virgem, E ele vem com seu florete na mão, Ele vem abençoar seus filhos, Que aqui vieram pedir proteção. (bis) Avança, avança, lanceiro, Com seu florete na mão, Quem não conhece o Pantera Negra, Ele é o chefe de toda a legião.
062-SETE FLECHAS
Na mata virgem o sabiá cantou, A Estrela lá no céu brilhou, Oh! Poranga, Ele é o Rei dos Caçadores, Ele é o Rei do Juremá. Saravá seu Sete Flechas, Ele é o dono de Gongá. Ê, ê, ê, á… Ogum venceu demanda, Nos campos de Humaitá (bis)
063-FESTA NA MATA (Na irradiação de Oxóssi e Pantera Negra)
Pantera Negra coroou, Seu Sete Flechas na floresta. E nesse dia toda a mata, Era uma cidade em festa, E os caboclos se enfeitaram, Com a folha da guiné. E os caboclos curiaram, A chamar Quibandeodé, Oh! Quibandeodé, Oh! Quibandeodé, Oh! Quibandeodé, Oh! Quibandeodé.
064-OXÓSSI CAÇADOR
Quem manda na mata é Oxóssi, Oxóssi é caçador, Oxóssi é caçador, Eu vi meu pai assobiar, Ele mandou chamar:
Vem da Aruanda ê, Vem da Aruanda á, Seu Pena Branca (Verde) de Umbanda, Vem da Aruanda. (bis)
065-OXÓSSI
Eu corri terra, eu corri mar, Até que cheguei no meu país. Oh! Viva Oxóssi na sua mata, Que a folha da Jurema ainda não caiu.
066-NÃO SE TOCA
Ai não me toque na espada de Ogum, Ai não me toque na machada de Xangô, Ai não me toque na flecha de Oxóssi, Que nas matas tem um velho caçador, Que nas matas tem um velho caçador.
067-OXÓSSI PENA BRANCA
Ele atirou, ele atirou e ninguém viu, Seu Pena Branca é quem sabe, Ande a flecha caiu. (bis)
Se o seu saiote é carijó, A sua pena de ara, orô, Ele é Oxóssi, é, Oxóssi é Rei lá na mata, Oxóssi é Rei na Guiné.
068-CABOCLO DA MATA
A Coral é sua cinta, A Jibóia é sua lança… (bis) Kizumba, kizumba, kizumba, ê, Caboclo mora na mata. (bis)
069-FLECHEIROS
Flecha, flecha, flecha, flecha, Flecha, flecha, flechador, Que na ponta de tuas flechas, Vem a benção do Senhor. (bis)
070-CABOCLO CAJÁ
Caboclo das matas, Que mata é a sua, É a de lá, é a de cá, É das Tribos de Cajá, A onde pia a cobra, Onde canta o sabiá. (bis)
071-CABOCLO GUARÁ
Guará ê ê… Guará, Guará da Mãe de Deus, Guará, Ê ê Guará, ê ê Guará. (bis)
Você diz que é da lei, Guará, No terreiro ele é rei, Guará, Tem o seu corpo fechado, Guará,
Guará, ê ê… Guará….
Ele agora vai embora, Guará, Porque está chegando a hora, Guará, Está perto a sua glória, Guará, Porque conta com a vitória, Guará.
072-CABOCLO ROXO
Caboclo Roxo da cor morena, Ele é Oxóssi, É caçador lá na Jurema.(bis)
Ele jurou e tornou a jurar, De ouvir os conselhos, Que a Jurema vem dar. (bis)
073-OXÓSSI CAÇADOR
Atira, atira, eu atirei, No bambá, vou atirar. (bis) Veado no mato é corredor, Oxóssi na mata é caçador. (bis)
074-OXÓSSI DO MARACATÚ
Eu vi chover, eu vi relampejar, Mas mesmo assim o céu ficou azul, Firma seu ponto, na folha da Jurema, Oxóssi é bamba no maracatú. (bis)
O bombardeio que se deu na aldeia, Sua palhoça, Oxóssi quis abandonar, Mas ele é um caboclo de demanda, Vem de Aruanda, lá do Juremá. (bis)
075-OXALÁ E ODÉ (OXÓSSI)
Oxalá Velhinho, Oxalá e com Odé, Oxalá de Urumilaia, Oxalá da Umbanda. (bis)
Quando sair o sol, Eu vou entrar na mata, Vou falar com Oxóssi, Jurema, Oxóssi é caçador. (bis)
076-ÁGUIA BRANCA
Águia Branca, vem de Aruanda, Vem sozinho, vem sozinho trabalhar, Saravá, saravá, saravá, E a falange de Águia Branca vai baixar.
077-LINHA DE OXÓSSI
Ó viva Oxóssi, nas suas matas, Na sua macaia é caçador, Com sua flecha e seu bodoque, Ai viva Deus, Nosso Senhor. (bis)
078-LINHA DE OXÓSSI
(Pode ser cantado em trabalhos especiais, pois o ponto é um mantran que demonstra a força dos guias espirituais)
Caboclo não tem caminho, Para caminhar, (bis) Ele passa por cima da folha, Por baixo da folha, Em qualquer lugar… Ele passa por cima da folha, Por baixo da folha, Em qualquer lugar…Okê Caboclo!
079-BEREQUETÊ
(Reza da Nação de Kêto – Linha de Cigano, na vibração de caboclos )
Berequetê, berequetê, inhá, Kiginalô, Kurimá, Berequetê Babá, Kerequetê, ô ô Kiginalô Kurimá, Berequetê Babá (bis) Aruê pam, aruê pam, Aruê seu pam pam pam, Aruê pam. (bis)
Lay lay lay lay lay lay, Lay lay lay ô laê, Lay lay lay. (bis)
080-OXÓSSI COBRA CORAL
Estrela d’Alva é nossa guia, Que corre o mundo sem parar .(bis) Alumia a mata virgem, E o terreiro de além mar. (bis)
Okê Caboclo chama seu Cobra Coral, Okê Caboclo chama seu Cobra Coral, Abre trabalho, na mata virgem , Chama seu Cobra Coral. (bis)
081-TUPINAMBÁ
Tupi, Tupinambá, queremos saravá, Cantando sempre alegre, O nosso Rei é Xapanã ! Hei de vencer, hei de guiar, Cantando sempre alegre, O nosso Rei é Xapanã ! O nosso Rei é Xapanã !
082-FLECHEIRO CAJAN
Cajan tu vem de Aruanda, Cajan tu vem trabalhar… Cajan tu vem de Aruanda, Cajan tu vem é de lá. (bis)
083-FLECHEIRO CAJAN
Saravá! O Povo de Umbanda, Saravá!… Saravá, o Flecheiro Cajan, Que vai baixar, ô ô… Saravá!
084-LINHA DE OXÓSSI
Foi Zâmbi quem criou a terra, Foi Zâmbi quem criou o mar! (bis) Foi Zâmbi quem criou as estrelas, Que iluminam Oxóssi lá no Juremá. (bis)
085-REZA PRA ODÉ (OXÓSSI)
Aruê, cajador, Lembarenguaje patozi baé, Tawamy-aruê caçador, Lembarenguaje patozi baé, Tawá mi.
086-PAI URUBATÃ
La no alto da floresta, Da seara do Senhor, É o Pai Urubatã, chefe guerreiro, Que acaba de chegar, Com sua machada, ele é cacique, É o Rei do Juremá. (bis)
087-LINHA DE OXÓSSI
Luar oi, luar oi, Segue seu andar ó luar… Segue seu andar ó luar… O caboclo vem das matas, Pra baixar neste congá, Ele vem lá da Aruanda, Para seus filhos salvar. No alto daquela serra, Onde canta o sabiá, Onde Oxóssi é Rei da Mata, O caboclo mora lá! Oi…
088-CABOCLO UBYRARA
Sou o Caboclo Ubyrara, Filho de Zâmbi e Tupã! (bis) Sou o Caboclo Ubyrara, Gêmeo de Urubatã. (bis)
089-CABOCLO AIMORÉ
A água com areia, Não pode demandar, A água vai embora, Areia fica no lugar. (bis) Se é de zum zum zum, Chegou o Aimoré, Cacique guerreiro, Pra salvar filhos de fé. (bis)
090-CABOCLO TUPAÍBA
Nós somos dois irmãos guerreiros, Dois irmãos unidos, Meu nome é Tupaíba, Sou filho de Aimoré, Lá nas tribos Guaranis, Meu irmão chama Pery. (bis)
091-CABOCLO ARRANCA TÔCO
Na sua aldeia ele é caboclo, É Rompe Mato é Arranca Toco, Na sua aldeia, lá na Jurema, Não se faz nada, Sem a Lei Suprema. (bis)
092-CABOCLO DO VENTO
Peguei na pemba, E a pemba balanceou. (bis) Chegou o Caboclo do Vento, O Caboclo do Vento chegou. (bis)
093-LINHA DE ROMPE MATO
Oi caêta, oi caêta, Oi caêta, oi caêta.
Eu vi o dono da mata, eu vi, Eu vi o seu Rompe Mato, eu vi, Caboclo nasceu na mata, e ocê… Eu vi seu Rompe Mato no arerê…oi (bis)
094-TUPI MIRIM
Eu sou Tupi Mirim, Nascido na beira do cais, O meu babá, Tupinambá, Minha babá, Yara. Aquele manto que brilhou, Lá no espaço, É o manto da babá Yara. (bis)
095-JUREMA
Jurema saia das matas, Vem pro terreiro pra trabalhar, Trazendo seu Pena Branca, E o Cacique Tupinambá. (bis)
096-JUREMA
Entrei na mata e avistei um clarão, De uma estátua de corpo inteiro no chão. Não era Yara não, nem a Jandira, não, Era a Jurema com seu bodoque na mão (bis)
097-LINHA DE JUREMA
Meu passarinho azulão, Quando voa não senta no chão.(bis) Ai que linda caboclo de pena, Pena bonita, bodoque na mão. (bis)
098-LINHA DE JUREMA
Voou, voou, meu passarinho azulão, Quem rola pedra é Xangô, Afirma o ponto no chão, É a Cabocla Jurema, Com seu bodoque na mão.(bis)
099- LINHA DA JUREMA-Chamada Geral
Oxalá chamou, E já mandou buscar, Todo o Povo de Jurema, No seu Juremá… (bis)
Meu Pai Oxalá, Ele é o Rei do mundo inteiro, E já deu ordem pra Jurema, Mandar seus Capangueiros…
Mandai, mandai, Minha Cabocla Jurema, Os seus guerreiros, Essa é a ordem suprema…
Oxalá chamou…
100-LINHA DE JUREMA
La naquela floresta, Tem uma serra morena. (bis) Onde o luar clareia, pra saravá, Todo o Povo de Jurema. (bis) Jurema do Juremê, Jurema do Juremá, Jurema do Juremê, Jurema do Juremá. É uma cabocla de pena, Vamos todos saravá. O piô, piô, o piá, piá… (bis)
101-LINHA DE JUREMA
O leão urrou na mata, Jurema foi caçar, Jurema é caçadeira, E o seu pai foi saravá. (bis).
102-CABOCLA IMEMBUY
A Cabocla Imembuy, Vem trazendo a estrela guia. (bis) Cobrindo todos os seus filhos, Com o manto da Virgem Maria. (bis)
103-LINHA DE JUREMA
Eu vi uma flecha zunir, Eu vi uma estrela brilhar, Eu vi o Povo de Jurema, Querendo baixar. (bis)
104-LINHA DE JUREMA
Jurema ! O Juremê, Juremá. (bis) É uma cabocla flecheira, Que atirou flecha pro ar, Atirou numa Jibóia, E matou cobra Coral.
Ai como é lindo o cabelo de Jurema, A luz brilhante do seu olhar, Salve a Jurema, saiu das matas, Tá no terreiro, pra saravá. (bis)
105- LINHA DA JUREMA – Chamada Geral
Arreia capangueiros, Capangueiros da Jurema, Arreia capangueiros, Capangueiros da Jurema. (bis)
106-JUREMA
Lá no caminho de jacutá, Onde eu plantei minha roseira… Foi no caminho de jacutá, Onde eu plantei minha roseira… Jurema vai firmar seu ponto, A Estrela d’Alva é nossa guia. (bis)
107-FILHO DO SOL (Na irradiação de Jurema)
No tronco de uma mangueira, A Jurema lhe esperou. (bis) É o Filho do Sol, Que a sua flecha atirou. (bis)
108-LINHA DE JUREMA
Jurema do Juremeiro, Do Tronco de Juremá. (bis) Saravá Arranca Toco, E a Cabocla Giruá. (bis)
109-LINHA DE JUREMA
Que lindo capacete de pena, Ganhou a Cabocla Jurema. (bis) Quem lhe deu, Foi Papai Oxalá, á á, Ê ê ê ê ê á, ê ê ê ê ê á… (bis)
110-LINHA DE JUREMA
Salve a dona Duacema, A dona de Goyá. (bis) Salve a dona Duacema, A dona de Goyá. (bis)
111-LINHA DE JUREMA
Nas suas matas, Minha Mãe é a Rainha, A lei suprema de toda a Juremá, Vem óh! vem óh! Mãe Jurema, Abençoar seus filhos, Que estão neste congá. (bis)
112-PONTO P/FIRMAÇÃO DE TERREIRO NA ÉGIDE PANTERA NEGRA
Tu és um príncipe de cavalaria, Que não vê trevas, nem escuridão. Vou dar um brado de salvas, A toda a sua legião. (bis)
113-PONTO DE SAUDAÇÃO E FIRMAÇÃO DE TERREIRO A URUBATÃ
Aí vem a lua, Surgindo no céu azul de Juremá, Aí vem baixando Urubatã, Pra todos os seus filhos salvar… Se ele é Rei de toda a Juremá, Vamos meus filhos, vamos saravá ! (bis)
114-PONTO DE DEFUMAÇÃO
Ê ê Pai Oxóssi !… Me dá licença pra defumar… Eu defumo, eu defumo esta aldeia, Pro mal sair e o bem entrar. Ê ê, ê ê, ê á… (bis)
115-PONTO P/FIRMAR TERREIRO E ASSENTAMENTO DE ERVAS
Caboclo do mato quem é você ? Segura o terreiro que eu quero ver ! (bis) Zum zum bi aruê, Segura o terreiro que eu quero ver. (bis)
116-PTO DE SUBIDA DE CABOCLOS
Caboclos já vão embora, Pra cidade de Jurema. O bom Jesus tá lhes chamando, Na cidade de Jurema. Mas eles vão ser coroados, Na cidade de Jurema, Com a coroa do aiê iêu, Na cidade de Jurema. (bis)
117-PONTO DE SUBIDA DE CABOCLOS
Lá na Aruanda aonde Deus andou, Tão te chamando na Aruanda, Aonde Deus abençoou. Tão te chamando na Aruanda, Aonde Deus abençoou… (bis)
118-PONTO DE SUBIDA DE FLECHEIROS DAS MATAS – LINHAS DE OXÓSSI E JUREMA
Yu ai, Yu ai !… Eu vou girar… Yu ai, yu ai !… E a meus filhos eu vou saravar.(bis) Lá na mata, lá na mata, Minha mata, me chamou,… Saravá minha flecha, meu bodoque,… Salve Deus Nosso Senhor. (bis)
119-PONTO DE SUBIDA DE CABOCLOS
Adeus meus Caboclos, adeus !… A sua banda lhe chama, E eles já vão ao ló… E eles já vão ao ló… Deixam penas e saudade, Vão pra Aruanda, sua macaia, Numa gira só, é numa gira só !…(bis)
120-PONTO EM HOMENAGEM AO CABOCLO PEDRA LISA, ENTIDADE ESPIRITUAL DO MÉDIUM MOAB CALDAS, 1° DEPUTADO UMBANDISTA DO BRASIL
Pisei na pedra, E a pedra balanceou. (bis) O mundo estava escuro, Pedra Lisa clareou… O mundo estava torto, Pedra Lisa endireitou…(bis)
121-PONTO EM HOMENAGEM A PANTERA NEGRA – LINHA DE OXÓSSI
Ele é Oxóssi da mata virgem, E ele vem com seu florete na mão. Ele vem abençoar seus filhos, Que aqui vieram pedir proteção. (bis)
122-PONTO EM HOMENGEM A PANTERA NEGRA – DIA DE FESTA
Pantera Negra coroou, Seu Sete Flechas na floresta, E neste dia toda a mata, Era uma cidade em festa, E os Caboclos se enfeitaram, Com a folha da Guiné, E os Caboclos curiaram, A chamar Quibandeodé… Oi Quibandeodé, Oi Quibandeodé, Oi Quibandeodé, Oi Quibandeodé…
123-PEDIDO DE BENÇÃO A OXÓSSI
Seu capacete é todo branco, E o seu saiote é carijó… Com a sua flecha e o seu bodoque, Lá nas matas vive só… Com a sua flecha e o seu bodoque, Lá nas matas vive só…
124-CHAMADA GERAL PARA CABOCLOS
Bate o tambor, Eu quero ver quem é… Bate o tambor, Eu quero ver quem é… São os Caboclos, Que vem de Aruanda, Saravá na Umbanda, Para seus filhos de fé. (bis)
125-TUPIMIRIM
Quem é aquele caboclo, Que vem lá tão longe… É Tupimirim, filho de Tupinambá. Ele vem armado, ele vem flechado, Ele vem salvar o Rei Babá. Quem é aquele caboclo, Que vem lá tão longe… É Tupimirim, filho de Tupinambá. Ele vem armado, ele vem flechado, Ele vem salvar o Redentor
126- SÃO SEBASTIÃO-OXÓSSI
ABERTURA E IRRADIAÇÃO
Quem vem, quem vem lá de tão longe? São os nossos guias que vêm trabalhar.(bis) Oh! Dai-me forças pelo amor de Deus, meu Pai! Oh! Dai-me forças para os trabalhos meus! (bis)
127-ESTRELA D’ALVA
Estrela D’Alva é nossa guia, Ilumina o mundo sem parar. Ilumina a mata virgem, Cidade de Jurema.
Vinde, vinde companheiros, Ai de mim tão só. Companheiros de Jurema, Ai de mim tem dó. (bis)
128-PONTO DE OXÓSSI (chamada de falange)
Oxóssi vem, Vem chegando de Aruanda, Oxóssi vem, Vem salvar filhos de Umbanda. (bis)
129-OXÓSSI BEIRA-MAR
Estava na minha praia, Vi a sereia cantando, As ondas do mar chorando… Iemanjá, Iemanjá!… Seu Beira-Mar, Beira-Mar,,0 Deixa a sereia cantar, Não deixa as ondas chorar.
130-PONTOS DE OXÓSSI
Atira, atira, eu atirei! No Bambá vou atirar. Veado na mata é corredor. Oxóssi na mata é caçador.
131-OXÓSSI NA BAHIA
O veado fugiu… O veado fugiu… E Oxóssi na Bahia, Segura o ponto, De Mamãe Sereia no mar. (bis)
132-OXÓSSI É REI
Oxóssi é Rei no Céu, Oxóssi é Rei na Terra. Ele não desce do Céu sem coroa, E sem a sua munganga de guerra.(bis)
133-VIVA OXÓSSI
Ó, viva Oxóssi, é… Ó, viva Oxóssi, a… Ele é caboclo do mato. Ó, viva Oxóssi, É meu pai. (bis)
Ó! Viva Oxóssi, ê… Ó! Viva Oxóssi, á… Ele é caboclo do mato! Meu Pai! Ó! Viva Oxóssi, ê…(bis)
134-PONTO DE OXÓSSI (na irradiação de Exú)
Olha a água do meu rio, Olha a flor(flô) da minha mata, Sou caboclo flechador(dô), Sai mironga, sai mironga, Corre, corre, corredor(ô). Sou caboclo flechador(ô) . 135-PONTO DE OXÓSSI
Eu vi chover, Eu vi relampejar. Mas mesmo assim, O Céu estava azul. Samborê pemba, folha de Jurema, Oxóssi é bamba no Maracajá. (bis). Oxóssi é bamba no Maracajá. (bis)
136-PONTO DE OXÓSSI (saudação)
Correu terra, correu mar, Até que chegou no meu país. (bis) Ora viva Oxóssi na mata… Que a folha de mangueira, Ainda não caiu. (bis)
137-SÃO SEBASTIÃO
Naquela estrada de areia, Aonde a lua clareou, Aonde os caboclos pararam, Para ver a procissão de São Sebastião. Okê, okê, caboclo! Meu pai caboclo é São Sebastião.
138-OXÓSSIÃ
Ó viva Oxóssiã!… Ó viva Oxóssiã!… Somos guerreiros de Umbanda. Ó viva Oxóssiã!…
139-NO LAGO AZUL
Foi lá no lago azul, Que seu ponto ele firmou. (bis) Ele é Oxóssi caçador, Filho de Nosso Senhor. (bis)
Sete anjos me acompanham, Sete estrelas me iluminam. (bis)
Salve o meu anjo da guarda, Salve a minha estrela guia. (bis)
Ouvi o tropel do seu cavalo… A sua espora tiniu… Com sua espada e sua lança… O inimigo reduziu!
141-OXÓSSI ESTÁ NO MUSSAMBÊ
Oxóssi está no mussambê, Oxóssi está no mussambê, Oxóssi está no mussambê! Na cidade da Jurema, Está no mussambê, está no arirê! (bis)
142-OXÓSSI ASSOBIOU NO HUMAITÁ
Oxóssi assobiou, Lá no Humaitá! (bis) Ogum venceu demandas, Companheiro de Oxalá. (bis)
143-PONTOS DE OXÓSSI
Correu terra, correu mar, Até chegou lá no seu país. (bis) Ora viva Oxóssi lá na mata… Que a folha da mangueira, Ainda(inda) não caiu. (bis)
144-OXÓSSI NO ALAQUAJÚ
Eu vi chover, Eu vi relampejar. Mas mesmo assim, O Céu estava azul. Firma seu ponto, Na folha de Jurema, Que Oxóssi é bamba No Alaquajú. (bis)
145-CHAMADA DOS CABOCLOS
Umbanda, Onde estão os seus caboclos…(bis)
Eles vem de longe, Do centro do Juremá. Com seus saiotes de penas, Na Umbanda saravá, Umbanda.
Umbanda, Onde estão os seus caboclos…(bis)
146- ESTRELA VAI BUSCAR
Vai, estrela tão brilhante, Que ilumina este gongá… (bis)
Vai buscar, estrela, vai buscar, Com permissão de Oxalá. Vai buscar Seu Tupinambá, Pra vir na Umbanda trabalhar.
Vai, estrela tão brilhante, Que ilumina este gongá… (bis)
147-OXÓSSI ASSOBIOU NA MATA
Oxóssi assobiou na mata, (bis) Ogum bradou no Humaitá, Filhos de Umbanda louvaram: Saravá, Oxóssi, saravá. (bis)
148-CADÊ SEU OXÓSSI
Assobia, assobia… Ele assobiou!… (bis) Cadê seu Oxóssi na mata, Que ainda não chegou!…(bis)
149-CAPITÃO DA MARAMBAIA
Oxóssi é Capitão de Marambaia, Oxóssi é Capitão de Marambaia, Oxóssi é Capitão de Marambaia, Mas ele é Seu Oxóssi d’Arucaia.
150-O VENTO NA MATA ZUNIU
O vento na mata zuniu, Folha seca balançou. Saravá Oxóssi nossa banda, saravá, Ele vem com Deus Nosso Senhor.
151-BANDA É
Banda é, banda é, Oxóssi é Rei da Mata, Banda é, banda é, Oxóssi é Rei da Guiné. (bis)
152-OXÓSSI É BAMBA
Oxóssi é bamba, Ele é caçador… Oxóssi é bamba o clime, É Rei Mutalambô.
153-PONTO DE OXÓSSI NO CANDOMBLÉ
Cambila qui uazá sála mucurê, orirê, Um tatá camóla na Luanda aê, Mamãe cambilá. Ai na Luanda aê, orirê, Cambila qui uáza sála mucurê, Mamãe gimbeuá.
154
Cambila tem pai, Tem sim senhor. Cambila tem mãe, Tem sim senhor.
155
Cambila uá uá uá, É cambila, Cambila uá uá uá, É cambila.
156
Cambila é meu , Cambilá, Oxóssi é meu, Quilondirá.
157
Oxóssi é táta no mussambê, Oxóssi é táta no arirê.
158
Salarê, Odé orerê, Lokê. Odé mi salerôco, Odé como faqueran.
159
Odé muchauerá, Agô Lelê, Odé muchauerá, Agô donan.
160
Farolodé fibô, Odé fibô. Farolamolodé, Abacoché.
161
Lomáta Quilondirá, Oxóssi é Mutalambô, Aê aê… Lomáta Quilondirá. (bis)
162 Aruê, caçador, Cabaranguange matô sumaé, Tauamí. Aruê, caçador, Cabaranguange matô sumaé, Tauamí.
163
Caça na Luanda, É coroa. Oxóssi é caçador, É coroa.
164
É Lua Branca leluá, Odé Queboangí. É Lua Branca leluá, Odé Queboangí.
165-EU TENHO MEU PAI
Eu tenho meu Pai, eu tenho, Eu tenho meu beija-flor. Eu tenho meu Pai, eu tenho, Sou d’Oxóssi Mutalambô.
Eu vi a Lua, Eu vi a Lua, Eu vi a Lua e falei com ela, Eu vi a Lua, Eu vi a Lua, Mutalambô mora dentro dela.
166-OXÓSSI MORA NA LUA
Oxóssi mora na Lua, Só vem na mundo para clarear. (bis) Queria ver um Oxóssi, Para com ele eu falar. (bis)
167-PONTO DE OXÓSSI (CHAMADA)
É Zâmbi que governa o mundo… Só Zâmbi pode governar. É Zâmbi que clareia as estrelas, è quem clareia Oxóssi lá no Juremá.
Okê Caboclo ! Okê meu caboclo, okê ! (bis)
168-DO REINO DA JURREMA
Eles vem daquelas matas, Do reino de Juremá. Caboclos vem de Aruanda, Vamos todos saravá! (bis)
169-QUANDO VEM DE ARUANDA
Oxóssi quando vem lá de Aruanda, Trazendo forças pra seus filhos de Umbanda. Ele é caboclo, Ele é Flecheiro Atirador, Na Aruanda todo Oxóssi é caçador.
170-OXÓSSI DAS CACHOEIRAS
Fez barulho na cachoeira, Sobre a pedra ela rolou. Com sua flecha certeira, É Oxóssi que chegou.
171-PONTO DE OXÓSSI (Demanda)
Quero ver arder, Quero ver queimar. Feiticeiro que atira, Tem que saber atirar.
172-OXÓSSI DAS CACHOEIRAS
Corre, corre na cachoeira, Sobre a pedra ela rolou, É Oxóssi das Cachoeiras, Que sua flecha atirou.
173-PONTO DE OXÓSSI (Chamada)
Ei! Caçador da beira do caminho, Ei! Não me mate esta coral na estrada, Pois ele abandonou sua choupana, caçador Foi no romper da madrugada.
174-CABOCLA JACIRA
Na fonte da água cristalina, Uma bela cabocla se mira. (bis) Dos cabelos correm pérolas douradas, Tá na gira a Cabocla Jacira. (bis)
175-CABOCLA JANDIRA
Seu cocar é de pena branca, Ela é quem segura a gira. (bis) Saravá sua linda banda, Saravá a Cabocla Jandira. (bis)
176-CABOCLA JUPIRA
Estava em festa, Toda a floresta estava em festa, Porque cantou o Uirapuru… No seu cantar, Ele veio anunciar, Que a Cabocla Jupira vai baixar. Na terra de Pai Olorum, Ela vai baixar, Pra nos ajudar, Ela vai salvar, A sua banda, a sua gira. Saravá Pai Olorum, saravá, Acaba de chegar, A linda Cabocla menina. Mas ela tem a beleza que encanta, O olhar de uma santa, Que nos encanta. Jupira, linda Cabocla menina, É portadora de uma mensagem divina; Ela é, ela é, ela é, A menina dos olhos do Cacique Aimoré. (bis)
177-É UM CABOCLO VALENTE
Jupira e Tatuíra, Caboclo Arranca Toco, É um Caboclo valente. Salve a sentinela de Umbanda, ô Jupira. Deixa os Caboclos brincarem, ô Jupira. (bis)
178-CABOCLA JUREMA
Dona Jurema, ela nasceu, Ela nasceu no Juremá. (bis) Saravá Cabocla no endá, Na raiz do orucá. (bis)
179-A MATA FICOU EM FLOR
Caiu uma folha na Jurema, Veio o sereno e molhou. E depois veio o sol, enxugou, enxugou, E a mata ficou toda em flor. (bis)
180-SEU CAPACETE É AZUL
Jurema, O seu saiote é tão lindo, Seu capacete é azul, Brilha como o diadema. (bis)
Jurema, Ô Juremê, juremá, Abandona suas matas, E vem na Umbanda saravá.
181-JUREMA, FILHA DE TUPINAMBÁ
Jurema, Com seu saiote de penas. Da sua cabana suprema, Sai e vem trabalhar… Jurê, juremê, juremá, Jurê, juremê, juremá, Jurema é, filha de Tupinambá.
182-LÁ NA JUREMA
Lá na Jurema, Debaixo de um pé de ingá, Lá na Jurema. (bis) Aonde o luar clareia os Caboclos, Deixa a Cabocla Jurema passar. Jurema… Jurema… Olha o seu Juremá. (bis)
183-SENHORA DAS MATAS
Minha senhora lá das matas, Me diga quem manda aí. (bis) Venha pra perto pra ver, Dona Jurema é do ariri. (bis)
184-ERA DONA JUREMA
Lá na mata eu vi, Linda Cabocla de penas. (bis) Era Dona Jurema, Com sua flecha suprema, Mas ela vem de tão longe, Veio pra caçar a ema.
Lá na mata eu vi… (refrão)
185-UMA ESTRELA NA ARUANDA
O rio rolou na mata virgem, Uma estrela brilhou na Aruanda. (bis) Saravá linda Umbanda, Umbanda linda, saravá. Agora a Cabocla Jurema é quem manda.
186-A FOLHA QUE A JUREMA TEM
A folha que a Jurema tem, Mata e cura também. (bis)
As águas lá da cachoeira, Não matam a sede que a Jurema tem. (bis)
187-CABOCLA JUREMINHA
Seu saiote carijó brilhou na mata, Sua flecha de indaiá assoviou. A Cabocla Jureminha, Rainha de Umbanda, Nossa banda já saravou, saravou.
188-MINHA CABOCLA É LINDA
Minha Cabocla é linda, orirá, Minha Cabocla é linda, orirá, Sua luz bendita, quem lhe deu, Quem lhe deu foi meu Pai Oxalá.
189-CABOCLA JUSSARA
Clarão ilumina a mata, Chuva cai, rio não pára. (bis) Saravá Umbanda linda, Banda de Dona Jussara. (bis)
190-PONTO DE CABOCLO (Saudação)
Seu Ubirajara, saravá seu Pedra Negra. Seu Ubirajara, saravá gongá. Oi, Saravá Oxalá! Saravá Oxalá!
191- LOUVOR P/DOIS CABOCLOS
Lá na mata, sua mata, Dois manos combinou. Salve a flecha e o bodoque, Viva Deus, Nosso Senhor. (bis)
192-PONTO DE CABOCLO (pedindo identificação)
Ô meu Caboclo, que mata é a sua, Ô meu Caboclo, que mata é a sua, Que mata é a sua, É a de cá ou é a de lá, Onde pia a cobra, Onde canta o sabiá.
193-PONTOS DE CABOCLO (confirmado) Sua flecha a tiracolo, Foi Oxalá quem lhe deu. (bis) Quem achou, achou, Quem perdeu, perdeu. (bis)
194-FOI OXALÁ QUEM ME DEU
Disse quem disse, Falasse quem falasse. (bis) É meu, é meu, Foi Oxalá quem me deu. (bis)
195-PONTO DE CABOCLO (chamada)
Seu ……. sua banda lhe chama, Seu ……. sua banda lhe implora. Vem meu Caboclo de Nossa Senhora, Venha com Deus que chegou a hora.
196-PONTO DE CABOCLO (para confirmar)
Ajoelha Caboclo, Você não é judeu. (bis) Você tem um nome, Foi Oxalá quem lhe deu.
197-PONTO DE CABOCLO (alertando)
Caboclo segura o brabo, Caboclo tu olha lá. Tem um pau que quebra machado, É o tronco da guaraúna.
198-PONTO DE CABOCLO (para firmeza de ponto)
Ô couiza, ô cauiza. (bis)
Eu vi Caboclo na mata, eu vi, Eu vi Caboclo na mata, okê. Cabolco firma seu ponto que eu quero ver. E mostre que é Caboclo do arirê.
199-PONTO DE CABOCLO (Linha cruzada)
Lá no alto da serra, Tem uma linda floresta; Também tem uma linda cabana, Mas ela é do Caboclo Guiné. (bis)
Saravá todos os Caboclos, Salve o Seu Vence Demandas, Saravá o Seu Vence Demandas. Saravá todos os Caboclos, Que pertencem a esta linda Umbanda.
200-UMA ESTRELA COR DE PRATA
Uma estrela cor de prata, Brilhando anunciou. (bis)
Era um Caboclo que chegava, Vinha a mando de Nosso Senhor. (bis) Ele é Caboclo, ele é flecheiro, Ele é caçador. Ele Caboclo Boiadeiro, Ele é laçador.
201-PONTO DE CABOCLO
Já dizia um Caboclo, A Umbanda é pra quem tem fé. Ai de mim, meu bom Caboclo, Sua força não engana ninguém. Se o Caboclo é bom, Bate palmas pra ele. Se o Caboclo é bom, Bate palmas pra ele. (bis) 202-COM SÃO CIPRIANO E JACÓ
Caboclo na mata trabalha, Com São Cipriano e Jacó. (bis) Trabalha com chuva e com vento, Trabalha com a lua e com o sol. (bis)
203-CABOCLO SUA MATA É VERDE
Caboclo sua mata é verde, É verde, é da cor do mar. (bis) Saravá cassuté da Jurema, Saravá cassuté da Jurema, Saravá cassuté da Jurema, Jurema. (bis)
204-REI DO PANAIÁ
Que lindo Caboclo de penas, Panaiá, Que veio na Umbanda saravá, É um panaiá. (bis) É rei, é rei, é Rei do Panaiá. É rei, é rei, é Rei do Panaiá. (bis)
205-VESTIMENTA DE CABOCLO
Lá no lajedo, Aonde Caboclo mora. (bis) Vestimenta de Caboclo, Samambaia é só. (bis) Samambaia é só, auê, Samambaia é só.
206-SALVE OS CABOCLOS
Salve os Caboclos, Quando vêm da aldeia. (bis) Eles vêm da aldeia, aldeiá, Vem firmar na areia, areiá. (bis)
207-CABOCLO SE EMBRIAGOU
Caboclo comeu sapucaia, Caboclo se embriagou. (bis) Com as ervas da Jurema, Caboclo se levantou. Malha dendê, caboclo, Caboclo, malha dendê. (bis)
208-É FILHO DA VIRGEM MARIA
Ele veio da sua cidade, Com a Estrela D’Alva no peito. (bis) Quem foi que deu, Quem dá, quem daria. Ele é filho da Virgem Maria. (bis)
209-ZUANDO, ZUANDO
De onde vêm os meus Caboclos, Mas eles vêm da cidade da Jurema (bis) Mas eles vêm zuando, zuando, Sacudindo seus penachos, Levantando poeira. (bis)
210-CABOCLA IARA
Estrela, Sol e Lua, Que clareia o juremá. (bis) Oi que valham-me todos os Caboclos, De flecha e botoque, Oi que me valha Iara. (bis)
211-TEM CABOCLO NA MATO
Tem Caboclo no mato, Chama, chama que ele vem. Salve bacuro de Umbanda, Chama, chama que ele vem.
212-ANDORINHA DO MEU SERTÃO
Que linda andorinha, Tem no meu sertão. Todo pássaro voa, andorinha, Só a ema não!
213-SIRIÓ, SIRIÓ
Ele foi no mato caçar, Sirió, sirió, Mas quando é noite de luar, Ele bate o pé, levanta o pó. (bis)
214-ARREIA CABOCLO, ARREIA
Caboclo que vem da mata, Da mata traz seu poder. (bis) Arreia, Caboclo, arreia, Arreia que eu quero ver. (bis)
215-TÁTA MIRÔ
Apanha maracanã, Ô mi táta, mirô, Apanha folha por folha, Ô mi táta, mirô, Ele é filho da Jurema, Ô mi táta, mirô, Não deixa cair no chão, Ô mi táta, mirô, Táta mirô!
216-CAPACETE BRILHA NA ALVORADA
Na sua aldeia têm os seus caboclos, Na sua mata têm as cachoeiras, No seu saiote têm penas douradas, Seu capacete brilha na alvorada.
217-REI DO APANAIÁ
Ele veio de tão longe, Veio saravá o endá. (bis) Bendito e louvado seja, Ele é rei do apanaiá. (bis)
Bate o bumbo lá na aldeia, ê á. (bis)
218-QUERO VER, QUERO VER
Vento ventou lá na mata, Balanceou, folha caiu. (bis) Quero ver, quero ver, Quero ver quem inda não vi. (bis)
219-O MEU PAI É CABOCLO
O meu pai é Caboclo, Quero ver balançar. (bis) Arreia, arreia, Capangueiros da Jurema, ô Juremá. (bis)
220-CABOCLO AIMORÉ
Aimoré, Aimoré, odé, É Rei da mata, Aimoré, odé. (bis) Quando ele chega no reino, Aimoré, odé, Ele vem de Aruanda, Aimoré, odé.
221-CABOCLO AIMORÉ
Aimoré é um caboclo valente, Valente aqui ou em qualquer lugar. Aimoré mora lá nas matas, Na mata virgem, lá no Juremá.
222-SARAVÁ SEU AIMORÉ
Caboclo velho maiondé, Aê, aê, maiondé. Caboclo velho maiondé, Oi saravá seu Aimoré.
223-CABOCLO MANHANGABA
Caboclo da manhangaba, Ele é táta mirô. Aimoré na sua vizáia, Ele é táta mirô.
224-CABOCLO ÁGUIA BRANCA
Seu Águia Branca é um guerreiro, Seu Águia Branca é bambe odé, Seu Águia Branca é meu protetor, Ele é meu caboclo de fé.
225-CABOCLO ARARIBÓIA
Estava em plenas matas, Quando tudo escureceu. (bis) Trovejou lá no céu, Mas chover não choveu. (bis) Eu me perdi, Seu Araribóia me achou. (bis) Com sua flecha de ouro, Meu caminho ele guiou. (bis) O vento soprava forte, E para o céu ele olhou. (bis) E dando um brado mais forte, A mata clareou. (bis)
A mata clareou, a mata clareou, A mata clareou, a mata clareou. (estribilho)
Saravá Araribóia, Nosso mestre e protetor. (bis) Quem anda com esse caboclo, Não e perde, não senhor. (bis)
A mata clareou, a mata clareou, A mata clareou, a mata clareou. (estribilho)
Ele é Araribóia, Nosso mestre de instrução. (bis) Eu ando com este caboclo, Dentro do meu coração. (bis)
A mata clareou, a mata clareou, A mata clareou, a mata clareou.
226-CABOCLO ARARIBÓIA
Um assovio passou na mata virgem, Anunciando que raiava o dia. (bis)
Uma flecha linda riscou o firmamento, lá bem alto, Do bodoque de Araribóia ela zunia. Seu penacho é todo feito de estrelas, Seu bodoque e sua flecha de indaiá, Saravá Caboclo Araribóia nesta banda. Ele é nosso mestre, nosso guia, saravá. (bis)
227-CABOCLO ARARANGUÁ
Ele vem de longe, Do alto da serra morena. (bis) Ele é Araranguá, Rei cassuté lá da Juremá. (bis)
228-CABOCLO ARAÚNA
Ele é caçador, é caçador, É caçador não é adivinhador. (bis) Ele veio de longe, Veio caçar. (bis) Ele é seu Araúna que vem saravá.
229-CABOCLO ARAÚNA
Eu vi Caboclo bradando, Eu vi a mata tremer. (bis) Ôi saravá Caboclo Araúna, Nas horas aflitas venha me valer.
230-CABOCLO ARAÚNA
Caboclo Araúna é Rei, É Rei, Cacique, é Apanaiá. (bis) Quando chega em sua banda, ele brada, Saravá meu glorioso Oxalá. (bis)
231-CABOCLO ARRANCA TOCO
Seu Arranca Toco corou, Seu Tupi lá na Jurema. Neste dia lá nas matas, Foi um grande dia de festa. Todos os caboclos se enfeitaram, Com as folhas da Jurema. Oi saravá seu Arranca Toco, Saravá seu bambi odé, Oi que bambi o clime… Oi que bambi odé. (bis)
232-CABOCLO ARRANCA TOCO
Seu Arranca Toco é de Umbanda, É de maná zambê, Quando ele vem lá de Aruanda, Auê, auê, auê. (bis)
233-CABOCLO BOM
Caboclo bom É irmão do outro, Um é Sete Flechas, Outro Arranca Toco.
234-CABOCLO ARRANCA TOCO
Canta meu bom Caboclo, Brilha no seu endá. (bis) Saravá seu Arranca Toco, Bom Caboclo, Que ganhou linda estrela de Oxalá.
235-CABOCLO ARRUDA
Caboclo Arruda é um odé formoso, Quando da Umbanda, saravá o endá. Ele é orirê, Ele é orirá. (esribilho, bis)
236-CABOCLO BOIADEIRO (na Jurema)
Ele é Boiadeiro, É caboclo na Jurema. (bis) Ele passei nesta terra, É porque tem ordem suprema. (bis)
237-JOÃO BOIADEIRO
É malandragem, moço, É malandragem. João Boiadeiro, É um rei na malandragem, moço.
238-BOIADEIRO DA JUREMA
Na Jurema tem uma linda flor, Na cachoeira brotou linda roseira, Na mata virgem, Seu Boiadeiro, ô Juremá, Com o seu laço ele pega boi, Ele ganga boi, Ele quebra madeira.
239-CABOCLO BUGRE
O seu bodoque é de cipó, A sua flecha é de indaiá.(bis) Meu Caboclo vem sereno, Como o sereno é. Saravá Caboclo Bugre, Da sinda di mi santé. Seu bodoque é de cipó, A sua flecha é de indaiá.(bis)
240-CABOCLO CAÇADOR
Caça, caça, caçador, Como é lindo ver caçar. Caça, caça, caçador, Caçador do Juremá. Caça, caça, caçador, Caça, caça, caçador, Oi caça aqui, caça acolá.
241-CABOCLO CAÇADOR
Atira, Caboclo, atira, Atira pra não errar. (bis) Caboclo que atira na mata, Seu Caçador, saravá o seu endá. (bis)
242-CABOCLO XETRUÁ
O meu Pai é Caçador, Que não nega o seu natural. (bis) Ele é Caboclo das águas claras, E é Caboclo Xetruá. (bis)
243-CABOCLO CAÇADOR
Caçador que caçou, O seu sabiá. (bis) Que pousava no galho, No galho da sua macáia. (bis)
244-CABOCLO CACHOEIRINHA
A mata virgem escureceu, Veio o luar e clareou. Foi quando ouvi, A linda voz do Senhor, Cachoeirinha é quem chegou. (bis)
Mas ele é rei, ele é rei, ele é rei, Ele é um rei na mata virgem, ele é rei. (estribilho – bis)
245-CABOCLO COBRA CORAL
Todos os Caboclos, Quando vêm da mata, Trazem a cinta do Seu Cobra Coral. (bis) É do Seu Cobra Coral, É do Seu Cobra Coral. (estribrilho – bis)
246-SARAVÁ COBRA CORAL
Sucuri, jibóia, Como vem beirando o mar. (bis) Olha como brogoiô, Saravá seu Cobra Coral. (bis)
247-CABOCLO COBRA CORAL
Zuará, Caboclo lindo, Cobra Coral é um panaiá. (bis) Arreia, Caboclo, arreia, Cobra Coral é de Oxalá. (bis)
248-CABOCLO ESTRELA D’ALVA
Vai estrela tão brilhante, Que ilumina este gongá. (bis)
Oi vai buscar, Estrela vai buscar, Com a permissão de Oxalá, Oi vai buscar Seu Estrela D’Alva, Pra vir na Umbanda trabalhar. Estrela tão brilhante…
Vai estrela tão brilhante, Que ilumina este gongá. (bis)
249-CABOCLO FLECHEIRO (Linha cruzada)
Com sua flecha de apanaiá, Ele é ligeiro. (bis) Saravá sua linha cruzada, odé, Ele é o Caboclo Flecheiro. (bis)
250- CABOCLO FLECHEIRO
O Seu Flecheiro passeava na Jurema, Estrela D’Alva iluminava a mata virgem. (bis) Águas da Oxum corriam na cachoeira, Saravá meu Pai Flecheiro, É cassuté da Lei Suprema.
251- CABOCLO FLECHEIRO Uma flecha zuniu no ar, Quem seria tão forte arqueiro. (bis) Quando estrela brilhou na mata virgem, Pude ver o Caboclo Flecheiro.
252- CABOCLO FLECHEIRO
Linda barquinha nova, Que vem do mar de Lisboa, Nossa Senhora vem dentro, Seu Flecheiro vem na proa.
253-CABOCLO FLECHEIRO
Bumba na calunga, Ele é Caboclo, ele é flecheiro. Bumba na calunga, Amansador de feiticeiro. Bumba na calunga, Ele vem firmar seu ponto. Bumba na calunga, E vem firmar é na Angola.
254-CABOCLO FOLHA SECA
O vento ventou lá nas matas, Jogando as folhas secas no chão. (bis) O vento já parou, a folha já caiu, Seu Folha Seca apanhou uma na mão.
255-CABOCLO FOLHA VERDE
Folhas verdes da palmeira, Como brilham no luar. (bis) Folha Verde é caçador, Caçador da Jurema, do juremá. (bis)
256- CABOCLO FOLHA VERDE
Os rios da Oxum são muito largos, Lagoas da Iara matam a sede. (bis) Saravá este Terreiro de Umbanda, saravá, Saravá meu bom caboclo Folha Verde.(bis)
257-CABOCLO FOLHA VERDE
Temporal passou na mata, Meu Deus, mas que ventania. (bis) Era o Caboclo Folha Verde, Que bradava ao romper do dia. (bis)
258-CABOCLO JIBÓIA
Seu Jibóia tem sua cinta, Também tem a sua lança. (bis) Óia zúa, quizúa, quizúa aê, Seu Jibóia mora na mata. (bis)
259-CABOCLO GIRA-SOL
Um dia lá mata eu vi, Um caboclo guerreiro, Que vinha de longe, Lá do juremá. Era tão lindo, Como a luz do arrebol, Com uma cruz na mão direita, Era o Caboclo Gira-Sol.
260-CABOCLO GRAJAÚNA
Voou, voou, meu passarinho azulão. (bis)
Quem está na gira é caboclo, Anjos do céu dão a mão. Salve Caboclo Grajaúna, Com sua flecha na mão.
261-CABOCLO GRAJAÚNA
Seu Grajaúna é caboclo valente, Ele é Caboclo em qualquer lugar. Mas só apanha a folha da Jurema, Com ordem suprema de Pai Oxalá.
262-CABOCLO GUARANI
Eu vi nas matas um dia, Seu Guarani sentado na pedra fria. Ele cantava, ele assoviava, E lá no céu uma estrela brilhava.
263-CABOCLO GUARANI
Há quanto tempo eu não via, Seu Guarani numa Umbanda. (bis) Até que chegou o dia, agora, Seu Guarani é quem manda. (bis)
264-CABOCLO GUARANI
Seu Guarani é táta de Arucáia, Seu penacho tão lindo não nega. (bis) Eu sou filho do Caboclo Guarani, Coruja não me azara, E a cobra não me pega. (bis) 265-CABOCLO GUINÉ
Caboclo, Caboclo. Ele é o Seu Guiné. (bis) O seu pai é rei, Ele é príncipe, é. (bis)
266-CABOCLO GUINÉ
É banda, é banda, É banda, é banda, é banda é. (bis)
Sua banda é de ouro, é, Sua banda é de ouro, é. Seu cocar é dourado, Saravá o Caboclo Guiné.
267- CABOCLO GUINÉ
Meu Pai é o Caboclo Guiné. Meu Pai é o Caboclo Guiné. Vencedor de demandas, Não perco a sua fé.
268- CABOCLO GUINÉ
Em alto mar vi um clarão, Corri para ver quem é. (bis) Vi um lindo Caboclo de penacho, banda odé, Seu nome era Caboclo Guiné. (bis)
269-CABOCLO INDAIASSÚ
Estrela que ilumina o Céu, Estrela que clareia a Aruanda. (bis) Estrela que ilumina a mata virgem, Clareou Indaiassú na Umbanda.
270-CABOCLO ITANHAGUERA
Na mata ou em demanda, Ele luta e não medra, É forte no arco e flecha, O seu brado racha a pedra. (bis)
271-CABOCLO JAGUARÉ
Uma estrela brilhou no céu, Meu Deus, me diga quem é. (bis) Saravá, Terreiro de Umbanda, Vai chegar Caboclo Jaguaré. (bis)
272-CABOCLO JUPIÁRA
É hora, é hora, É hora, de bambi oclime é hora. (bis) É hora de bambi oclime é hora. É hora de Jupiára é hora, Umbanda é hora. (refrão)
273-CABOCLO LAMBARÍ
Lá no mato tem, odé, Lá no mato mora, Lambarí de ouro, Tá puxando tora. Lambarí de ouro, Tá puxando tora. Ele é caboclo de Deus E Nossa Senhora.

 



 PONTOS DE BOIADEIROS

1- PONTO DE BOIADEIRO
Seu boiadeiro por aqui choveu Seu boiadeiro por aqui choveu Choveu que água rolou Foi tanta água que seu boi nadou Foi tanta água que seu boi bebeu Seu boiadeiro Foi tanta água que seu boi nadou
2- Mas ele veio pelo rio de contas Vem caminhando pela aquela rua Olha que beleza Seu boiadeiro no clarão da lua
3- Boa noite meus senhores Boa noite meus senhores Daí licença para um cavaleiro Daí-me licença para um cavaleiro Eu moro em mata serrada Eu moro em mata serrada O meu nome é caboclo vaqueiro Boa noite meus senhores Boa noite meus senhores Daí licença para um cavaleiro Daí-me licença para um cavaleiro Deus nos salve casa santa Deus nos salve casa santa Onde Deus fez a morada Onde Deus fez a morada Boa noite meus senhores Boa noite meus senhores Daí licença para um cavaleiro Daí-me licença para um cavaleiro Onde mora os cálices bento Onde mora os cálices bento E a hóstia consagrada E a hóstia consagrada
4- Cadê minha corda De lança meu boi O meu boi fugiu Eu não sei pra onde foi
5- Toma lá vaqueiro Toma jaleco de couro Toma jaleco de couro Na porteira do curral
6- Na minha boiada me falta boi Oi me falta um ou me falta dois Na minha boiada me falta boi Oi me falta dois ou me falta três
7- Tava longe, tava longe Tava longe dessa terra Tava longe, tava longe Tava longe tava em guerra
8- Zai, zai, zai boa noite meus senhores Zai, zai, zai boa noite e venham cá Zai, zai, zai eu me chamo boiadeiro Zai, zai, zai não nego meu natural
9- Oh lá nas matas Lá da Jurema Oh lá nas matas Lá da Jurema É uma lei severa É uma lei sem pena
10- Em cima do meu lajedo Eu bebi água no gravata Sou boiadeiro Eu bebi água no gravata Sou gentileiro Eu bebi água no gravata
11- De manha cedo na capela bate o sino Seu boiadeiro veio aqui para rezar Trabalhador não tem noite não tem hora Galo canto ta pronto pra trabalhar
12- A menina do sobrado Mandou me chamar, pois sou criado Eu mandei dizer a ela Estou vaquejando o meu gado Olô boiadeiro Eu gosto do samba arrochado
13- Folha por folha Na mangueira tem Minha guiada E, e, a
14- Abalei minha roseira Para tirar do caminho Na aldeia de boiadeiro Não se pisa em espinho
15- São sete anos São sete noites Que eu andava na juremeira
16- Com meu chapéu de couro Com Deus abençoado Ao chegar peço licença Pra entrar no seu reinado
17- Pedrinha miudinha Pedrinha de Aruanda eh Lajedo tão grande Tão grande de Aruanda eh
18- Oh meu lajedo é muito grande De pedrinha miúda De pedrinha miúda Oh de pedrinha graúda
19- Estrela Dalva é minha guia Que ilumina sem para Ilumina a mata virgem Cidade do jurema
20- De lá vem vindo De lá vem só De lá trazendo As forças maior
21- E lá no mato Tem um boiadeiro Ele é bonito e formoso Como o raio do sol
22- E como vai camarada Eu vou indo Eu venho aqui Na tocada do sino
23- A abelha que faz o meu Também faz o são cura Caboclo pega a sua flecha Não deixa outro toma E, e, e, e, Guerreiro joga as flechas para o ar
24- Mais um adeus Aleluia adeus Vou pra jurema Quem vai se embora sou eu Eu já vou, já vou Eu já vou pra lá Tupã pai me chama Eu já vou a retirar
25- E quem vem lá É dois dois de ouro Quem vem lá boiadeiro sou eu A cancela do meio bateu Sou eu, boiadeiro sou eu Boiadeiro, boiadeiro Sua boiada esparramada Boiadeiro chama seu guia E vai ver sua boiada
26- Sou brasileiro, sou brasileiro Sou brasileiro imperador Sou brasileiro O que, que eu sou Eu sou brasileiro Brasileiro imperador Eu sou brasileiro Brasileiro o que, que eu sou
27- Oh lapa Oh lapa de bom Jesus Oh lapa terra sagrada Boiadeiro é que nos conduz
28- Sinhazinha já me vou Galo cantou na serra Salvei ioiô Salvei sinhá Bate o dia estrada a fora Peço a Ogum pra me ajudar
29- Água no pé da gruta Na gruta da santa cruz Seu boiadeiro é hora, é hora Sua guiada é de Jesus
30- To no caminho Boiadeiro toca o sino Ele é menino Mais já sabe trabalha Seu moço toca a guiada Seu boiadeiro bom Jesus do Maria
31- E com o laço de couro fino Capote de pele quente Seu vaquejada já ta saindo Sua boiada partiu na frente
32- Bóia boiadeiro Boiadeiro bóia Se eu contar minha vida Boiadeiro chora   33- Cadê seu boiadeiro Aonde ele ta Ele ta fechando o corpo Para trabalha Range muito gado Cura muita gente Ele é Zé boiadeiro Que cabra valente
34- É hora, é hora Galo cantou é hora é hora Seu boiadeiro já vai embora Com Deus e nossa Senhora
35- E boi, e boi, e boi Eu vou buscar meu laço Eu perdi minha boiada Na virada do compasso Eu fui boiadeiro Eu fui sim sinhô Mais perdi tudo o que eu tinha Por causa de um grande amor
36- Não toque nesse boi Que esse boi é cruzado Ele é de boiadeiro Caboclo valente de peito afiado Se você precisar Boiadeiro esta aqui Mais não toque no boi Que a ponta da chibata pode lhe ferir
37- Salve boiadeiro Salve a boiada Salve a virgem Maria Salve esta morada Salve a luz Divina Um rei lá na chapada Salve a Santa Cruz Salve a virgem Imaculada
38-
Ele é caboclo ele é Flecheiro Bumba na calunga É caçador de feiticeiro Bumba na calunga ele vai firma seu ponto Bumba na calunga Oi firma aqui e lá na Angola Bumba na calunga
39-
Sou boiadeiro da serra Eu vim buscar minha boiada (bis) Na mão direita meu laço Na esquerda minha guiada Não deixo meu boi fugir Eu vou cantando na estrada Laia laia lalauê (bis)
40-
Seu boiadeiro olha que linda boiada (bis) Está faltando um, está faltando um, Pra completar a boiada (bis) Ô ô ô ô ô ô ô ô ô ô ô (bis) Lá vem seu boiadeiro Tocando a sua boiada (bis) 41-
Chetruê, Chetruá Minha corda é de laçar Chetruê, Chetruá Meu boi fugiu mandei buscar 42-
Vem, boiadeiro vem, gira seu laço na mão, Seu boiadeiro toca boi, toca boiada, De dia de madrugada ele é o rei lá do sertão, Chapéu de couro, ele toca seu berrante, Ele faz sua zuada nas bandas do Chapadão, seu boiadeiro
43-
Na instância de boiadeiro, Eu bebi água de gravatá. (bis) Eu bebi água de gravatá, Seu boiadeiro, Eu bebi água de gravatá. (bis)
44-
Bandeira Branca trago do Pai Forte, Trago no peito uma Estrela brilhante, Deus lhe salve tua Casa Santa. E salve tua espada de guerreiro Estrela D’Alva quem guiou meus passos, Foi quem me trouxe neste terreiro,
45-
Atravessei o mar o mar à nado Por cima de dois barris eu vinha ver a Juremeira E os caboclos do Brasil
46-
Eu vim de Minas trazendo minha boiada, Na beira da estrada eu parei pra descansar, Boiadeiro, ê, boiadeiro há Boiada boa como a de Minas não há.
47-
Ele é carreiro da Estação da Leopoldina, Vinha carreando boi lá pro estado de Minas 48-
Quem samba fica quem não samba vai embora Eu vou chamar seu boiadeiro que vai começar o samba agora...
49-
Boiadeiro joga o laço pra laçar seu Boi Tatá, Se o cavalo é puro-sangue, o cavaleiro nem se fala... Chetruê, chetruá
50-
Eu tenho meu chapéu de couro Eu tenho a minha guiada Eu tenho o meu lenço vermelho para tocar a minha vaquejada 51-
Cadê seu Boiadeiro aonde ele tá, Ele tá fechando o corpo Para trabalhar Tange muito gado, cura muita gente Ele é João Mineiro que cabra valente.

 

 

PONTOS DE CIGANOS  ÔPTCHA!
. SAUDAÇÃO AOS ELEMENTOS DO POVO CIGANO ( ESTE NÃO É CANTADO ): SALVE O SOL! SALVE A LUA! SALVE O FOGO! SALVE OS VENTOS! SALVE OS CAMINHOS ABERTOS! SALVE AS PRADARIAS! SALVE AS CAMPINAS! SALVE AS ESTRELAS!
. SANTA SARA – PROTETORA DOS CIGANOS (DIA DE SANTA SARAH : 24/5) SALVE SARA, PROTETORA DOS CIGANOS ESTAMOS AQUI PARA LHE PEDIR VEM ABRIR NOSSOS CAMINHOS NOS MOSTRE UMA LUZ PARA PROSSEGUIR TANTA LUZ ILUMINANDO AS CORES DO ARCO-ÍRIS É SANTA SARA QUE ESTÁ CHEGANDO PARA ABENÇOAR O POVO CIGANO A NOSSA LUTA É CONSTANTE PARA DEFENDER A LIBERDADE MINHA SANTA NOS AJUDE A MERECER ESTA FELICIDADE SANTA SARA ILUMINAI NOSSOS CAMINHOS A NOSSA FÉ, NOS AJUDE A CONSTRUIR LEVE ESTA PRECE, COM OS NOSSOS DESTINOS PARA UM MUNDO MELHOR QUE HÁ DE VIR . RECONHECIMENTO CIGANO:
CIGANO, NOSSO PRANTO É DE ALEGRIA FELICIDADE É SENTIR-SE LIVRE DE CAMINHAR POR ESSES CAMPOS E SENTIR A EMOÇÃO DOMINAR O CORAÇÃO NOSSA GENTE VAI SEMEAR E NESTA TERRA DEIXAR RAIZ NOSSO AMOR IRÁ BROTAR NO CORAÇÃO DESTE PAÍS ESTES CAMPOS ESTÃO FLORIDOS COM O LUAR É MAIS BONITO LINDO SOL VAI AQUECER AO CHEGAR O AMANHECER LIBERDADE VAMOS CRESCER NESTA TERRA TÃO QUERIDA ENCONTRAMOS ACOLHIDA LUTAREMOS ATÉ VENCER CIGANOS, UM ABRAÇO DE UNIÃO VAMOS TODOS DAR AS MÃOS FINALMENTE RECONHECIDOS NESTA TERRA COMO IRMÃOS LIBERDADE VAMOS CRESCER
. PONTOS DE LINHA:
CIGANO, AMIGO DA LUA DE NOITE FAZ FARRA, DE DIA ANDA NA RUA ANDAR, ANDAR, ANDAR, VENDENDO ILUSÕES PARA ALGAZU COMPRAR PORQUE CIGANO TEM A FORÇA DA LUA SE VOCÊ PODIA, NÃO DEVIAS PROMETER SE VOCÊ PROMETEU, VOCÊ TEM QUE PAGAR SE VOCÊ NÃO PAGAR, JAMAIS VAI ANDAR
CIGANO BATE O PÉ, CIGANO BATE O PÉ CIGANO ENTRA NA RODA PRA SALVAR FILHOS DE FÉ QUEM VEM DE LÁ QUEM VEM DE CÁ SÃO CIGANOS QUE VEM BAILAR
CIGANO, TU TENS A FORÇA DA LUA TU VENS AQUI NA RUA CANTAR A TUA PAIXÃO CIGANO, TEUS OLHOS SÃO FASCINANTES ARREDA TODO O MAL QUE CAUSA TANTO DESALENTO
DEU MEIA NOITE O SERENO CAI CAI, CAI, O SERENO CAI SERENO DE CIGANO CAI, CAI, O SERENO CAI
LINDA ROSA NO JARDIM AMANHECEU MINHA MÃE ESTÁ CHAMANDO E LÁ VOU EU EU SOU CIGANO, EU SOU CIGANO NA ALDEIA EU SOU CIGANO E CIGANO NÃO BAMBEIA
NUMA NOITE DE LUAR ESTÃO OS CIGANOS A CANTAR NUMA NOITE DE LUAR ESTÃO OS CIGANOS A BAILAR SE QUERES FAZER UM PEDIDO OU FAZER UMA OFERENDA PARA O POVO CIGANO TEM QUE SER NUMA NOITE DE LUAR NUMA NOITE DE LUAR ESTÃO OS CIGANOS A CANTAR NUMA NOITE DE LUAR ESTÃO OS CIGANOS A BAILAR OS CIGANOS GOSTAM DE VIVER UMA VIDA SEMPRE A CAMINHAR NO SERENO ESTÁ O SEU PRAZER DE CANTAR NUMA NOITE DE LUAR NUMA NOITE DE LUAR ESTÃO OS CIGANOS A CANTAR NUMA NOITE DE LUAR ESTÃO OS CIGANOS A BAILAR
POVO CIGANO FAZ SENTIR SUA ENERGIA COM SUA MAGIA E ALEGRIA DE CANTAR COM A FORÇA DA LUA E A LUZ DO DIA COM A NATUREZA ELES SABEM TRABALHAR POVO CIGANO SABE O SEGREDO COM A FORÇA DA FÉ NINGUÉM VAI NOS DERRUBAR
QUANDO ZAMBI ANDOU NO MUNDO SEU CIGANO SEGURA SEU REINADO OLHA ESPINHOS DA ROSEIRA CIGANO NÃO DEIXA SEUS FILHOS CAIR
TODOS OS CIGANOS SÃO ASSIM GIRAM O MUNDO SEM PARAR GOSTAM DE FICAR SOB O LUAR DE FRENTE AO FOGO A CANTAR DE FRENTE AO FOGO A BAILAR
PISA FIRME CIGANO QUERO VER O SEU DANÇAR POIS NA RODA DE CIGANO NINGUÉM PODE BALANÇAR
CIGANA, CIGANA VEM CIGANA VEM TRABALHAR ELA É A CIGANA DO SERENO QUE VEM PARA SEUS FILHOS AJUDAR ELA É BONITA, ELA É FACEIRA GOSTA DE BRINCOS, COLAR, MUITAS PULSEIRAS CABELOS LONGOS, PELE MORENA ATÉ A LUA ADMIRA SUA BELEZA
CIGANA, ELA VEM DANÇANDO ELA VEM MOSTRANDO SUA DANÇA NO TERREIRO COM SUA SAIA RODADA, SUA BOTA PRATEADA PRA ESPANTAR OS FEITICEIROS
CIGANA QUE VEM DANÇANDO QUE VEM DANÇANDO SUA DANÇA DE TERREIRO COM SUA SAIA RODADA SUA BOTA PRATEADA PRA ACABAR COM FEITICEIRO
ELA É CIGANINHA DA SANDÁLIA DE PAU ELA FAZ O BEM, ELA FAZ O BEM NUNCA FAZ O MAL
ELA É UMA CIGANA FACEIRA, ELA É ELA É DAS SETE LINHAS E NÃO É DO CANDOMBLÉ ELA VEM DE MUITO LONGE OS SEUS FILHOS AJUDAR ELA VEM DE MUITO LONGE SARAVAR NESTE CONGÁ
EU BEM QUE AVISEI PRA VOCÊ NÃO JOGAR ESTA CARTADA COMIGO VOCÊ APOSTOU NO VALETE E EU APOSTEI NA DAMA AMIGO, VOCÊ NÃO ME ENGANA ESSA LINDA CIGANA VEM TRABALHAR NA UMBANDA
GANHEI UMA BARRACA VELHA FOI A CIGANA QUEM ME DEU O QUE É MEU É DA CIGANA O QUE É DELA NÃO É MEU A CIGANA É QUEM ME AJUDA CÁ NA TERRA ONDE ESTOU VEJA COMO EU ESTOU
LENITA É UMA MOÇA BONITA! DE SAIA RODADA ELA GOSTA MUITO DE ÁGUA BORBULHANTE
LEVANTA A SAIA, OH CIGANA NÃO DEIXA A SAIA ARRASTAR A SAIA CUSTA DINHEIRO DINHEIRO CUSTA A GANHAR
NUMA NOITE DE LUA, UMA LINDA CIGANA PASSEAVA NA RUA E SORRIA AO LUAR ELA ERA FORMOSA, ERA DONA DA ROSA UMA LINDA CIGANA VEM O MAL DESMANCHAR
VINHA CAMINHANDO A PÉ, A PÉ PARA VER SE ENCONTRAVA UMA LINDA CIGANA DE FÉ ELA PAROU E LEU MINHA MÃO, LEU MINHA MÃO E DISSE TODA A VERDADE MAS EU SÓ QUERIA SABER ONDE ESTAVA AQUELA LINDA CIGANA DE FÉ
. CIGANO PABLO:
LONGO FOI O MEU CAMINHO ANDEI NESSE MUNDO, ANDEI SOU UM ANDARILHO SOU CIGANO, HOJE EU SEI SEI QUE AO CAMINHAR CUMPRO MINHA MISSÃO DOU O MEU AXÉ A QUEM ME ESTENDER A MÃO TODOS ME CHAMAM PABLO CIGANO
. CIGANO CARLOS:
TODOS OS CIGANOS SÃO ASSIM GIRAM O MUNDO SEM PARAR GOSTAM DE FICAR SOB O LUAR DE FRENTE AO FOGO A BAILAR DE FRENTE AO FOGO A CANTAR
. CIGANO RAIKO:
POR TODOS OS CAMINHOS QUE MEUS PÉS PISARAM POR TODAS AS ESTRADAS DE MINHA JORNADA SOU CIGANO RAIKO GUERREIRO DE TODAS ARMADAS COM A FORÇA DA LUA, BRILHO DE LUAR CIGANO É GUERREIRO, CIGANO VAI LUTAR
. CIGANO RAMIREZ:
DE LONGE EU VIM CAMINHEI SETE PEDREIRAS PASSEI POR CACHOEIRAS ONDE MORA AIEIÊ LÁ NA CAMPINA ONDE A LUA É PRATEADA SOU CIGANO NA ALVORADA SOU CIGANO, EU SOU MAIS EU
. CIGANO RAMON:
NA GIRA DOS CIGANOS RAMON VEM TRABALHAR AO BRILHAR A LUA ELE VEM CANTAR NA GIRA DOS CIGANOS RAMON VEM TRABALHAR NA FORÇA DO FOGO GIRA MUNDO SEM PARAR NA GIRA DOS CIGANOS RAMON VEM TRABALHAR
. CARMEM DO ORIENTE:
A ESTRELA DA CIGANA CARMEM QUE LÁ DO ORIENTE BRILHA SEM PARAR ESSA ESTRELA ELA TRAZ EM SEU PEITO E TODA A UMBANDA ELA VEM CLAREAR CLAREIA, ESTRELA FORMOSA DA CIGANA CARMEM QUE É ASTRO SEU E COMO UMA ESTRELA DO ORIENTE ILUMINA OS CAMINHOS QUE CIGANA ACOLHEU
. CARMENCITA DA CAMPINA:
É DAS CAMPINAS QUE ELA VEM PRA TRABALHAR É A CIGANA CARMEM CARMENCITA DAS CAMPINAS COM A FORÇA DA LUA, DO FOGO E DO SOL ELA VEM PRA TRABALHAR É A CIGANA CARMEM CARMENCITA DAS CAMPINAS
. CIGANA MADALENA:
ERA UMA NOITE DE LUA UMA ESTRELA INCANDESCENTE APARECEU SEU BRILHO FORTE POVO CIGANO ENXERGOU E LOGO COMPREENDEU ERA A CIGANA ESPERANÇA A CIGANA CRIANÇA QUE CHEGAVA PARA AJUDAR AOS FILHOS SEUS MADALENA…MADALENA
. CIGANA ROSALINA:
EM UMA GRANDE CAMPINA NUMA NOITE DE LUA SENTADA JUNTO AO FOGO ESTÁ A CIGANA ROSALINA COM A FORÇA DA LUA COM A FORÇA DO FOGO CIGANA ROSALINA ESTENDE SUA AJUDA CIGANA ROSALINA ROSALINA DE SEVILHA CIGANA DA CAMPINA CIGANA ROSA, ROSALINA
. CIGANA ROSITA
ROSITA É UMA MOÇA BONITA QUE USA VESTIDO DE CHITA E VEM PARA GIRA COLAR, BRINCO E PULSEIRA PRA TODOS AGRADAR É A CIGANA ROSITA QUE VEM PRA TRABALHAR
. CIGANA SILVANA:
DA CAMPINA VEM SILVANA POIS FORAM ME CHAMAR COM A FORÇA DA LUA, DO FOGO E DO SOL SEGUINDO AS ESTRELAS ELA VEM PRA TRABALHAR COM SUA ENERGIA ELA AGORA ESTÁ AQUI SALVE SILVANA QUE CHEGOU PRA TRABALHAR
. CIGANA SORAIA:
SORAIA VOCÊ É CIGANA LINDA AONDE ESTÁS QUE VOCÊ NÃO VEIO AINDA? MAS ELA VEM NO BALANÇO DO MAR VEM DAS CALUNGAS, ELA VEM BEIRANDO O MAR
. CIGANA TÂNIA:
SE VOCÊ SENTIR A BELEZA DAS CAMPINAS VERÁ UMA CIGANA JUNTO àS FLORES A REZAR SALVE JESUS CRISTO E A VIRGEM MARIA QUE NOS PROTEGE, NOS AJUDA E NOS GUIA É A CIGANA TÂNIA DA ANDALUZIA SAÚDA SEU POVO E TAMBÉM VEM TRABALHAR A CIGANA TÂNIA VEM TRAZER SUA AMIZADE TRAZ FELICIDADE, MUITA FÉ, MUITA EMOÇÃO A FORÇA CIGANA NUNCA VAI EMBORA FORTALECE A FÉ EM DEUS E EM NOSSA SENHORA A CIGANA TÂNIA VAI CHEGAR AGORA SUA MÃO AMIGA DÁ AMPARO AO CORAÇÃO
. CIGANA SOLEÁ (GITANA SOLEÁ):
DE LAS CUEVAS DE GRANADA CON EL FUEGO DE SU RAZA.. VIENE POR LOS OLIVARES HILANDO RAYOS DE PLATA TRAE LA MAGIA DE LA LUNA Y EN SUS DEDOS FILIGRANAS LA GITANA SOLEÁ DANZANDO TODA LA TRIBU CANTANDO GITANA… GITANA VA CORTANDO MALEFICIOS EN SU CHAL ESTÁ EL SECRETO CARACOLAS EN SU PECHO Y EN SUS MANOS SORTILEGIOS LA GITANA SOLEÁ DANZANDO TODA LA TRIBU CANTANDO GITANA… GITANA
. CIGANA ZAÍRA:
CIGANA, CIGANA ZAÍRA CIGANA DAS SETE LINHAS CIGANA DOS ANDARILHOS QUE VEM AQUI TRABALHAR CIGANA, CIGANA ZAÍRA CIGANA DOS ENCANTADOS JOGOU AS CARTAS NA MESA E DISSE QUE VAI ME AJUDAR!
(FONTE: ODILON MORAES “MANO”)

 

Pontos Cantados de Exu.


Pontos de EXU
(SAUDAÇÃO A OXALÁ)
É HORA DE DAR AS MÃOS PARA LOUVAR UM GRANDE GUERREIRO QUE DE ESPADA OU PAXORÔ ELE GOVERNA ESSE UNIVERSO INTEIRO ELE É PAI OXALÁ É O SENHOR NAS ALTURAS QUE PROTEGE TODO AQUELE QUE SEGUE A SUA ESCRITURA DE SÓ FAZER CARIDADE SEM DISCRIMINAÇÃO INDEPENDENTE DE COR OU DE RELIGIÃO OS CIGANOS VÃO EM BANDO CANTANDO ESSE REFRÃO SALVE OXALÁ BATAM PALMAS COM FERVOR ELE É O NOSSO MESTRE É SÓ LUZ PAZ E AMOR EXU (SAUDAÇÃO A IANSÃ)  SETE RAIOS CLAREOU O CÉU QUANDO OS ANDARILHOS PASSARAM ELES CANTARAM E DANÇARAM PARA UMA GRANDE IABÁ EPARREI, OH IANSÃ OH BELA OIÁ UMA VENTANIA BALANÇOU O COQUEIRAL ERAM OS CIGANOS LOUVANDO A SENHORA DO BAMBUZAL EXU (SAUDAÇÃO A OGUM)  PAI OGUM ABRA AS ESTRADAS DEIXA OS CIGANOS PASSAREM QUANDO ELES VEM DO ORIENTE É LONGA A SUA CAMINHADA PRÁ CHEGAR EM NOSSO CONGÁ TRAZEM MAGIA E MUITO AMOR PARA DAR SÃO OS CIGANOS MENSAGEIROS DO AMOR NA LUA CHEIA PAI OGUM TOCA ALVORADA NO ROMPER DA MADRUGADA SEUS FILHOS CANTAM ASSIM (LAIÁ) LAIÁ, LÁ, LAIÁ, LAIÁ, LAIÁ, LAIÁ LÁ LAIÁ, LÁ LAIÁ PAI OGUM ABRA AS ESTRADAS DEIXA OS EXUS PASSAREM QUANDO ELES VEM DA SUA BANDA É LONGA A SUA CAMINHADA PRÁ CHEGAR EM NOSSO CONGÁ TRAZEM MAGIA E MUITO AMOR PARA DAR SÃO OS EXUS MENSAGEIROS DO AMOR NA LUA CHEIA PAI OGUM TOCA ALVORADA NO ROMPER DA MADRUGADA SEUS FILHOS CANTAM ASSIM LAIÁ, LÁ, LAIÁ, LAIÁ, LAIÁ, LAIÁ LÁ LAIÁ, LÁ LAIÁ EXU (PARA GUARDAR A PORTEIRA)
MEIA NOITE NO RELÓGIO MEIA NOITE O GALO CANTA NA PORTEIRA TEM VIGIA MEU CONGÁ TEM SEGURANÇA
EXU PORTEIRA
LÁ NA PORTEIRA DEIXEI MEU SENTINELA EXU DA PORTEIRA NA PORTEIRA NA CANCELA
EXU (FIRMEZA)  SANTO ANTÔNIO DE BATALHA FAZ DE MIM BATALHADOR CORRE GIRA A CIGANA A PADILHA E MARABÔ SANTO ANTÔNIO DE BATALHA FAZ DE MIM BATALHADOR CORRE GIRA A CIGANA A PADILHA E MARABÔ
EXU (ABERTURA)  A LUA CLAREOU A MEIA NOITE A ENCRUZILHADA LOUVADA SEJA A FORÇA DE DEMANDA EXU DA PORTEIRA É TATA DE UMBANDA LOUVADA SEJA A FORÇA DE DEMANDA CIGANA DA MATA É TATA DE UMBANDA LOUVADA SEJA A FORÇA DE DEMANDA EXU MARABÔ É TATA DE UMBANDA LOUVADA SEJA A FORÇA DE DEMANDA MARIA PADILHA É TATA DE UMBANDA LOUVADA SEJA A FORÇA DE DEMANDA SEU TIRIRI É TATA DE UMBANDA LOUVADA SEJA A FORÇA DE DEMANDA MARIA MOLAMBO É TATA DE UMBANDA LOUVADA SEJA A FORÇA DE DEMANDA MENSAGEIROS DE ORIXÁ (DE ORIXÁ) MAS ELES TEM BOM CORAÇÃO (CORAÇÃO) A MINHA FÉ É MUITO GRANDE EU PEÇO A SUA PROTEÇÃO (A LUA) A LUA CLAREOU A MEIA NOITE A ENCRUZILHADA LOUVADA SEJA A FORÇA DE DEMANDA SETE ENCRUZILHADAS É TATA DE UMBANDA LOUVADA SEJA A FORÇA DE DEMANDA SEU TRANCA RUAS É TATA DE UMBANDA LOUVADA SEJA A FORÇA DE DEMANDA CIGANA MENINA É TATA DE UMBANDA LOUVADA SEJA A FORÇA DE DEMANDA SEU MEIA-NOITE É TATA DE UMBANDA LOUVADA SEJA A FORÇA DE DEMANDA CIGANA DO ORIENTE É TATA DE UMBANDA LOUVADA SEJA A FORÇA DE DEMANDA CIGANA ROSA É TATA DE UMBANDA LOUVADA SEJA A FORÇA DE DEMANDA SETE CATACUMBAS É TATA DE UMBANDA LOUVADA SEJA A FORÇA DE DEMANDA MENSAGEIROS DE ORIXÁ (DE ORIXÁ) MAS ELES TEM BOM CORAÇÃO (CORAÇÃO) A MINHA FÉ É MUITO GRANDE EU PEÇO A SUA PROTEÇÃO (A LUA) A LUA CLAREOU A MEIA NOITE A ENCRUZILHADA LOUVADA SEJA A FORÇA DE DEMANDA TODOS OS EXUS SÃO TATA DE UMBANDA LOUVADA SEJA A FORÇA DE DEMANDA TODAS AS POMBOGIRAS SÃO TATA DE UMBANDA LOUVADA SEJA A FORÇA DE DEMANDA TODOS OS CIGANOS SÃO TATA DE UMBANDA CIGANA DA MATA (RAQUEL)
NO MEIO DA MATA ESTÁ A CIGANA QUE FAZ DA CLAREIRA SUA ALDEIA POIS A MATA É O LUGAR DESTA CIGANA QUE LÊ AS CARTAS SOB A LUZ DA LUA CHEIA E QUANDO A LUA ESTÁ MINGUANTE QUEM VÊ A CIGANA SORRIR VERÁ UM PUNHAL DE PEDRAS E BRILHANTES É UM CAMINHO DE LUZ A SE SEGUIR
CIGANA DA MATA (RAQUEL)
PASSEI PELA MATA FIZ “PELO SINAL” ENCONTREI A CIGANA COMIGO FALOU FALOU, FALOU COMIGO COMO VAI VOCÊ EU VOU BEM MINHA GRANDE AMIGA EXU TIRIRI (SÔNIA)
EXÚ TIRIRI É O REI É O REI DA ENCRUZILHADA TOMA CONTA PRESTA CONTA NO ROMPER DA MADRUGADA
MARIA MULAMBO (TAMARA)
MULAMBO RAINHA DIVINA A DEUSA ENCANTADA TEM NO SEU CONGÁ A SEGURANÇA ELA TEM SUA HISTÓRIA MARCADA CAMINHOU NUM TAPETE DE FLORES E NEM SEQUER SE IMPORTOU ELA DEIXOU OS SEUS SUDITOS CHORANDO E FOI VIVER NO MUNDO DA PERDIÇÃO ELA É RAINHA, ELA É MULHER ELA É RAINHA, ELA É MULHER PEDACINHO DE MULAMBO É PARA QUEM TEM FÉ
PONTO DE FOGO  A CIGANA QUANDO CHEGA NO REINO ELA FIRMA A GIRA PRIMEIRO
RODEIO DOS MÉDIUNS NO PONTO
RODEIA, RODEIA RODEIA MEU SANTO ANTÔNIO, RODEIA O DIZ RODEIA SANTO ANTÔNIO É PEQUENINO AMANSADOR DE BURRO BRAVO AMANSAI MEUS INIMIGOS PRÁ QUE EU VIVA SOSSEGADO RODEIA, RODEIA RODEIA MEU SANTO ANTÔNIO, RODEIA O DIZ RODEIA SANTO ANTÔNIO É PEQUENINO AMANSADOR DE BURRO BRAVO QUEM MECHER COM A CIGANA É MELHOR TOMAR CUIDADO PARA A QUEIMA DO PONTO DE FOGO
MAS SE O FOGO LHE QUEIMAR ELA NÃO VOLTA MAIS NA UMBANDA PISA NA UMBANDA Ê A CIGANA É AMIGA DE DEUS PISA NA UMBANDA Ê
CIGANA DA MATA (APÓS QUEIMA DO PONTO)
EU NÃO TENHO MEDO DE CAMINHAR COM A CIGANA DA MATA EU NàO TENHO MEDO DE CAMINHAR AXÉ Ô Ô, AXÉ Ô Ô DAÍ PROTEÇÃO MINHA CIGANA A QUEM TEM FÉ
EXU MARABÔ MARABÔ Ê, MARABÔ Á MARABÔ Ê, MARABÔ Á TAIA TALAIA DE POMBOGIRA MARABO AMOGIBÁ EXU  EXU TÁ DE RONDA DEIXA RONDAR GRAÇAS A DEUS JÁ DEI COMIDA AOS ORIXÁS EXU É MEU AMIGO É SEU TAMBÉM MAS NESSA CASA NÃO SE FAZ MAL A NINGUÉM
EXU TIRIRI (ANTES DA CHAMADA DOS OUTROS)  SEU TIRIRI DÁ LICENÇA PRÁ EU PASSAR A ESTRADA É SUA NÓS QUEREMOS CAMINHAR SOMOS CIGANOS, EU SEI MAS MENSAGEIROS DO AMOR SEU TIRIRI ESTÁ SEMPRE AONDE ESTOU AO MEIO DIA O SOL VEM PRA CLAREAR LEVANTA A POEIRA OS CIGANOS VÃO TRABALHAR MAS QUANDO à NOITE A LUA CLAREIA TODA A ESTRADA SEU TIRIRI DÁ A SUA GARGALHADA SAUDAÇÃO AS CIGANAS E POMBOGIRAS
A ESTRADA É DE POMBOGIRA ELA É POR LÁ PASSA EXU PASSA OGUM NA ALVORADA MAS A POMBOGIRA ALI FAZ SUA MORADA ESTRADA ABERTA ESTRADA FECHADA DONA MARIA MULAMBO OU PADINHA, MULHER A ESTRADA TAMBÉM É ROTA DOS CIGANOS DO CABARÉ CAMINHANDO JUNTAS PELA BANDEIRA DA FÉ CIGANAS E POMBOGIRAS VÃO ABRINDO AS NOSSAS GIRAS
CIGANAS
QUE LINDA ROSA QUE EU PLANTEI NA ENCRUZILHADA QUE LINDA ROSA QUE EU COLHI NO MEU JARDIM POMBOGIRA CIGANA POMBORIRA DE FÉ ELA ESTÁ ONDE VOCÊ QUISER CIGANAS  VINHA CAMINHANDO A PÉ PARA VER SE ENCONTRAVA A MINHA CIGANA DE FÉ ELA PAROU E LEU MINHA MÃO E DISSE-ME TODA A VERDADE EU SÓ QUERIA SABER AONDE MORA A POMBOGIRA CIGANA
CIGANAS
EU MANDEI FAZER UM BARALHO DE OURO PARA A CIGANA JOGAR UM BARALHO Ê UM BARALHO Á UM BARALHO Ê PARA A CIGANA JOGAR
CIGANAS
EM NOITE DE LUA CHEIA AO VER A CIGANA PASSAR PEDI PARA LER A MINHA MÃO E O MEU DESTINO FALAR CIGANA OLHA A MAROLA NÃO DEIXA O BARCO VIRAR CIGANAS  BEM QUE EU LHE AVISEI PRÁ VOCÊ NÃO JOGAR ESSA CARTADA COMIGO VOCÊ PAROU NO VALETE E EU PAREI NA DAMA AMIGO VOCÊ NÃO ME ENGANA POMBOGIRA CIGANA É POMBOGIRA CIGANA
CIGANAS
PRIMEIRO BOA NOITE GENTE BOA NOITE GENTE PRÁ DEPOIS ELA FALAR MARIA VESTIDINHA DE ESPANHOLA LÁ LAIÁ LAIÁ E TOCAVA CASTANHOLA COMO ELA CHOROU COMO ELA CHOROU NAQUELA NOITE LINDA EM QUE SEU BEM LHE ABANDONOU CIGANAS
GANHEI UMA BARRACA VELHA FOI A CIGANA QUEM ME DEU O QUE É MEU É DA CIGANA O QUE É DELA NÃO É MEU A CIGANA PUERÊ PUERÊ, PUERÁ CIGANINHA PUERÊ PUERÊ, PUERÁ
CIGANINHA  CIGANINHA, CIGANINHA DÁ SANDÁLIA DE PAU QUANDO ELA BATE O PÉ ELA FAZ O BEM NÃO FAZ O MAL
CIGANINHA  É CIGANINHA, É A PEDRA DO SEU ANEL BRILHA MAIS DO QUE O SOL COM SEU PANDEIRO E SUA ROSA NO CABELO COMO É LINDO A GENTE VER CIGANINHA NO TERREIRO
POMBOGIRAS  ARREDA HOMEM QUE AÍ VEM MULHER ELA É A POMBOGIRA RAINHA DO CABARÉ MARABÔ VEM NA FRENTE PRÁ DIZER QUEM ELA É ELA É A POMBOGIRA RAINHA DO CABARÉ
POMBOGIRAS
ABRE A RODA DEIXA A POMBOGIRA ENTRAR, Ô, Ô ABRE A RODA DEIXA A POMBOGIRA ENTRAR ELA TEM PEITO DE AÇO ELA TEM PEITO DE AÇO E CORAÇÃO DE SABIÁ
POMBOGIRAS
DEU UMA VENTANIA (Ô GANGA) NO ALTO DA SERRA É A POMBO GIRA (Ô GANGA) QUE VEM DESCENDO A SERRA
POMBOGIRAS
MOÇA ME DÁ UM CIGARRO DO SEU PRA FUMAR PORQUE DINHEIRO EU NÃO TENHO PRÁ COMPRAR VIVO SOZINHO VIVO NA SOLIDÃO Ó POMBOGIRA ME DÊ SUA PROTEÇÃO Ô MOÇA, Ô MOÇA, Ô MOÇA ME AJUDE COM A SUA FORÇA
POMBO GIRA
É UMA CASA DE POMBO É DE POMBOGIRÁ AUÊ, AUÊ. AUÊ, AUÁ (AUÊ. AUÊ, AUÁ ) AUÊ, AUÊ. AUÊ, AUÁ
POMBOGIRAS
AÊ, AÊ, AÊ, POMBOGIRA DE MACEIÓ AONDE MORA A POMBOGIRA POMBOGIRA DE MACEIO
POMBOGIRAS
POMBO GIRA VOCÊ É UMA ROSA QUE FLORESCEU NUM GALHO DE ESPINHOS POMBOGIRA, GIRÁ, GIRÁ POMBOGIRA VEM ABRIR NOSSOS CAMINHOS
POMBOGIRAS
UM DIA, NA BEIRA DO CAIS ENCONTREI UMA MOÇA QUE ERA BONITA DEMAIS O NAVIO APITOU MAS NÃO SAIA E NA ENCRUZA A POMBOGIRA SORRÍA
POMBOGIRAS  DEU MEIA NOITE A LUA SE ESCONDEU LÁ NA ENCRUZILHADA DANDO A SUA GARGALHADA A POMBOGIRA APARECEU ILAROIÊ, ILAROIÊ, ILAROIÊ AMOGIBÁ, AMOGIBÁ, AMOGIBÁ ELA É ODARA QUEM TEM FÉ NESSA LEBARA É SÓ PEDIR QUE ELA DÁ
POMBOGIRAS
OLHA O VENTO QUE SOPROU DO LADO DE LÁ E TROUXE A POMBOGIRA PRO LADO DE CÁ
POMBOGIRAS
EU PASSEI NA ENCRUZILHADA NUNCA VI TANTA MULHER TINHA MARIA PADILHA, MARIA MULAMBO E MARIA MULHER TINHA MARIA FARRAPO, MARIA NAVALHA E MARIA QUALQUER
POMBOGIRAS
TÃO SÓ, TÃO SÓ ELA VIVE NO MUNDO SÓ É DOCE QUE NEM AÇÚCAR AMARGA QUE NEM JILÓ
MARIA PADILHA  PADILHA É MOÇA RICA GOSTA DE ANDAR PINTADA QUEM QUISER VER A PADILHA BASTA ANDAR DE MADRUGADA
MARIA PADILHA
GIROU, GIROU GIROU MARIA PADILHA GIROU, GIROU POMBOGIRA QUE VENCE DEMANDA RAINHA DA ENCRUZA SARAVÁ UMBANDA Ê Ê Ê, SARAVÁ UMBANDA Ê Ê Á, SARAVÁ UMBANDA
MARIA PADILHA
PADILHA, SOBERANA DA ESTRADA RAINHA DA ENCRUZILHA E TAMBEM DO CANDOMBLÉ SUPREMA UMA MULHER DE NEGRO ALEGRIA DO TERREIRO SEU FEITIÇO TEM AXÉ ELA É, ELA É, ELA É A RAINHA DA ENCRUZA NOSSA AMIGA DE FÉ
MARIA PADILHA
A SUA CATACUMBA TEM MISTÉRIO MAS ELA É POMBOGIRA DO CEMITÉRIO
MAS ELA É LOURA DOS OLHOS AZUIS MARIA PADILHA É FILHA DE SEU OMULU
MARIA PADILHA / MARABÔ
ROSA VERMELHA (Ô ROSA VERMELHA) QUE CLAREIA A UMBANDA ROSA VERMELHA ROSA VERMELHA É A PADILHA E MARABÔ ROSA VERMELHA QUE CLAREIA A UMBANDA ROSA VERMELHA É A PADILHA E MARABÔ ROSA VERMELHA É A PADILHA ROSA VERMELHA É MARABÔ ROSA VERMELHA É A PADILHA E MARABÔ
MARIA PADILHA / MARIA MULAMBO  A MULHER DE 7 HOMENS É MARIA PADILHA MAS QUEM GOSTA DE FANDANGO É MARIA MULAMBO MARIA MULAMBO
MAS QUE MOCINHA É AQUELA QUE VEM PELA RUA BEBENDO MARAFO E CAINDO NA RUA ELA É MARIA MULAMBO ELA É MARIA MULAMBO
MARIA MULAMBO  DEU MEIA NOITE NA ENCRUZILHADA MARIA MULAMBO DEU SUA GARGALHADA Ê MULAMBÊ, Ê MULAMBÁ SUA SAIA DE RETALHOS TEM HISTÓRIA PRÁ CONTAR
MARIA MULAMBO
MAS QUE CAMINHO É AQUELE QUE VEM PASSANDO AQUELA MOÇA COM SEU VESTIDO DE CHITA ESTALANDO OSSO OSSO POR OSSO MAS ELA É POMBOGIRA ELA É MARIA MULAMBO
MARIA MULAMBO
OLHA A SAIA DELA ELA É MULAMBO SÓ É MULAMBO É MULAMBO É MULAMBO SÓ
MARIA MULAMBO
MULHER, MULHER ELA É TATA MULAMBÊ ELA É TATA NA CALUNGA E AINDA É POMBOGIRÊ
SETE CATACUMBAS  CEMITÉRIO É PRAÇA LINDA QUE EU NÃO QUERO PASSEAR NUMA CATACUMBA BRANCA SETE CATACUMBAS MORA LÁ MORA LÁ, MORA LÁ SETE CATACUMBAS MORA LÁ
SETE CATACUMBAS  OLHA QUEM VEM PASSANDO POR AÍ É UMA MOÇA VESTIDINHA DE CHITA ELA É POMBOGIRA DA CALUNGA ELA ARREBENTOU AS SETE CATACUMBAS
POMBOGIRA SETE ENCRUZILHADAS
COM UMA GARRAFA DE ANIS E COM UMA ROSA DO LADO QUE LINDA MOÇA ELA É FEITICEIRA ELA É POMBOGIRA DONA SETE ENCRUZILHADAS
POMBOGIRA SETE ENCRUZILHADAS  JOGARAM UMA FLOR LÁ NA CALUNGA SEU OMULU MANDOU LOGO VER QUEM É NÃO ERA FLOR, NÃO ERA NADA ERA DONA SETE RAINHA DA ENCRUZILHADA
POMBOGIRA TATA-CAVEIRA
SE A NOITE CHEGA E NÃO TEM LUAR É QUANDO ELA SAI PRA PASSEAR E ELA RONDA A CALUNGA INTEIRA ELA É FILHA DE OMULU ELA É TATA-CAVEIRA
EXU
O GARFO DE EXU É FIRME A CAPA DE EXU ME RODEIA EU JÁ VAGUEI PELA MADRUGADA PASSEI NA ENCRUZILHADA EXU NÃO BAMBEIA
EXU
ESTAVA CURIANDO NA ENCRUZA QUANDO A BANDA LHE CHAMOU EXU NO SEU REINO É REI NA UMBANDA ELE É DOUTOR EXU VENCE DEMANDA EXU É CURADOR
EXU
Ê EXU ELE PISA NO TOCO DE UM GALHO SÓ PISA NO TOCO, PISA NO GALHO O GALHO BALANÇA EXU NÃO CAI (Ô GANGA) Ê EXU ELE PISA NO TOCO DE UM GALHO SÓ CHUVA GROSSA NÃO ME MOLHA MIÚDA QUER ME MOLHAR (Ô GANGA) Ê EXU ELE PISA NO TOCO DE UM GALHO SÓ MARIMBONDO PEQUENINO BOTA FOGO NO PAIOL (Ô GANGA)
EXU
EU VI NA ENCRUZILHADA A PANELA DE EXU TINHA FAROFA AMARELA PESCOÇO DE GALO E PENA DE URUBU
EXU
EXU NÃO TEM LAR, EXU MORA NA RUA SEU PAI É O SOL, E A SUA MÃE É A LUA
EXU
UMA ESTRELA BRILHA NA ARUANDA DE OXALÁ O LUAR CLAREIA PARA TODO EXU PASSAR QUE VEM DE LONGE NA UMBANDA TRABALHAR VEM FIRMAR A SUA GIRA COM LICENÇA DE OXALÁ E FIRMAR O PONTO PARA TODOS AJUDAR A ESTRADA É MUITO LONGA DÁ PRÁ TODOS CAMINHAR EXU
EXU NÃO É CRIANÇA QUE SE ENGANA COM TOSTÃO SÓ SE LEMBRA DE EXU NA HORA DA AFLIÇÃO
EXU
EXU PASSOU MEIA NOITE NA ENCRUZA EXU PLANTOU RAIZ MAS É COM AVE MARIA MAS É COM AVE MARIA MAS É COM AVE MARIA EXU DAS ALMAS MAS É COM AVE MARIA
EXU
NA CASINHA PRETA TEM UMA FESTINHA _ VOCÊ FOI CONVIDADO? _ EU NÃO!
EXU
EXU GANHOU UM MARAFO LEVOU NA CAPELA PRO PADRE BENZER PERGUNTOU PRO SACRISTÃO SE A BATINA DO PADRE TEM DENDÊ TEM DENDÊ SE A BATINA DO PADRE TEM DENDÊ
EXU
DÁ UMA VOLTA SÓ NA CALUNGA DÁ UMA VOLTA SÓ NA CALUNGA, NA CALUNGA, NA CALUNGA DÁ UMA VOLTA SÓ
EXU MARABÔ
É UMA VILA, É UMA VILA É UMA VILA Ê Ô É UMA VILA, É UMA VILA DE SEU MARABÔ
EXU MARABÔ
SEU MARABÔ SEU MARABÔ FUNDANGA AMOGIBÁ SEU MARABÔ FUNDANGA AMOGIBÁ SEU MARABÔ FUNDANGA AMOGIBÁ
EXU TIRIRI
MANDARAM UM RECADO PRÁ MIM DIZENDO QUE SEU TIRIRI IA CHEGAR TAMBÉM MANDARAM DIZER QUE ELE VEM ACOMPANHADO DE MULHER
EXU TIRIRI
QUANDO O SOL DEIXAR DE BRILHAR QUANDO A LUA DEIXAR DE CAMINHAR EU VOU PEDIR A TIRIRI PRÁ ME AJUDAR QUANDO O VENTO NÃO FIZER FOLHA CAIR QUANDO A CHUVA NÃO MOLHAR MAIS ESSE CHÃO TEREI CERTEZA QUÉ É O FIM DO MUNDO ENTÃO TRANCA RUAS
Ó LUAR, Ó LUAR (Ó LUAR) MAS ELE É O DONO DA RUA (Ô LUAR) QUEM TIVER OS SEUS PECADOS PEÇA PERDÃO A TRANCA RUAS
TRANCA RUAS
ELE É CAPITÃO DA ENCRUZILHADA ELE É ELE É ORDENANÇA DE OGUM SUA COROA QUEM LHE DEU FOI SANTO ANTÔNIO SUA DIVISA QUEM LHE DEU FOI OMULU OI SALVE O SOL, SALVE A ESTRELA SALVE A LUA SARAVÁ SEU TRANCA RUAS QUE É O DONO DA GIRA NO MEIO DA RUA ENA ENA AMOGIBÁ ENA ENA AMOGIBÁ SARAVÁ SEU TRANCA RUAS QUE É O DONO DA GIRA NO MEIO DA RUA
TRANCA RUAS
SEU TRANCA RUAS QUE NASCEU NA RUA SE CRIOU NA RUA E NA RUA MORREU SEU TRANCA RUAS SEU TRANCA RUAS SEU TRANCA RUAS AINDA É DONO DA RUA
TRANCA RUAS
JÁ CHEGOU A HORA DE SEU TRANCA RUAS JÁ CHEGOU A HORA DO TRABALHADOR ELE É GERERAL, ELE É DOUTOR ELE VENCEU GUERRA ELE É CURADOR
TRANCA RUAS
O SINO DA IGREJINHA FAZ BELÉM, BLÉM BLOM DEU MEIA-NOITE O GALO JÁ CANTOU SEU TRANCA RUAS É O DONO DA GIRA OI CORRE GIRA QUE OGUM MANDOU
TRANCA RUAS DE IMBARÉ
ELE SE CHAMA TRANCA RUAS QUE NASCEU NO MATO GROSSO SE CRIOU EM NAZARÉ ELE É FILHO DE UM XAVANTE NETO DE UM NAVEGANTE TRANCA RUAS DE IMBARÉ É DE IMBARÉ, É DE IMBARÉ ELE É TRANCA RUAS DE IMBARÉ
EXU CAVEIRA
PORTÃO DE FERRO CADEADO DE MADEIRA NA PORTA DO CEMITÉRIO É ONDE MORA EXU CAVEIRA EXU CAVEIRA
Ê POERÊ, Ê POERÁ Ê POERÊ, Ê POERÁ SALVE A MOSCA VAREJEIRA SALVE EXU CAVEIRA
EXU CAVEIRA
DE UNHA GRANDE E BRAÇO FORTE EXU CAVEIRA É O DONO DA MORTE
EXU 7 ENCRUZILHADAS
QUANDO O GALO CANTA E AS ALMAS SE ALEVANTAM E O MAR RECUA É QUANDO OS ANJOS DO CÉU DIZEM AMÉM E O POBRE LAVRADOR DIZ ALEUIA DIZ ALELUIA, DIZ ALELUIA SEU 7 ENCRUZILHADAS DIZ ALELUIA
EXU 7 ENCRUZILHADAS
QUANDO PASSAR NA ENCRUZILHADA OI NÃO SE ESQUEÇA DE OLHAR PRÁ TRÁS OLHA QUE LÁ TEM MORADOR SEU SETE ENCRUZAS É QUEM MORA LÁ ELE FOI PADRE JÁ RESOU MISSA HOJE TRABALHA PRÁ PAI OXALÁ
EXU 7 ENCRUZILHADAS
OLHA QUEM VEM LÁ NO PORTÃO DE CAPA E CARTOLA E DE PÉ NO CHÃO É SEU 7 ENCRUZILHADAS SERÁ, SERÁ
EXU 7 ENCRUZILHADAS
PAPAI LÁ FORA TEM UM HOMEM MEU FILHO VAI VER QUEM É ELE SE CHAMA 7 ENCRUZAS MAS ELE É HOMEM, NÃO É MULHER EXU 7 ENCRUZILHADAS
IA PASSANDO PELA RUA QUANDO AVISTEI UM VULTO EU FUI LÁ VER QUEM ERA QUEM ERA, OI, QUEM ERA SEU 7 ENCRUZILHADAS NA ENCRUZA ERA
EXU DA MEIA-NOITE
SEU MEIA-NOITE DEU MEIA NOITE JÁ É SAPO QUE PULA NO CHÃO ANDORINHA QUE VOA NO AR
EXU DA MEIA-NOITE
ESTAVA PERDIDO NUMA ENCRUZILHADA JÁ ERA NOITE, JÁ ERA MADRUGADA OLHEI ENTÃO PARA O CÉU ESTRELADO PEDI A DEUS PARA SER AJUDADO ENTÃO A NOITE ESTRELADA DESCEU E NA FORMA DE UM HOMEM ME APARECEU ”_ BOA NOITE MOÇO” COMEÇOU A FALAR “_ EU SOU SEU MEIA-NOITE VIM PRA TE AJUDAR” EXU VELUDO
EU PASSEI NO CEMITÉRIO IA PASSANDO, OUVI UM GRITO EU PAREI PARA ESCUTAR O GRITO ERA DE UM CABRITO CALUNGA Ê, CALUNGA Á SEU VELUDO NA CALUNGA FEZ O CABRITO BERRAR
EXU CAINANA
EXU CAINANA QUEM TE MANDOU, CAINANA FOI A MARIA PADILHA (CAINANA) FOI SEU MARABÔ (CAINANA) FOI MARIA MULAMBO (CAINANA) FOI QUEM ME CHAMOU (CAINANA)
EXU MANGUEIRA
OLHA A FOLHA DA MANGUEIRA QUE NASCEU NAQUELA ALTURA TÁ PENSANDO QUE EU NÃO SEI AONDE TEM MANGA MADURA
EXU (GENÉRICO)
………………….. NO REINO É UMA BELEZA EU NUNCA VI EXU ASSIM ELE É MADEIRA QUE NÃO DÁ CUPIM
EXU (GENÉRICO)
FOI NAS ALMAS NAS ALMAS QUE EU CONHECI EXU NAS ALMAS QUE EU CONHECI ………………………………….. NAS ALMAS QUE EU CONHECI EXU
EXU (GENÉRICO)
EXU MEU QUERER, QUERER A SUA BANDA EU QUERIA VER MAS NO ROMPER DA AURORA …………………………… É QUEM MANDA AGORA
EXU (GENÉRICO)
ASSOVIOU, ASSOVIOU ASSOVIOU 17 MINUTOS ………………………………….. ASSOVIOU 17 MINUTOS
EXU (FIRMEZA)
VOU PELA BEIRA DO CAMINHO ESSE GONGÁ TEM SEGURANÇA NA PORTEIRA TEM VIGIA MEIA NOITE O GALO CANTA
EXU (DEMANDA)  OI ME DISSERAM QUE SUA CASA IA CAIR SUA CASA É MADEIRA QUE NÃO DÁ CUPIM
EXU (DEMANDA SÓ QUANDO SOLICITADO)  EXU QUE TEM DUAS CABEÇAS ELE OLHA SUA BANDA COM FÉ UMA É SATANÁS NO INFERNO A OUTRA É DE JESUS NAZARÉ
EXU (DEMANDA)  EXU NÃO BRINCA EXU NÃO É BRINCADEIRA ONZE HORAS PLANTOU BANANEIRA MEIA NOITE BANANEIRA DEU CACHO BANANA NÃO AMADUROU EXU BOTOU BANANEIRA ABAIXO
EXU (DEMANDA)
FALARAM, FALARAM FALARAM DE MIM MAS ISSO EU NÃO SEI PORQUÊ SE FOR INVEJA AS POMBO GIRAS TOMAM CONTA SE FOR FEITIÇO OS EXUS VÃO ME VALER MAS NESSA VIDA É SÓ ISSO QUE SE VÊ QUANTO MAIS A GENTE FAZ MENOS TEM QUE MERECER O MEUS EXUS EU SÓ QUERIA SABER QUANDO É QUE AS PESSOAS VÃO SE ENTENDER
EXU (LOUVANDO SANTO ANTÔNIO)
SANTO ANTÔNIO É COROADO COM DIADEMA DE MARFIM SANTO ANTÔNIO, SANTO DE MESA SALVE EXU QUE TAMBÉM É GUIA
EXU (LOUVANDO OXALÁ)  FOI, FOI OXALÁ QUEM MANDOU EU PEDIR QUEM MANDOU IMPLORAR QUE AS SANTAS ALMAS VIESSEM ME AJUDAR EXU TÁ NO TERREIRO DE JOELHOS A TRABALHAR
MALANDRO  SE A RÁDIO PATRULHA CHEGASSE AQUI AGORA SERIA UMA GRANDE VITÓRIA NINGUÉM PODERIA CORRER AGORA QUE EU QUERO VER QUEM É MALANDRO NÃO PODE CORRER
MALANDRO
MALANDRAGEM, MALANDRAGEM E MEIA SEGURA ESSE MALANDRO QUE ELE NÃO BAMBEIA
MALANDRO
DE MANHÃ CEDO QUANDO EU DESCO O MORRO A NEGA PENSA QUE EU VOU TRABALHAR EU BOTO O MEU BARALHO NO BOLSO MEU CACHECOL NO PESCOÇO E VOU PRÁ BARÃO DE MAUÁ TRABALHAR, TRABALHAR PRÁ QUE SE EU TRABALHAR EU VOU MORRER
MALANDRO
MALANDRO TEM UMA NEGA NA COZINHA ELA TOCA RECO-RECO NA COSTELA DA GALINHA
MALANDRO
INGRATIDÃO, INGRATIDÃO INGRATIDÃO ELA BOTOU A FACA NO MEU CORAÇÃO EU DEI A ELA AMOR E CARINHO E NO ENTANTO EU ACABEI SOZINHO
MALANDRO  É TRISTE, É DOLOROSO SER LEVADO PRÁ POLÍCIA SEM SER CRIMINOSO FUI LEVADO PELOS POPULAR QUANDO EU TAVA SENTADO TOMANDO CERVEJA NA MESA DE UM BAR
MALANDRO (ZÉ)
FOI ZÉ QUEM TOROU O PAU FOI ZÉ QUEM FEZ A GAMELA FOI ZÉ QUE FEZ MAL A MOÇA ELE MESMO CASOU COM ELA AH ZÉ, ZÉ ENGANADOR ENGANOU MOÇA DONZELA COM PALAVRAS DE AMOR
MALANDRO (ZÉ)  PISA NA FLOR AONDE SEU ZÉ MORA NÃO MECHA COM ELE QUE ELE VEM AQUI E AGORA
MALANDRO (ZÉ)  QUANDO EU SAIO PRO TRABALHO ELE VEM RAIANDO O DIA BARALHO NO BOLSO CAMISA DE SEDA E CHAPÉU DE PALHINHA BOM DIA ZÉ COMO VAI COMO É QUE É VOU MUITO BEM àS CUSTAS DA SUA MULHER
MALANDRO (ZÉ)
DE DIA NUMA LINDA BATUCADA DE NOITE NOS BRAÇOS DA SUA AMADA COMO É QUE É SEU ZÉ COMO É QUE É SEU ZÉ EU SEI QUE O SEU NEGÓCIO É MULHER MALANDRO (ZÉ)
Ô ZÉ, QUANDO VEM LÁ DA LAGOA TOMA CUIDADO COM O BALANÇO DA CANOA Ô ZÉ, FAÇA TUDO O QUE QUISER SÓ NÃO MALTRATE O CORAÇÃO DESSA MULHER
MALANDRO (ZÉ PILINTRA)
NA RUA DA AMARGURA AONDE SEU ZE PILINTRA MORAVA ELE CHORAVA POR UMA MULHER CHORAVA POR UMA MULHER CHORAVA POR UMA MULHER QUE NÃO LHE AMAVA
MALANDRO (ZÉ PILINTRA)
COM SEU TERNO BRANCO E SEU CRAVO NA LAPELA ZÉ PILINTRA É MALANDRO É DE CASA AMARELA LÁ NO CATIMBÓ ELE É MESTRE CURADOR QUANDO CHEGA NA UMBANDA É CHAMADO DE DOUTOR MALANDRO (ZÉ PILINTRA)  SEU ZÉ PILINTRA LÁ DA LAPA MAS ELE MORA LÁ NO TUIUTI ELE MORREU COM 7 FACADAS POR CAUSA DE UMA NÊGA SACI
MALANDRO (ZÉ MALANDRO DO CABARÉ)
EU NASCI NO CABARÉ FILHO DE 7 NAVALHADAS TODOS ME CHAMAM DE ZÉ APRENDI TUDO NA ESTRADA NUNCA CONHECI MEU PAI A VIDA QUE ME FORMOU NO MEU CABARÉ QUEM VAI SÓ ME CHAMA DE DOUTOR
MALANDRO (DEMANDA)
O BURACO DO BECO TÁ FERVENDO QUANDO EU PENSO QUE PAGO TÔ DEVENDO
MALANDRO (SUBIDA)
BATE PALMA, BATE PALMA BATE PÉ, PÉ, PÉ MALANDRO VAI EMBORA ELE SÓ VAI A PÉ
EXUS (CHAMADA)
BALANÇA A FIGUEIRA BALANÇA A FIGUEIRA BALANÇA A FIGUEIRA QUERO VER EXU CAIR CADÊ ………………………… QUE EU NÃO VEJO ELE AQUI BALANÇA A ROSEIRA BALANÇA A ROSEIRA BALANÇA A ROSEIRA QUERO VER POMBOGIRA CAIR CADÊ ………………………. QUE EU NÃO VEJO ELA AQUI
EXU (SUBIDA)
É PEMBA BRANCA, É PEMBA PRETA É PEMBA ENCARNADA EXU JÁ VAI EMBORA PRÁ ENCRUZILHADA EXU (SUBIDA)
CAMBONO, CAMBONINHO MEU MEU CAMBONO OLHA QUE EXU VAI OLÓ VAI, VAI, VAI ELE VAI NUMA GIRA SÓ
EXU (SUBIDA)
QUANDO O ATABAQUE SOA FILHOS DE UMBANDA CHORAM É QUE .OS MEUS EXUS DESSA BANDA VAò EMBORA ATÉ OUTRO DIA, ATÉ OUTRA LUA ATÉ QUALQUER HORA
EXU (SUBIDA)
VAI EXU VAI CAMINHAR VAI EXU VAI CAMINHAR NUMA NOITE TÃO BONITA NUMA NOITE DE LUAR
EXU (SUBIDA)
OGUM MANDOU CHUVA DE PRATA PRÁ EXU IR EMBORÁ OGUM MANDOU MAS É SINAL QUE JÁ É HORA Ô CAMINHO DE ANGOLA (CAMINHO DE ANGOLA) Ô CAMINHO DE ANGOLA
POMBOGIRA (SUBIDA)
ADEUS POMBOGIRA, EU VOU EMBORA NÃO CHORA, OI, NÃO CHORA NÃO CHORA QUE UM DIA EU VOLTAREI POIS VOCÊ FOI A PRIMEIRA MULHER QUE EU AMEI
POMBOGIRA (SUBIDA)
A POMBOGIRA QUANDO CAMINHA ALGUMA COISA ELA VAI FAZER OLHA QUE A ESTRADA É MUITO LONGA E O MUNDO É GRANDE ELA VAI PISAR LÁ NO DENDÊ