Sites Grátis no Comunidades.net
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Ultimas Atualizações
Orixás  (07-08-2015)
O Dom da Cura  (05-08-2015)
Contactos  (04-08-2015)
Início  (03-08-2015)
Tronqueira  (31-07-2015)
Casamento Na Umbanda  (30-07-2015)
Exé Sete Encruzilhada  (30-07-2015)
Sincretismo Religioso  (30-07-2015)
Votação
VOCE ACREDITA EM ESPIRITOS
SIM
NÃO
Ver Resultados


Rating: 2.7/5 (164 votos)




ONLINE
1





Partilhe este Site...




Vestes na Umbanda
Vestes na Umbanda

                                          Talvez estejamos diante do Orixá mais cultuado e  respeitado no Brasil.

Isso porque foi ele o primeiro deus iorubano, por  assim dizer, que pisou em terras brasileiras. É, portanto, o principal  tronco dos candomblés do Brasil.

 

Xangô é o rei das pedreiras,  Senhor dos coriscos e do trovão, Pai de justiça e o Orixá da política. 

Guerreiro, bravo e conquistador, Xangô também é conhecido como o Orixá  mais vaidoso, entre os deuses masculinos africanos.

É monarca por  natureza e chamado pelo termo Oba, que significa rei.

E é o Orixá que  reina em Oyó, na Nigéria, antiga capital política daquele país.
No dia a dia encontramos Xangô nos fóruns, delegacias, ministérios  políticos.

Encontramos Xangô nas lideranças de sindicatos, associações,  movimentos políticos, nos partidos políticos, nas campanhas políticas,  enfim, em tudo que gera habilidade no trato das relações humanas ou nos  governos, de um modo geral.
Xangô é a ideologia, a decisão, a  vontade, a iniciativa.

Xangô é a rigidez, a organização, o trabalho, a  discussão pela melhora, o progresso cultural e social, a voz do povo, o  levante, a vontade de vencer.
Xangô é a capacidade de organizar e pôr em prática os projetos de diferentes áreas, é a reunião de pessoas, para discutirem pontos e estratégias de trabalho.

Xangô também é o  sentido de realeza, a atitude imperial, monárquica.

É o espírito nobre  das pessoas, o chamado "sangue azul", o poder de liderança.
Ele  está presente nos trabalhos de jornalistas, escritores, advogados,  juízes, promotores, delegados, investigadores, deputados, senadores,  vereadores, sindicalistas, líderes comunitários, administradores, etc. É o líder, o monarca, o reformador.
Xangô também é representado  pela pedreira. É a pedra – seja ela qual for – a rocha, o fogo interior  da terra. É a lava do vulcão e é o próprio vulcão.

Está presente em  todos os lugares rochosos e arenosos e também muito ligado ao calor do  sol.

É o justiceiro da Natureza, aquele que manda castigar e que também  castiga.
Xangô está presente em muitos momentos importantes de  nossas vidas, como, por exemplo: na assinatura de contratos e distratos, nos telegramas, nas leis e decretos, na confecção de códigos, livros,  almanaques, dicionários, nas decisões judiciais, na voz da prisão, na  autoridade do professor, do policial, do juiz, do pai ou da mãe, tio,  avô, irmão mais velho ou responsável.

Xangô é a atitude digna, a  fortaleza, a decisão final.
Saudamos Xangô no ribombar dos  trovões, pois ali está sua voz. Sentimos sua presença nos raios e nos  grandes incêndios, situações que, por sinal, são também regidas por  Iansã.
Xangô rege a bravura, o senso justo e todo elemento rochoso do mundo.
Mitologia
Filho de Bayani e marido de Iansã, Obá e Oxum, Xangô nasceu para reinar, para ser monarca e, como Ogum, para conquistar e solidificar, cada vez mais, sua condição de rei.
Uma das lendas que mostra bem o senso de  justiça de Xangô, é aquela conta a história de uma conquista, feita pelo deus do trovão.

Xangô, acompanhado de numeroso exército, viu-se frente à frente com o exército inimigo.

Seus opositores tinham ordens de não  fazer prisioneiros, destruir o inimigo, desde o mais simples guerreiro  até os ministros e o próprio Xangô.

E, ao longo da guerra, foi  exatamente o que aconteceu. Aqueles que caíam prisioneiros dos exércitos inimigos de Xangô eram executados sumariamente, sem dó ou piedade,  sendo os corpos mutilados devolvidos para que Xangô visse o suposto  poder de seu inimigo.
Batalhas foram travadas nas matas, nas  encostas dos morros, nos descampados.

Xangô perdeu muitos homens, sofreu grandes baixas, pois seus inimigos eram impiedosos e bárbaros.
Do alto da pedreira, Xangô meditava, elaborava planos para derrotar seu  inimigo, quando viu corpos de seus fiéis guerreiros serem jogados ao pé  da montanha, mutilados, com os olhos arrancados e alguns com a cabeça  decepada.
Isto provocou a ira de Xangô que, num movimento rápido e forte chocou seu machado contra pedra, provocando faíscas tão fortes  que pareciam coriscos.

E quanto mais forte batia mais os coriscos  ganhavam força e atingiam seu inimigo.
Tantas foram as vezes que  Xangô bateu seu machado na rocha, tantos foram os inimigos vencidos. 

Xangô triunfara, saíra vencedor.

A força de seu machado de emudeceu e  acovardou inimigo.
Com os inimigos aprisionados, os ministros de  Xangô clamaram por justiça, pedindo a destruição total dos opositores.  Um deles lembrou Xangô:
- Vamos liquidá-los a todos.

Eles foram impiedosos com nossos guerreiros!
- Não! – enfatizou Xangô – meu ódio não pode ultrapassar os limites da  justiça!

Os guerreiros cumpriam ordens, foram fiéis aos seus superiores e não merecem ser destruídos.

Mas, os líderes sim, estes sofrerão a ira  de Xangô.
E, levantando seu machado em direção ao céu, Xangô  gerou uma seqüência de raios, destruindo os chefes inimigos e liberando  os guerreiros, que logo passaram a servi-lo com lealdade e fidelidade.
Assim, Xangô mostrou que a justiça está acima de tudo e que, sem ela, nenhuma  conquista vale a pena, e o respeito pelo rei é mais importantes que o  medo.
Esse é Xangô que, apesar de ser grande guerreiro, justo e  conquistador, detesta a doença, a morte e aquilo que já morreu.

Xangô é  avesso a eguns (espíritos desencarnados).

Admite-se que ele é numa  espécie de ímã de eguns, daí sua aversão a eles.
Xangô costuma  entregar a cabeça de seus filhos a Obaluaê e Omulu sete meses antes da  morte destes, tal grau de aversão que tem por doenças e coisas mortas.
O elemento fundamental de Xangô é o fogo.

 

 

                        Alegria sem limite

Mensagem

Uma família se sentou à mesa, em determinada manhã, para tomar o café.

Como era costume, o pai fez a oração de agradecimento pelo alimento, pedindo a Deus que abençoasse o que estavam comendo.

Logo a seguir, porém, como era seu mau costume, começou a murmurar sobre os tempos difíceis e as lutas pelas quais estavam passando.

Reclamou da péssima comida que eram forçados a comer, da forma como ela era preparada e muito mais. Sua filha pequena, interrompendo-o, falou: "Pai, você acha que Deus ouviu o que disse há alguns minutos atrás"? "

Certamente", respondeu o pai com ar confiante de um bom instrutor.

"E Ele ouviu o que você disse sobre o café e o que comemos com ele"?

"Claro" o pai respondeu, mas não com tanta confiança como antes.

Então, sua pequena filha perguntou novamente: " Então, pai, em qual de suas duas palavras Deus acreditou"? ...

Será que temos o mesmo hábito ruim do homem de nossa ilustração?

Ou confiamos em Deus ou não confiamos.

Não podemos agradecer por Seus cuidados e por suas bênçãos e continuar reclamando de tudo e de todos.

Ou a nossa fé está firmada no Senhor, crendo que todas as coisas cooperam para o nosso bem ou precisamos rever a nossa maneira de encarar a vida e o que é, de fato real.

Quando o Senhor Jesus está em nossos corações, toda a nossa vida é repleta de prazer.

Alegramo-nos tanto quando passamos por momentos de grandes vitórias e fartura como quando enfrentamos fracassos e escassez.

A nossa felicidade não depende do muito ou do pouco, de bonança ou de batalhas, de glórias ou anonimato, mas simplesmente de ter confiança e fé em Deus.

(Pr. Paulo Roberto Barbosa)

 

 

 

 

 

Hoje me dei conta
Hoje me dei conta de que as pessoas vivem a esperar por algo …

E quando surge uma oportunidade, Se dizem confusas e despreparadas …

Sentem que não merecem Que o tempo certo ainda não chegou.

E a vida passa …

E os momentos se acumulam como papéis sobre uma mesa.

Estamos nos preparando para qualquer coisa mas, Ainda não aprendemos a viver.

A arriscar por aquilo que queremos.

A sentir aquilo que sonhamos.

E assim adiamos nossas vidas por tempo indeterminado …

Até que a vida se encarregue de decidir por nós mesmos E percebemos o quanto perdemos e o tanto que poderíamos ter evitado.

Como somos tolos em nossos pensamentos limitados !

Em nossas emoções contidas !

Em nossas ações determinadas !

O ser humano se prende em si mesmo por medo e desconfiança.

Vive como coisa num mundo de coisas. O tempo esperado é o agora.

Sua consciência lhe direciona, Seus sentidos lhe alertam E suas emoções não mais são desprezadas. Antes que tudo acabe é preciso fazer iniciar …

Mesmo com dor e sofrimento Antes arriscar do que apenas sonhar …
(A.D) Pensamentos…
Minha solidão não tem nada a ver com a presença ou ausência de pessoas…

Detesto quem me rouba a solidão, sem em troca me oferecer verdadeiramente companhia….

” (Friedrich Nietzsche)
“Quase sempre amamos a quem nos ama mal, e desprezamos quem melhor nos quer.

Assim, repito, quando tivermos feito tudo para conseguir um amor, e falhado, resta-nos um só caminho…o de mais nada fazer”.

(Clarice Lispector)
“Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida. Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e fazer feliz por inteiro.

Difícil é ocupar o coração de alguém. Saber que se é realmente amado…”

(Carlos Drummond de Andrade)
” Há sempre um pouco de loucura no amor, mas há sempre um pouco de razão na loucura…”

(Nietzsche)
“Viver é a coisa mais rara do mundo, algumas pessoas apenas existem…”

(Oscar Wilde)
“Amar alguém é vê-lo como Deus o concebeu…”

(Dostoiévski)
“Todas as pessoas pensam em mudar o mundo, mas ninguém pensa em mudar-se a si próprio…”

(Toltoi)
” A prisão não são as grades, e a liberdade não é a rua, existem homens presos na rua e livres na prisão. É uma questão de consciência…” (Ghandi)

 

 

 

 

                                                       

 

Prece de Caritas.

Deus, nosso Pai, vós que sois todo poder e bondade, dai força àquele que passa pela provação,  luz àquele que procura a verdade colocando no coração do homem, a compaixão e a caridade.
Senhor, dai ao viajor a estrela guia, ao aflito a consolação, ao doente, o repouso.
Pai, dai ao culpado o arrependimento, ao espírito a verdade, à criança o guia, ao órfão o pai.
Que Sua Bondade, Senhor, se estenda  sobre tudo que criou.
Piedade, Senhor, àqueles que ainda não O conhecem; esperança àqueles que sofrem.

Que Sua Bondade permita aos espíritos consoladores derramarem por toda  parte a paz, a esperança e a fé.
Deus ! Um raio, uma faísca de Seu Amor pode abrasar a terra; deixai-nos beber na fonte dessa Bondade fecunda e infinita e todas as lágrimas secarão, as dores se acalmarão.

Um só coração, um só pensamento subirá até vós,  como um grito de reconhecimento e de amor.
Como Moisés sobre a montanha, nós O esperamos com os braços abertos, ó Poder !

ó Bondade !

Ó Beleza !

ó Perfeição !

E queremos, de alguma sorte, alcançar Sua Misericórdia.
Pai, dai-nos a força de ajudar o progresso a fim de subirmos até onde Está; dai-nos a caridade pura, a fé e a razão; dai-nos a simplicidade que fará das nossas almas o espelho onde se deve refletir Sua Imagem.

 

ORAÇÃO AOS PRETOS VELHOS –
Preto Velho Carreteiro de Oxalá Bastão bendito de Zambi Mensageiro de Obatalá Meu pensamento eleva-se ao teu espírito e peço Agô.

Que tuas guias sejam o farol que norteie minha vida. Que vossa pemba trace o caminho certo para todos os meus actos.

Que vossas palavras, tão cheias de compreensão e bondade, iluminem minha mente e meu coração.

Que teu cajado me ampare em meus tropeços. Ontem te curvastes aos senhores...

Hoje, ajoelho-me aos teus pés pedindo que intercedas junto a Oxalá por mim e por todos que neste momento clamam por vós.

Maleme e paz sobre meu lar e que a luz divina de Obatalá se estenda pelo mundo.

E que o grito de todos os orixás sejam o sinal de vitória sobre todas as demandas de minha vida.

Maleme as almas. Maleme para todos os meus inimigos, para que saiam do negrume da vingança.

E encontrem fonte fecunda e clara do amor e caridade.

ORAÇÃO DOS PRETOS VELHOS – II
“Senhor, Nosso Pai, que sois o Poder, a Bondade, a Misericórdia, olhai por aqueles que acreditam em Vós e esperam por vossa bondade, poder e misericórdia.

Dá Pai, aos que vacilam ao Vosso Poder, na Vossa Misericórdia e Bondade, a clareza de pensamento e abri-lhes, Senhor, os olhos para que pratiquem sempre o bem, a caridade para com os outros dentro da humildade de Vossa Sabedoria, reconhecendo assim a Vossa Existência, Poder e Misericórdia, bem assim, o Vosso Reino.

Senhor, perdoa aqueles que a escuridão ainda não deixou ver, os erros cometidos na sua passagem terrena. Dá, Senhor, a eles que sofrem a luz de Seu imenso Amor e da Sua Sabedoria.

Que a sua luz nos ilumine neste mundo e em outros que ainda desconhecemos, e em todos os lugares por onde passarmos nos proteja.

Oh !

Meu Pai Santíssimo!

A nós pecadores, aceita o nosso arrependimento dos erros que temos cometido.

Pai, pela sua sagrada bondade e paixão, consenti que caminhe até vós pelo caminho da perfeição.

Dá Senhor, orientação perfeita no caminho da virtude, único caminho pelo qual devemos trilhar.

Misericórdia aos nossos inimigos. Perdão a todos os nossos erros, e que Vossa Bondade não nos falte hoje e sempre…

Amém”.

ORAÇÃO DOS PRETOS VELHOS - III
Ao Sagrado Princípio do Todo invocamos, do mais íntimo de nossa Consciência, em sinal de reverência à Verdade, ao Amor e à Virtude, propositando cooperar junto às Legiões de Pretos Velhos, Índios, Hindus e Caboclos, para os serviços que são chamados a desempenhar na Ordem Doutrinária.

Ao Cristo apelamos, como Diretor Planetário e Senhor dos Sete Escalões em que se distribui a Humanidade Terrestre, composta de encarnados e desencarnados, desejando oferecer colaboração eficiente, de caráter fraterno, em defesa da Verdade e da Justiça, contra aqueles que, contrariando os Sagrados Objetivos da vida, se entregam aos atos que contradizem a Lei de Deus.

Conscientes da integridade da Justiça Divina, afirmamos a mais fiel e intensa observância dos Mandamentos da Lei, conforme o Divino Exemplo do Verbo Exemplar, para todos os efeitos invocativos. Acima de alternativas constituirá barreira contra o Mal, em qualquer sentido em que se apresente, venha de onde vier, seja contra quem for, conquanto que, em defesa da Verdade, do Bem e do Bom. Conseqüentemente, que aos bondosos Pretos Velhos seja dado refletir, em seus trabalhos, os sábios e santos desígnios daqueles que, traduzindo a Divina Tutela do Cristo Planetário, assim determinarem das Altas Esferas da Vida.

Que as legiões de Índios, simples, espontâneas e valorosas, sempre maravilhosamente ligadas à natureza exuberante, possam agir sob a direção benévola e rigorosa dos Altos Mentores da Vida Planetária.

Lutando pela Ordem e pelo Bem, pelo progresso no seio do Amor, que tenham de Deus as graças devidas. Que às numerosas legiões de Hindus, profundamente ligadas às mais remotas Civilizações do Planeta, formando portanto nas Altas Cortes da Hierarquia Terrestre, sejam concedidas pelo Senhor Planetário as devidas oportunidades, para que forcem, sustentem e imponham a Suprema Autoridade.

Que nesta hora cíclica, em que a Terra transita de uma para outra Era, as Mentes humanas possam receber os eflúvios da Pureza e da Sabedoria, a fim de que sintam os Divinos Apelos do Cristo, em favor dos Santos Desígnios do Pai amantíssimo, que é a divinização de todos os filhos.

Que as legiões de Caboclos, humildes e bondosos, tão ligadas aos que peregrinam a encarnação, para efeito de expiações, missões e provas, a todos possam envolver, proteger e sustentar, desde que se esforcem a bem da Moral, do Amor, da Revelação, da Sabedoria e da Virtude, pois que, fora dessa Ordem Doutrinária, não há Evangelho.

PRECE AOS PRETOS VELHOS - IV
Louvados sejam todos os pretos-velhos.

Louvados sejam vós que formais o santíssimo rosário da Virgem Maria.

Santas Almas Benditas, protetoras de todos aqueles que se encontram em aflição.

A vós recorremos espíritos puros pelos sofrimentos, grandiosos pela humildade e bem aventurados pelo amor que irradiam, socorre-me pois encontro-me em aflição. Concedam-me, meus bondosos pretos-velhos, a graça de (pede-se a graça que deseja alcancar) através da vossa intercessão junto a Santa Virgem Maria, santíssima mãe de Deus e de todos nós.

Dai-me meus pretos-velhos um pouco de vossa humildade, de vosso amor, e de vossa pureza de pensamentos, para que possa cumprir a minha missão na Terra, seguindo todos os vossos exemplos de bondade. Louvadas sejam todas as Santas Almas Benditas. Tenham piedade de nós. Assim seja

                                    

  SETE LINHAS DA UMBANDA

 

 

SETE LINHAS DA UMBANDA –
Parte V QUINTA LEGIÃO –
IORI
É a manifestação da Potência Divina.
É energia dos anjos de Olorum.
Deus Supremo do Povo Ioruba, criador do mundo.
É a única linha que consegue dominar toda energia.
OBS.: A criança brincando com carrinho, boneca ou qualquer outro brinquedo está em trabalho de descarregar fluído.
1º) TUPANZINHO (Idolu, Idossu):
Crianças, na sua maioria, índios.
Sua força está presente nas matas onde existe grama e mata verde. Cruza com Oxossi.
Protetor dos lenhadores e de seus animais. Cores: verde e rosa.
2º) DOUM:
Crianças nascidas no cativeiro e filhos de pais africanos e mãe índia.
Irradiam na praia e jardim.
Protegem médicos e enfermos.
Cruzam com preto-velho. Cor: rosa.
3º) ALABA:
Legião cujo reino está cruzado entre a guerra, cachoeira e mar.
É o símbolo da força, amor e bondade.
Cruzam com os temporais.
Protegem pessoas dos perigos das tormentas.
4º) DANSU:
Irradiam a força com Xangô.
Reinam as pedras próximas de cachoeiras.
Chegam a terra com os temporais, protegendo pessoas do perigo das tormentas.
Cor: rosa.
5º) BANSU:
Crianças do sexo feminino, sendo filhas de Iemanjá. Os africanos a apresentam como estrela maior, que com outras formam o Cruzeiro do Sul.
Cor: rosa.
6º) DAMIÃO (Crispiniano):
Crianças cujas forças cruzam com Cosme e Doum.
7º) COSME (Crispim):
Crianças que vibram com Oxalá.
Cuidam dos inocentes do espaço.
Cores: rosa e branca.
Apetrechos de Iori: Material indígena enfeitado e todo tipo de brinquedo.
Ervas: folha de amora, folha de anil, manjericão, alfazema, salsa parrilho, erva-doce e trevo.