Sites Grátis no Comunidades.net
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Ultimas Atualizações
Orixás  (07-08-2015)
O Dom da Cura  (05-08-2015)
Contactos  (04-08-2015)
Início  (03-08-2015)
Tronqueira  (31-07-2015)
Casamento Na Umbanda  (30-07-2015)
Exé Sete Encruzilhada  (30-07-2015)
Sincretismo Religioso  (30-07-2015)
Votação
VOCE ACREDITA EM ESPIRITOS
SIM
NÃO
Ver Resultados


Rating: 2.7/5 (154 votos)




ONLINE
3





Partilhe este Site...




História de Vovó Luiza
História de Vovó Luiza

        

Salve Vovó Luiza!!!

Adorei as Almas!!!

Andei por muitos lugares, por muitas estradas de terra cheias de buracos, empoeiradas que com o calor do sol dificultava ainda mais o meu caminhar.

Há muito tempo não chovia e essas estradas eram de terra socada, com pedrinhas que machucavam bastante os meus pés, pois eu já não tinha mais sapatos, eles estavam sem a sola de tanto que eu caminhei.

A sede era imensa, a fome nem tanto pois o cansaço era maior e quando eu encontrava um tronco de uma árvore, eu parava e ali adormecia por horas, às vezes por dias.

A fraqueza era tanta, a dor era tanta, a solidão era tanta, mas nada era maior do que a minha fé e a minha vontade de chegar em meu destino. Até que um dia, eu já havia contado 15 luas, eu avistei no finzinho uma casinha de barro bem humilde porém limpa e cheia de amor, e dentro dela havia um homem.

Então eu parei e pedi um pouco de .

        

 água e contei que já estava perambulando há 15 luas e ainda não tinha conseguido chegar! Esse mesmo homem perguntou para onde eu estava indo, e eu respondi: - Para o meu destino! Bebi um pouco de água, ele me deu uma vasilha com mais água e fui embora a procura do que estava procurando.

Ventava muito, a poeira de terra do chão seco me cobria, as vezes era até difícil de respirar, mas eu não deixei isso me atrapalhar.

Depois de mais 13 luas eu avistei uma pequena mata bonita, só que dessa vez eu já não enxergava mais de uma vista, porque deu inflamação com a poeira de terra que entrava e eu acabei vendo tudo esfumaçado dessa vista.

Cheguei até essa pequena mata e mesmo com apenas uma vista boa eu conseguir ver tanta beleza e conseguir sentir em meus braços uma brisa suave, era como se eu estivesse recebendo um abraço.

Por ali fiquei mais algumas luas, aproveitei para descansar e me alimentar de algumas coisas que a pequena mata pode me oferecer.

Então um dia recolhi alguns frutos, algumas folhas de ervas e continuei a caminhar, para encontrar o meu destino.

Até que depois de muito caminhar, tive um enorme aprendizado com a infinita estrada de terra.

Tive muita alegria por um irmão ter tirado a minha sede, tive muito conforto com a mata, pois ela cuidou do meu sono e me alimentou, depois disso tudo finalmente cheguei ao meu destino.

Aprendi que sozinho não conseguimos aprender.

Aprendi que sempre que precisamos tem alguém para nos amparar, basta pedir. Aprendi que quem quer e luta, consegue chegar em seu destino.

Aprendi que cada lua que passava tinha alguém olhando por mim, era Ele o Pai Maior. Depois de muito caminhar, pisar em muitas pedrinhas, sentir dor, sentir frio, sentir calor, ter sede, eu não desisti, apenas vivi.

Não chorei de tristeza e sim de alegria porque tive ajuda em todas essas luas que caminhei. O meu destino eu sei qual foi e eu o alcancei!

Às vezes é preciso perder um calçado no meio da estrada da vida para sentir a terra, pisar na terra, que é para os pés ficarem fortes para nos deixar firmes para continuar a caminhar na infinita estrada.

E o seu destino, qual será? Salve Omulu! Salve Santo Antônio!

Salve São Francisco!

Salve os Pretos Velhos!

Vovó Luiza da Bahia

        

PRETOS-VELHOS Preto Velho vem...

vem de Aruanda... ]

firma seu ponto com arruda e guiné...

Em seu terreiro ele não pede o seu nome...

em seu Congá ele não perde a sua Fé...
Saravá aos Pretos e Pretas Velhas ...

Salve Vovós e Vovôs. ...

Atrelado à comemoração da libertação dos escravos no Brasil, no mês de Maio a maioria dos terreiros de Umbanda saúda essa amada linha de trabalho que tanta Luz derrama em nossas vidas.

Ao vê-los arqueados em suas manifestações, sempre simples e humildes mas

        

não por isso servientes, não vemos a grandiosidade de seu campo de atuação: que é vastíssimo enquanto Manifestação Divina.

Formada por falanges inteiras de espíritos que de alguma forma estão ligados à Evolução pelos Sentidos, trazem em sua força de trabalho a palavra amiga, o consolo, a tranqüilidade característica dos que trabalham pela evolução da humanidade.
...Chamada de Linha das Almas por muitos, não deixa de ser verdade.

Vemos muitos Vovôs e Vovós que respondem por nomes simbólicos de suas falanges ligadas ao Cruzeiro, por exemplo: Vovó Joana do Cruzeiro...

Cruzeiro é um mistério ligado ao Trono da Evolução, Pai Obaluaiyê.

Mas também ligado pelo símbolo da cruz ao Trono da Fé, Pai Oxalá...

mas isso não impede que haja manifestação de entidades ligadas a outras irradiações. Há ainda dentro da Umbanda a resistência de alguns médiuns quando são intuídos pelos seus guias, quanto a seus nomes simbólicos de trabalho, senão com certeza teríamos muitos “Pai João da Terra”, ou “Pai Joaquim das Águas e porque não Vovó Catarina do Fogo Divino...”.
...Identificam-se pela sua origem africana como do Congo, de Angola, de Guiné, que dizem respeito a sua linha de trabalho e campo de atuação.

Marcada pela presença do Negro na Umbanda, de forma nenhuma a religião poderia deixar de homenagear suas origens afro e também a raça que permitiu que muitos espíritos semeadores da nova religião pudessem encarnar no Brasil sem chamar muita atenção.
...A primeira manifestação relatada da Linha dos Pretos Velhos, é descrita na história de Pai Zélio de Moraes : no dia em que houve a manifestação do Sr. Caboclo das 7 Encruzilhadas, na casa que em seguida seria batizada de Nossa Sra. da Piedade, nesse mesmo dia houve a manifestação de Pai Antônio.

O espírito do ex-escravo ali incorporado parecia sentir-se

nada à vontade. Curvado, alquebrado, evitou ficar na mesa
...“-Nêgo num senta não, sinhô ... Nêgo fica aqui mermo...

Isso é coisa de sinhô branco, i nêgo deve arrespeitá.

Nêgo fica aqui nu toco, qui é o lugá di nêgo”
...Estava firmada ali, a presença do Preto Velho na Umbanda.

E esse trejeito humilde, simples, honesto, sem pedir nada em troca, sempre em nome do Pai Criador, em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, essa naturalidade cativa dia a dia os filhos de Umbanda e todos aqueles que procuram ajuda nos templos.

E se em suas manifestações trazem plasmadas as formas de suas existências como escravos, saibam que essas falanges acolhem muitos e muitos espíritos afins com suas vibrações de Fé, Amor, Conhecimento, Justiça, Lei, Sabedoria e Vida, que não necessariamente foram escravos em suas existências anteriores.
...A naturalidade de um Preto Velho é indescritível.

É algo que sentimos, e se de coração aberto estivermos para absorve-la como benção, então durará muito em nosso íntimo.

Ao ver um Preto Velho em terra, pitando seu cachimbo, sentado em seu banquinho, não tenha vergonha, ajoelhe-se e peça sua benção.

Com certeza ele está ali, em seu banquinho, baixinho perto do chão, para que segurando em nossas mãos clamem ao criador bênçãos de Paz, Saúde, Harmonia, Prosperidade e Fé, muita Fé!
...Saravá Senhores e Senhoras das Correntes de Pretos Velhos...

Axé...

Salve as Almas ...

Vossa Benção !!!

Parte do texto retirado do Livro: “ TEOLOGIA DE UMBANDA"Obra de Rubens Saraceni

Criticas a Umbanda
***Críticas a Umbanda***

Em uma noite ,num Templo Umbandista lá para as bandas do sul de Minas durante a gira de Pretos Velhos,um moço chamado André ,membro da corrente vai conversar com um dos Pretos Velhos incorporados. _ Salve Meu Pai!! _Saravá Zifio!! _ Meu Pai, estou muito aborrecido. _ I o que aflige sua camutuê(cabeça na língua africana cafre) zifio? _ Tenho visto muita gente criticar a Umbanda meu Pai.Dizendo que nosso culto é atrasado, cheio de erros. _ Mas nóis num liga zifio.Carece nóis trabaiá ,ajudando os que precisa, pondo paz e Fé nos coração doente pela farta de Nosso Sinhô dentro deles. _ Falam que os Guias são atrasados ,ignorantes e uma das provas é falarem errado,apresentarem trejeitos. _ Mas nóis num liga zifio. Carece nóis falá certo e não correto, a escola ensina qualquer um falá correto e inté bonito mas pra falá certo carece de ter amor no coração e caridade e intendê que quando tudo mundo morre, o que Nosso Sinhô pede num é os diplomas das escola mas o diploma da vida .Nesse diploma quem tirou nota alta em tolerância,em caridade,em amor com o próximo,em honestidade, em não julgá, vai pra uma escola melhor; Se tiro nota baixa tem de repetir de ano ou seja tem de voltar a nasce porque perdeu a oportunidade abençoada falando correto porem usando palavras erradas. _Meu Pai.Vocês não ligam mas eu ligo. _Zifio! Isso tudo que falam incomoda muito zuncê? _Incomoda sim Pai! _E zuncê fica querendo explicar que estão errados? _ Fico Pai.Até discuto! _IHH Zifio! Zuncê carece de te mais Fé e Amor em Nosso Sinhô. _Ué Pai! Eles que atacam e eu que preciso de ter Fé e Amor em Deus??????? _É sim zifio! Zuncê preocupa em mostra sua Fé mais pros outros que pra Nosso Sinhô. Se sua Fé e Amor na Umbanda que é a casa de Nosso Sinhô fosse grande, zuncê trocaria o aborrecimento pela oração por esses que ainda num sabem o quanto é ruim julgá ;Zuncê trocaria o incomodo pela alegria de sabe que Nosso Sinhô olha os coração das pessoas e cuidava de manter o seu coração livre dos sentimentos ruim, inda mais aqui dentro; Zuncê trocaria a discussão pelo silêncio porque mudar eles zuncê num muda porque virtudes num vem de fora pra dentro e alem de tudo acontece duas coisas ruim com Zuncê: Uma é que Zuncê mostra que num aprendeu nada aqui como deve aprendê um bom Umbandista. Nisto o Preto Velho parou de falar e começou a dar boas baforadas em seu cachimbo ao mesmo tempo que passava no moço um ramo de guiné o qual molhava num copo com água promovendo a limpeza do moço. Impaciente André pergunta: _ E a segunda coisa ruim Pai! _ A segunda ficou lá na porta donde o Exu barrou de entra aqui.Um bando de kiumba(espíritos zombeteiros,obsidiadores ou maldosos) que estavam atrás de zuncê pra ver onde zuncê ia começar outra discussão. ---Exemplos sempre serão mais fortes e eficientes que palavras----

 

 

        

" Não critiques o que não entende.

Ao invés de criticar, conheça.

Leia, estude, conheça um terreiro de Umbanda.